Copom mantém a taxa Selic em 2,00% ao ano, após nove cortes consecutivos

A taxa Selic é definida pelo Comitê de Políticas Monetárias (Copom). A base de juros divulgada hoje vale até o final de outubro deste ano.

A taxa Selic é mantida em 2,00% ao ano. A alíquota foi divulgada pelo Comitê de Políticas Monetárias (Copom), nesta quarta-feira, 16 de setembro, no portal do Banco Central (BC).

Dessa forma, o ciclo de cortes na Selic, que vinha ocorrendo desde o início de 2020, foi interrompido. Além disso, a permanência da alíquota já era esperada pelo mercado financeiro.

Uma pesquisa realizada pelo jornal Valor Econômico demonstrava que 98,7% das instituições financeiras e consultorias questionadas, esperavam a manutenção da taxa Selic em 2,00%. Ao todo, entraram na pesquisa 79 instituições e apenas uma calculava um corte de 0,25 ponto percentual, deixando a Selic em 1,85% ao ano, aproximadamente.

Por fim, a nota divulgada pelo BC ainda informou que no cenário atual, “com taxa de juros constante a 2,00% ao ano e taxa de câmbio constante a R$5,30/US$, as projeções de inflação situam-se em torno de 2,1% para 2020, 3,0% para 2021 e 3,8% para 2022″. 

 

O que é taxa Selic?

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Ela é a base de juros para empréstimos, investimentos e até interfere diretamente no consumo da população, já que influencia no valor dos produtos. A saber, a sigla Selic é a abreviação de Sistema Especial de Liquidação e Custódia.

Além disso, a taxa Selic auxilia no controle da inflação. Sendo assim, o Copom é o órgão, do Banco Central, responsável por alterar a taxa básica de juros periodicamente.

Devido a crise econômica, a expectativa é que a Selic suba somente em 2021, ficando em torno de 2,5% ao ano. Contudo, a meta é de 3,75%, com intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, a taxa Selic deve variar entre 2,25% e 5,25%, ao longo do ano.

Taxa Selic – 2020

A taxa Selic tem sofrido quedas ao longo deste ano. Abaixo, estão dispostos o período de vigência e respectivas taxas de 2020:

  • Dezembro/2019 – 05 de fevereiro/2020: 4,50% a.a.;
  • 06 de fevereiro – 18 de março: 4,25% a.a;
  • 19 de março – 06 de maio: 3,75% a.a;
  • 07 de maio – 17 de junho: 3,00% a.a;
  • 18 de julho – 05 de agosto: 2,25% a.a;
  • 06 de agosto – 16 de setembro: 2,00% a.a;
  • 17 de setembro (atual): 2,00%.

Sendo assim, a Selic foi mantida e interrompeu o ciclo de quedas desde o início de 2020. É a primeira vez que a taxa básica de juros não sofre alteração, após nove cortes consecutivos.

Em suma, para conferir o histórico da taxa Selic, desde 1996, clique aqui.

Influência da taxa Selic no dia-a-dia

moedas de um real acima de duas cédulas
Foto:iStock

A redução dos juros básicos resulta na diminuição dos custos de crédito. Sendo assim, a economia ganha o estímulo de produção e consumo.

Contudo, quando a taxa Selic aumenta, por decisão do Copom, os juros de negociação de operações financeiras ficam mais altos, encarecendo os produtos e, assim estimula a poupança. Entretanto, aumentar a Selic é uma medida de conter a demanda aquecida e, consequentemente, a inflação.

 

 

Como funciona as Reuniões do Copom – Taxa Selic?

As reuniões do Copom para manutenção da taxa Selic, bem como da inflação, são realizadas em intervalos de 45 dias. Dessa forma, o Comitê se reúne durante dois dias para discutir as diretrizes da taxa básica de juros.

No primeiro dia de encontro, há apresentações técnicas sobre a evolução e as perspectivas das economias brasileira e mundial e o comportamento do mercado financeiro. Ou seja, os chefes do departamento apresenta, analisa e avalia a conjuntura econômica.

Sendo assim, os assuntos discutidos no primeiro dia de reunião são:

  • inflação;
  • finanças públicas;
  • mercado de câmbio;
  • nível de atividade;
  • balanço de pagamentos;
  • reservas internacionais;
  • operações de mercado aberto
  • evolução dos agregados monetários;
  • economia internacional;
  • mercado monetário;
  • variáveis macroeconômicos.

Portanto, no segundo dia de reunião, o Comitê define e divulga a taxa Selic.

Calendário das Reuniões do Copom

Haverá ainda mais duas reuniões do Copom para definir a taxa Selic. Dessa forma, as próximos conselhos serão em:

  • 27 e 28 de outubro;
  • 8 e 9 de dezembro.

2021:

Reunião do Copom Divulgação da Ata
19 e 20 de janeiro 26 de janeiro
16 e 17 de março 23 de março
4 e 5 de maio 11 de maio
15 e 16 de junho 22 de junho
3 e 4 de agosto 10 de agosto
21 e 22 de setembro 28 de setembro
26 e 27 de outubro 03 de novembro
7 e 8 de dezembro 14 de dezembro
Fonte: Banco Central
Informar Erro
Fonte Banco Central

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes