Auxílio reclusão: saiba como funciona e as mudanças com a reforma da previdência

Benefício dá suporte aos dependentes do segurado em caso de prisão, evitando a desestruturação da família

O auxílio reclusão é um direito do segurado e que dá suporte aos seus dependentes em caso de prisão. Assim, serve para amparar a família, evitando que ela fique nas margens da pobreza e miséria.

 

O que é auxílio reclusão?

A Previdência Social paga o benefício de auxílio reclusão para os dependentes do segurado, que possua baixa renda, e que for preso em regime fechado. Ou seja, o preso deve cumprir pena sem poder trabalhar ou estudar fora do estabelecimento prisional.

Assim, o benefício deve evitar que a família do preso se desestruture com a falta de recursos para seu sustento. Quem recebe o auxílio, portanto, não é a pessoa que foi presa, mas seus dependentes.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O valor do benefício passa com a Reforma da Previdência, então, a um salário mínimo caso as prisões ocorram após novembro de 2019. A garantia do auxílio acontece durante o período em que o segurado estiver em recolhimento na prisão sob regime fechado.

 

Quais os requisitos para receber o auxílio reclusão?

Os dependentes possuem direito ao auxílio reclusão, mas para isso devem cumprir os seguintes requisitos:

  • Segurado recolhido à prisão e em regime fechado;
  • Preso em qualidade de segurado e feito o pagamento de 24 contribuições previdenciárioas mensais antes do recolhimento;
  • O segurado preso, na época do recolhimento à prisão, não deve estar recebendo: auxílio doença, pensão por morte, salário maternidade, aposentadoria ou abono de preferência em serviço;
  • Que o segurado preso não esteja recebendo remuneração ou seguro empresarial da empresa;
  • Que o segurado preso seja pessoa de baixa renda.

Além disso, é necessário ter a comprovação da baixa renda. No mês de recolhimento, a renda bruta deve ser igual ou inferior a R$ 1.425,56, corrigidos pelos mesmos índices de reajuste aplicados aos benefícios do RGPS.

O cálculo acontece com base na média aritmética simples dos salários de contribuição nos 12 meses anteriores ao recolhimento.

Entretando, a Constituição Federal mostra que esse valor é uma referência. Assim, mesmo que a remuneração seja um pouco maior, ainda pode ter o direito do auxílio reclusão se outros aspectos demonstrarem pobreza.

Dessa forma, não será devida a concessão do benefício quando o recolhimento á prisão ocorrer após a perda da qualidade de segurado. Além disso, caso o segurado inicie trabalho e receba remuneração dentro da cadeia ou após cumprimento de pena, os dependentes perderão o direito.

 

Quem tem direito ao auxílio reclusão?

O benefício é pago para os dependentes, como uma garantia ao suporte financeiro. São três classes de dependentes. Portanto, havendo dois ou mais dependentes na mesma classe, ambos possuem igualdade de direitos e condições. Entretanto, a existência de dependentes de qualquer uma das classes exclui o direito às prestações das classes seguintes.

  • 1ª Classe: cônjuge, companheiro (a) e filho não emancipado, de qualquer condição, menos de vinte e um anos ou inválido, enteado e menor tutelado (com comprovação de dependência econômica).
  • 2ª Classe: pais.
  • 3ª Classe: irmão não emancipado, de qualquer condição, menor de vinte e um anos de idade ou inválido ou que tenha deficiência intelectual, mental ou grave.

Caso haja nascimento de filho durante o período de prisão, ele receberá o direito ao benefício. Além disso, há o direito ao pagamento retroatico limitado a 180 dias em casos de dependentes menores de 16 anos e 90 dias para os demais dependentes.

Se a prisão ocorreu pelo menos dois anos após o início do casamento ou da união estável, a duração do benefício será variável, conforme a tabela abaixo:

 

Quais documentos são necessários para solicitar?

  • Documento de identificação pessoal (RG/CPF ou CNH);
  • Comprovante de relação de dependência com o segurado;
  • Guia de recolhimento à prisão.

Deve-se apresentar a declaração de permanência carcerária com o tempo, para que a manutenção do benefício. A certidão judicial e a prova de permanência na condição de presidiário serão substituídas pelo acesso à base de dados, disponibilizada pelo Conselho Nacional de Justiça.

 

Como solicitar o benefício?

É possível solicitar o auxílio reclusão no portal do Meu INSS. Para isso:

  1. Faça login no sistema;
  2. Escolha a opção Agendamentos/Requerimentos;
  3. Clique em “novo requerimento”, “atualizar” e insira os dados pertinentes, depois em “avançar”;
  4. No campo “pesquisar”, digite “reclusão” e selecione o serviço;
  5. Acompanhe o andamento pelo portal.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes