Auxílio Emergencial continuará se houver 2ª onda de covid-19, diz Guedes

O auxílio emergencial acaba em dezembro de 2020, mas pode voltar em caso de agravamentos de infecções por coronavírus em 2021.

O Auxílio Emergencial com prazo de término em dezembro deste ano, pode continuar em 2021. Isso se houver uma 2ª onda da pandemia de covid-19 no Brasil, assim como está acontecendo na Europa. O ministro da Economia, Paulo Gudees, afirmou a continuidade do benefício emergencial, nesse caso, no evento da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), na última quinta-feira (12).

Na ocasião, Guedes disse que a “prorrogação do auxílio emergencial se houver segunda onda não é possibilidade, é certeza”. Além disso, declarou que se a situação da doença se agravar no país, “o Brasil reagirá como da primeira vez. Vamos decretar estado de calamidade pública e vamos recriar auxílio emergencial”.

 

Prorrogação do Auxílio Emergencial em 2021

A prorrogação do auxílio emergencial para 2021, só deve acontecer se o Brasil tiver uma 2ª onda de covid-19, em que sejam necessárias novas políticas de isolamento social. Contudo, o benefício emergencial é previsto para até o final de 2020. Vale ressaltar que técnicos do governo afirma que a segunda onda “não acontecerá”.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Além disso, o ministro da Economia, Paulo Guedes, não informou se o valor do benefício será de R$ 600. Porém, durante o evento da Abras, Guedes ainda declarou a continuação do auxílio emergenciais e a criação do Renda Brasil  “é uma escolha política”. “Estamos retirando os estímulos, de R$ 600 [valor inicial das parcelas do auxílio] baixa pra R$ 300 [auxílio emergencial residual] e depois aterriza ali na frente numa versão Renda Brasil ou na própria Bolsa Família”, disse.

De fato, o Renda Brasil não deve ser a anunciado em 2021, mas apenas uma reestruturação do Bolsa Família. O programa apresentado pela equipe econômica não agradou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Por fim, a proposta inicial era substituir o Programa Social de transferência de renda pelo Renda Cidadã, com um valor mensal próximo a R$ 300. Contudo, a divulgação ainda é incerta para 2020. Até o momento, sabe-se que o Bolsa Família deve continuar em 2021.

 

Leia também

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes