Novo Bolsa Família não vai acontecer, reafirma Bolsornaro

A ideia é aumentar o valor do Bolsa Família. Afirmações contrariam últimas falas do ministro da Cidadania

Nesta terça-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não haverá a prorrogação do auxílio emergencial ou a criação de um novo programa de distribuição de renda. A ideia, portanto, é “aumentar um pouquinho” o Bolsa Família.

 

Cartão vermelho para novo Bolsa Família

“Você deve ter ouvido há poucas semanas, um mês aproximadamente, que quem falar em Renda Brasil eu vou dar cartão vermelho. Não quero mais conversa. É Bolsa Família. São as pessoas necessitadas que precisam desse recurso que, em média está em R$ 190. E eu tenho falado para a equipe econômica: vamos tentar aumentar um pouquinho isso daí”, disse, em entrevista à Band.

Segundo ele, em suma, o auxílio emergencial é de caráter emergencial para o combate a crise da covid-19, pago a vulneráveis. O eventual desequilíbrio das contas públicas poderia provocar inflação. “Auxílio é emergencial, o próprio nome diz: é emergencial. Não podemos ficar sinalizando em prorrogar e prorrogar e prorrogar”, disse o presidente, além disso, acrescentando que “acaba agora em dezembro”.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Contradições

Por outro lado, a afirmação contraria as declarações de Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania, na última sexta-feira (11). Sobretudo, durante sua passagem pelo Recife (PE), anunciou um “novo Bolsa Família”.

“Eu preciso que o presidente, eu tenho um grau de lealdade absoluta ao presidente, na hora que ele me der o OK, eu espero que ele faça isso na próxima semana, aí a gente vai apresentar o programa completo. É uma coisa revolucionária. Nenhum país que tenha programa social tem um programa social como ele foi concebido para ser o que eu chamo internamente de ‘Novo Bolsa Família’”, disse Onyx, sem dar detalhes sobre o programa.

Segundo o ministro, a reformulação revolucionaria o programa e disse que, assim, haverá aumento no valor do tíquete médio repassado aos beneficiados e também do número de famílias participantes.

“A gente já trabalhava isso desde novembro do ano passado, quando eu ainda estava na Casa Civil. Depois que eu fui pra Cidadania, nós continuamos trabalhando. O programa está pronto, é um programa completamente diferente do que ele foi pensado originalmente, muito mais efetivo e que vai trabalhar com a promoção das famílias. Vai trabalhar com a emancipação através do emprego, além de trazer questões de mérito importantes para o programa”, afirmou.

Leia também:

Bolsa Família: confira o calendário de abertura da poupança digital

Veja a regra para quem perdeu o prazo para sacar o auxílio emergencial

Fonte G1 O Globo

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes