Cadastro do Pix começa na segunda-feira; saiba como aderir

O cadastro do Pix é opcional. Correntistas deverão acessar o internet banking ou aplicativo da instituição financeira para ter a “chave Pix”.

O cadastro do Pix será liberado a partir de segunda-feira, 05 de setembro. Até então, havia somente a possibilidade de pré-cadastro nas principais instituições financeiras do país. Para isso, o cliente precisa ter uma conta corrente.

O novo sistema de pagamentos e transferências instantâneas entrará em vigor no mês de novembro, segundo o Banco Central (BC). Sendo assim, cada cliente poderá cadastrar até cinco chaves associadas a uma conta bancária para usar o Pix.

Além disso, o BC anunciou que a nova modalidade de transferência bancária será gratuita para pessoas físicas e microempreendedores individuais.

Cadastro no Pix

Para realizar o cadastro no Pix, um pré-cadastro já deverá existir. Contudo, a adesão ao Pix é opcional. As demais modalidades de transferência eletrônica, TED e DOC, continuarão disponíveis.

Portanto, basta ter uma conta corrente, conta poupança ou carteira digitar para fazer o cadastro no Pix.  Assim, a operação será no aplicativo da instituição financeira e no internet banking do cliente, com a criação de uma “chave Pix“. Com o recurso,  não é preciso dados de identificação de quem se pretende enviar o recurso financeiro.

Sendo assim, as chaves Pix  poderão ser usadas e cadastradas por:

  1. Número de CPF;
  2. CNPJ, se tiver;
  3. Endereço de e-mail;
  4. Número do telefone celular;
  5. EVP: uma sequência alfanumérica de 32 dígitos.  

Depois da geração do EVP, o banco deve notificar o cadastro do cliente ao Banco Central e, assim, um QR Code será disponível ao cliente. Com o código não há necessidade de informar o CPF, CNPJ, telefone ou e-mail para um desconhecido.

Em resumo, para realizar a transferência bastará informar a “chave Pix” do destinatário, sem outras informações adicionais. Os dados aparecerão de forma automática no momento da transação eletrônica, para conferência e confirmação da operação, assim como no TED ou DOC.

 

Receber e pagar

Os pagamentos instantâneos acontecerão 24 horas por dia, sete dias por semana. Essa é a principal vantagem do Pix em relação a outras modalidades de transferência.

Sendo assim, o Banco Central aposta que o Pix seja “fácil, simples, intuitiva e rápida quanto realizar um pagamento com dinheiro em espécie.”

Para isso, as transferências virtuais poderão ser realizadas de três formas diferentes:

  • utilização de chaves ou apelidos para a identificação da conta transacional, como o número do telefone celular, o CPF, o CNPJ ou um endereço de e-mail;
  •  QR Code, estático ou dinâmico;
  • tecnologias que permitam a troca de informações por aproximação, como a tecnologia near-field communication (NFC).

Cadastro Pix – Operações

As transferências pelo Pix estarão disponíveis a partir do dia 3 de novembro, numa fase experimental. Nessa etapa, vai funcionar apenas para um número reduzido de clientes e em um horário limitado. Contudo, os critérios e nem quais usuários farão parte das operações na fase teste.

Por fim, o sistema será aberto para toda a população a partir de 16 de novembro.

Fonte Agência Brasil
Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.