Passo a passo de como devolver o auxílio emergencial

A devolução voluntária do auxílio emergencial pode ser feita ao gerar uma Guia de Recolhimento da União (GRU) pela internet.

O pagamento do auxílio emergencial de 2021 já está acontecendo, no entanto algumas pessoas devem se atentar a necessidade de devolução do benefício recebido no ano passado. Devem fazer isso, os cidadãos que receberam os valores de modo indevido e ultrapassaram o limite de R$ 22.847,76 de rendimentos tributáveis em 2020. É possível devolver o auxílio emergencial ao gerar uma guia pela internet.

O prazo para esse procedimento é o mesmo período para a entrega da declaração do imposto de renda deste ano.

Quem tem que devolver o auxílio emergencial?

A devolução voluntária do auxílio emergencial pode ser feita ao gerar uma Guia de Recolhimento da União (GRU) pela internet.

Em relação a quem tem a obrigação de devolver o auxílio emergencial, estão aqueles que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 22.847,76 em 2020, incluindo o auxílio. É preciso fazer a devolução tanto de valores próprios, quanto de dependentes a serem indicados na declaração do imposto de renda deste ano. Essa regra está prevista na Lei nº 13.982, de 2 de abril de 2020, que regulamentou a primeira rodada do auxílio emergencial.

O segundo parágrafo do artigo 2º dessa lei diz que: “O beneficiário do auxílio emergencial que receba, no ano-calendário de 2020, outros rendimentos tributáveis em valor superior ao valor da primeira faixa da tabela progressiva anual do Imposto de Renda Pessoa Física fica obrigado a apresentar a Declaração de Ajuste Anual relativa ao exercício de 2021 e deverá acrescentar ao imposto devido o valor do referido auxílio recebido por ele ou por seus dependentes”.

Essa definição diz respeito apenas às parcelas de R$ 600, ou R$ 1200 no caso de mulheres chefes de família. O auxílio residual no valor de R$ 300, ou R$ 600 para mães solteiras, não precisa ser devolvido.

Como devolver o auxílio emergencial?

Há uma página do Ministério da Cidadania destinada a quem precisa devolver o auxílio emergencial. Trata-se do endereço: devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br.

Então, o primeiro passo para fazer a devolução do recebimento de valores indevidos, é acessar esse site. Para iniciar é necessário responder se é ou não um beneficiário do Bolsa Família. Nota-se que, quem não faz parte deste programa deve informar o CPF, ao passo que quem é integrante do Bolsa Família deve informar o NIS e o CPF.

vbnm.png
Site para devolução do auxílio emergencial

Na tela seguinte, preciso informar o CPF e a data de nascimento de quem irá devolver o dinheiro. Feito isso, deve-se clicar em “Consultar”.

Site para devolver auxílio emergencial
Site para devolução do auxílio emergencial

Em seguida, é preciso selecionar a opção de pagamento da guia de recolhimento, as alternativas são: “Banco do Brasil” ou “qualquer Banco”. No caso de escolher pelo Banco do Brasil, basta clicar em “Emitir GRU”. Já para o pagamento em qualquer banco, deve-se indicar o endereço após clicar em “Emitir GRU”.

Depois de emitir essa guia para devolver o auxílio emergencial, o pagamento pode ser de variadas formas. Seja pela internet, terminais de autoatendimento e guichês de caixa das agências. Nota-se que não há como parcelar a devolução.

Ademais, para quem está declarando o imposto de renda e recebe a notificação de que terá que devolver o auxílio emergencial, pode emitir um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) com os valores exatos, o seu preenchimento ocorre de modo automático.

O que acontece se não devolver o auxílio emergencial?

As pessoas que receberam o auxílio emergencial do ano passado de maneira indevida e não realizaram a devolução, podem ficar com dívida tributária. Além disso, no caso de não entregar a declaração do imposto de renda, ou entregar com atraso, será preciso arcar com multa.

Qual o prazo para a devolução?

Quem precisa devolver o seu auxílio emergencial e de seus dependentes têm até o final do prazo de entrega da declaração do imposto de renda de 2021. Inicialmente a data final era até 30 de abril, mas houve uma prorrogação. Os beneficiários têm até o dia 31 de maio para fazer isso.

Os contribuintes que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 22.847,76, incluindo o benefício, também devem declarar o auxílio emergencial no seu imposto de renda de 2021. Esses valores devem ser indicados na ficha de Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica.

Nota-se ainda que, quem foi beneficiário do auxílio emergencial do ano passado e recebeu rendimentos abaixo de R$ 22.847,76, não precisa declarar e nem devolver o benefício.

Como tirar informe de rendimentos do auxílio emergencial?

Para quem vai fazer a declaração do imposto de renda e deve devolver o auxílio, vale verificar o informe de rendimentos auxilio emergencial.

Para tirar esse documento, o cidadão deve acessar o Portal de Consulta ao Auxílio Emergencial da Dataprev. Feito isso, é preciso indicar o número de CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento. Ao clicar em “Enviar”, o próximo passo é clicar no link do informe de rendimentos.

Nessa consulta, também será possível visualizar os valores devolvidos, após o pagamento da GRU ou da Darf.

 

Leia também:

Recebeu auxílio emergencial? Veja como declarar no Imposto de Renda

Auxílio emergencial não caiu no Bolsa Família? Saiba o que fazer

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes