BNDES: Prorrogação de consulta pública sobre crédito para inadimplentes

A consulta pública do BNDES se destina para a venda de títulos inandimplentes de instituições financeiras. O prazo é até hoje (9).

O BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, prorrogou o prazo final de consulta pública. Sendo assim, por meio do leilão acontecerá o processo de carteira de créditos inadimplentes. O prazo terminava em 30 de outubro, mas teve prorrogação até hoje (9).

Ao todo, até 332 contratos de 260 devedores irão para leilão. Isso corresponde a R$ 164 milhões. Isso porque tais títulos possuem entre cinco e 20 anos de atrasos em pagamentos.

Consulta pública do BNDES

Dessa forma, a consulta pública do BNDES é para a venda de títulos já perdidos nos balanços contábeis, os chamados “créditos podres”. Contudo, o BNDES avalia a comercialização dos títulos por valores muito menores que o preço inicial.

“Os direitos creditórios vencidos e não pagos são oriundos de operações de financiamentos celebradas por intermédio de outros agentes financeiros já liquidados, que foram transferidos para o BNDES por sub-rogação legal”, diz o BNDES. Alguns exemplos das instituições financeiras originárias desses “créditos podres” são Banco Royal, Banco Santos Neves, Crefisul e Banco Santos.

Todos são títulos de crédito sem garantias. Além disso, houve notificação individual dos devedores. Depois disso, todos os “créditos podres” foram ativos e com abordagem para regenociações em 2007, 2009 e 2011. Mas também, condições especiais com incentivos em 2015 e agora, em 2020.

Após o fim da consulta pública, os bancos que possuem os títulos podem optar pelo leilão. Sendo assim, haverá lançamento do edital em dezembro de 2020, segundo a previsão do BNDES. Em seguida, acontecerá a abertura do prazo para qualificação de investidores interessados  ainda em dezembro.

Por fim, no início de janeiro de 2021, serão divulgados os investidores qualificados segundo os requisitos do edital. O BNDES estima que até o fim de março acontecerá o leilão, conforme o modelo colocado em consulta.

Sendo assim, vale ressaltar que os títulos terão venda em forma de leilão público.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.