Como fica o teto do INSS para 2022 e qual o valor?

Este é o valor máximo que o Instituto Nacional do Seguro Social pode pagar aos segurados da Previdência Social

Anualmente os benefícios previdenciários e assistenciais são reajustados pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). O mesmo acontece com o teto do INSS, que diz respeito à quantia máxima que o trabalhador pode receber da Previdência Social. Diante disso, veja a seguir qual o teto do INSS para 2022 e o que se sabe sobre a atualização dos benefícios. 

Qual será o teto do INSS para 2022?

O teto do INSS para 2022 será de R$R$ 7.087,22. Esse valor muda anualmente, pois é reajustado de acordo com o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que é responsável por fazer a correção dos salários, além dos valores que são pagos por meio de aposentadorias, auxílios e pensões. 

Para o cálculo foi levado em consideração a atualização do INPC acumulado entre os meses de janeiro e dezembro do ano passado, que foi divulgada nesta nesta terça-feira, 11, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A inflação medida para todo o ano de 2021 totalizou 10,16%, o que quer dizer que todos os aposentados e pensionistas que recebem mais de um salário mínimo terão seu benefício reajustado de acordo com esse índice em 2022.

Para oficializar os valores desse reajuste, o governo publicou uma portaria no Diário Oficial da União (DOU), que determina o reajuste a partir do dia 1ª de janeiro. Com isso, os benefícios pagos aos segurados não podem ser superiores à R$ 7.087,22. Veja abaixo a tabela com todos os valores que foram praticados ao longo dos últimos anos:

  • 2020: R$ 6.101,06
  • 2019: R$ 5.839,45
  • 2018: R$ 5.645,80
  • 2017: R$ 5.531,31
  • 2016: R$ 5.189,82
  • 2015: R$ 4.663,75
  • 2014: R$ 4.390,24
  • 2013: R$ 4.159,00
  • 2012: R$ 3.916,20
  • 2011: R$ 3.691,74

Teto e piso do INSS

Os segurados do INSS não devem confundir o piso previdenciário e o teto do INSS para 2022. O primeiro se trata do valor mínimo que o segurado pode receber. Essa quantia é alterada anualmente porque segue a mesma quantia do salário-mínimo e para este ano o governo determinou que esse valor é de R$ 1.212,00.

Portanto, os cidadãos não poderão receber valores menores que essa quantia durante o ano em benefícios como aposentadoria, pensão ou auxílio, salário-maternidade, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão, renda mensal vitalícia; BPC (Benefício de Prestação Continuada), dentre outros.

Por sua vez, o teto do INSS para 2022 funciona como um limite de gastos para que a Previdência Social consiga atender a todos os segurados. Além disso, o teto  do INSS também é utilizado como uma base para as contribuições previdenciárias que são necessárias para quem pretende receber uma aposentadoria mais alta.

Vale ressaltar que o reajuste anual será aplicado de forma diferente para os segurados que passaram a receber benefícios a partir do mês de fevereiro de 2021, visto que esse público não teve os 12 meses cheios de pagamentos. Desta maneira, o percentual de reajuste do INSS para 2022 fica da seguinte forma:

Benefício pago a partir de janeiro de 2021: reajuste de 10,16%

Benefício pago a partir de fevereiro de 2021: reajuste de 9,86%

Benefício pago a partir de março de 2021: reajuste de 8,97%

Benefício pago a partir de abril de 2021: reajuste de 8,04%

Benefício pago a partir de maio de 2021: reajuste de 7,63%

Benefício pago a partir de junho de 2021: reajuste de 6,61%

Benefício pago a partir de julho de 2021: reajuste de 5,97%

Benefício pago a partir de agosto de 2021: reajuste de 4,90%

Benefício pago a partir de setembro de 2021: reajuste de 3,99%

Benefício pago a partir de outubro de 2021: reajuste de 2,75%

Benefício pago a partir de novembro de 2021: reajuste de 1,58%

Benefício pago a partir de dezembro de 2021: reajuste de 0,73%

O que devo fazer para me aposentar com o teto?

É possível receber o teto do INSS para 2022 se o contribuinte possui o tempo de contribuição acima do exigido pela Previdência Social. Mas isso não é tão simples como se imagina.

No caso das aposentadorias, os segurados devem manter suas contribuições anualmente sobre 20% do teto. Em 2021, por exemplo, os segurados tiveram que contribuir mensalmente com R$ 1.286,71 pois o teto do INSS ficou em R$ 6.433,57.  Além disso, o valor a ser recolhido vai depender do tipo de contribuinte e do salário de contribuição.

No entanto, é importante ressaltar ainda que mesmo fazendo as contribuições sobre o teto máximo, não é garantido que será pago o valor integral do teto do INSS 2022 devido às mudanças que foram feitas pela Reforma da Previdência e impactou todas as modalidades de aposentadoria

Desde 2019 o INSS passou a considerar a média das contribuições realizadas desde 1994 e estabeleceu as regras de transição para a aposentadoria, o que acabou dificultando que os segurados atingissem o teto do INSS. Também foi estabelecido que as mulheres precisam ter, pelo menos, 35 anos de contribuição para atingir o teto e os homens devem contribuir por 40 anos.

A orientação é fazer um planejamento e, se possível, contar com o apoio de um advogado previdenciário que poderá fazer os cálculos sobre o tempo de contribuição sobre o teto do INSS, além de descobrir qual é o tipo de aposentadoria mais benéfico, o que varia para cada trabalhador. 

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes