IPCA: entenda o principal índice que mede a inflação brasileira

O IPCA é medido mensalmente pelo IBGE e considera 9 grupos que somam 465 itens

Além do controle de preços, o IPCA traz reflexos em decisões como a manutenção ou não da taxa Selic, reajustes no salário mínimo e investimentos.

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) é o principal índice que mede a inflação brasileira e tem poder de influenciar tanto a taxa de juros quanto os seus investimentos. Você sabe como ele é medido? Vamos explicar!

Primeiramente, saiba que quem mede o IPCA é o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A medição acontece todos os meses desde 1979 através de uma pesquisa de preços.

Funciona assim: do dia 1 ao dia 30 ou 31 de cada mês, o IBGE realiza pesquisa em estabelecimentos comerciais, concessionárias de serviços públicos, prestadores de serviços e domicílios.

Essa pesquisa mede a variação de preços cobrados ao consumidor que paga à vista. Ou seja, é feita para medir a inflação.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Há 9 grupos na pesquisa do IPCA. São eles: alimentação e bebidas; artigos de residência; comunicação; despesas pessoais; educação; habitação; saúde e cuidados pessoais; transportes e vestuário. Somados, são 465 itens.

Além disso, o IPCA reflete o custo de vida de famílias que ganham entre 1 e 40 salário mínimos e que moram nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Recife, Belém, Fortaleza e Vitória. Os municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luis, Aracaju e Brasília também são considerados.

 

IPCA influencia decisões sobre Selic e salário mínimo

A medição realizada pelo IPCA ajuda o governo a checar se a meta da inflação para o período está sendo cumprida. Com base nisso, ele toma decisões sobre queda, alta ou manutenção dos juros no País.

Nesse sentido, além de influenciar a taxa Selic, o IPCA também ajuda na definição do valor do salário mínimo, já que indica como está o poder de compra real considerando os aumentos de preços para produtos e serviços.

 

Por que o IPCA pode indicar aumento ou queda de preços?

 

A queda ou aumento no preço de produtos e serviços tem relação com diversos fatores. Entre eles estão: custos de produção, lei da oferta e da demanda, cotação do dólar, período de safras, alterações no clima e muitos outros.

Além disso, o excesso de dinheiro circulando na economia também influencia o IPCA ou a inflação na prática. Isso porque mais dinheiro significa mais consumo e, consequentemente, aumento de preços.

IPCA: entenda índice que mede a inflação
Imagem: Reprodução/ Pixabay

IPCA influencia investimentos

 

Finalmente, outro ponto importante são os investimentos pós-fixados que têm rentabilidade indexada ao IPCA.

Nesse sentido, esses investimentos pagam uma taxa predefinida mais IPCA, garantindo que o resultado esteja sempre acima da inflação. Em síntese, garantem o poder de compra e rentabilidade extra.

Da mesma forma, é importante considerar o IPCA principalmente para investir no longo prazo, ao passo que a poupança por exemplo, tende a ficar no negativo se considerada a inflação real.

Por fim, dentre os investimentos que têm rentabilidade atrelada ao índice estão títulos do Tesouro, alguns CDBs e LCIs. Em suma, há opções interessantes no mercado para quem quer garantir o poder de compra.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes