Teto do INSS 2021 sobe para R$ 6.433 após reajuste de 5,45%

Portaria do Ministério da Economia também definiu os níveis de reajuste para benefícios concedidos ao longo de 2020 e alíquotas de contribuição.

Nesta quarta-feira, o governo divulgou no Diário Oficial da União (DOU) o reajuste de 5,45% para benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) com valores acima de um salário mínimo. Com a mudança, o teto do INSS 2021 ficou em R$ 6.433,57.

Além disso, essa portaria do Ministério da Economia também definiu os níveis de reajuste para benefícios concedidos ao longo de 2020 e alíquotas de contribuição para diferentes categorias.

Qual o teto do INSS em 2021?

A partir do reajuste de 5,45% para os benefícios com pagamento acima de um salário mínimo, o teto do INSS 2021 passa de R$ 6.101,06 para R$ 6.433,57. Trata-se uma alta de R$ 335,51.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Nota-se que conforme a lei, o reajuste dos pagamentos do INSS deve seguir a variação do INPC do ano anterior. Hoje, 32,7% dos benefícios pagos pelo INSS estão acima do piso, ou seja, são maiores que um salário mínimo.

Para exemplificar, um segurado que recebia em 2020 aposentadoria de R$ 2 mil mensais, passará a pegar R$ 2.109 neste ano. Ao passo que, quem adquiria benefício de R$ 3 mil, passará a pegar R$ 3.163,50.

Ademais, o piso dos benefícios do INSS deve ser de um salário mínimo. Então passou de R$ 1.045 para R$ 1.100. Esse reajuste de 5,26% ficou abaixo do INPC. Caso o reajuste levasse em conta esse índice de inflação, o valor do piso deveria ser de R$ 1.101,95 em 2021.

O mesmo ocorreu no ano passado, na ocasião o governo fez uma nova alteração para definir o salário mínimo de modo a manter o poder de compra. No entanto, o Ministério da Economia ainda não se posicionou sobre um novo aumento neste ano.

Índice de inflação

Como dito, o valor dos benefícios são reajustados de acordo com a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Esse índice de inflação foi divulgado ontem (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado para 2020 foi uma alta de 5,45%.

Esse índice pesquisa variação de preços para as famílias com rendimentos de um a cinco salários mínimos.

Reajuste para quem teve benefício concedido em 2020

Para quem teve benefício do INSS concedido até janeiro de 2020 o reajuste será de 5,45%. No entanto, a porcentagem muda para que começou a receber os pagamentos a partir desse mês. O percentual diminui gradualmente entre os meses de fevereiro a dezembro. Para aposentadoria, pensão por morte e demais benefícios concedidos em:

  • Fevereiro de 2020: reajuste de 5,25%
  • Março de 2020: reajuste de 5,07%
  • Abril de 2020: reajuste de 4,88%
  • Maio de 2020: reajuste de 5,12%
  • Junho de 2020: reajuste de 5,39%
  • Julho de 2020: reajuste de 5,07%
  • Agosto de 2020: reajuste de 4,61%
  • Setembro de 2020: reajuste de 4,23%
  • Outubro de 2020: reajuste de 3,34%
  • Novembro de 2020: reajuste de 2,42%
  • Dezembro de 2020: reajuste de 1,46%

Alíquotas de recolhimento

Em seguida, o reajuste não impacta somente o teto do INSS 2021, mas também o valor das contribuições para o INSS. Veja as alíquotas conforme os salários de contribuição para empregados com carteira assinada, domésticos e trabalhadores avulsos:

  • Até 1.100,00: alíquota de 7,5%
  • De 1.100,01 até 2.203,48: alíquota de 9%
  • De 2.203,49 até 3.305,22: alíquota de 12%
  • De 3.305,23 até 6.433,57: alíquota de 14%

Essas alíquotas são cobradas de maneira progressiva. Sendo assim, incidem somente sobre a parcela do salário que se encaixa em cada faixa.

Calendário do INSS

Ademais, os valores de benefícios a serem recebidos no início deste ano ainda não contaram com o reajuste, pois estão relacionados ao mês de dezembro do ano passado. O aumento passará a valer a partir do dia 25 de janeiro.

O calendário de pagamentos do INSS de 2021 já está disponível. Como já ocorre normalmente, primeiro aqueles que ganham um salário mínimo recebem seu pagamento. Depois adquire o benefício devido quem ganha acima do piso, inclusive quem deve receber o teto do INSS 2021. Para esse grupo os pagamentos reajustados iniciam em 1º de fevereiro.

 

Leia também:

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes