Empréstimo via maquininha para MEI: entenda como vai funcionar

A linha de crédito para microempreendedores tem como base a movimentação financeira pelas máquinas de cartão. A Peac Maquininha disponibiliza empréstimos de até R$ 50 mil.

A Peac Maquininhas, Programa Emergencial de Acesso ao Crédito – Maquininhas, é mais uma medida do governo  para conter os efeitos da crise econômica, agravada pela pandemia de Covid-19. A nova modalidade de crédito é exclusiva para Microempreendedores Individuais (MEIs) que utilizam as maquininhas de cartão para venda de produtos e serviços.

Contudo, quais são as vantagens de contratação da Peac Maquininhas? Para isso, o jornal DCI conversou com o diretor financeiro contábil da Tax Consulting Brasil, Rogério Laviano, sobre a nova linha de crédito.

O que é o Peac Maquininhas?

A Peac Maquininhas é a Medida Provisória (MP) que integra a Lei 14.042/2020, sancionada em agosto de 2020. Ao todo, cerca de R$ 10 bilhões foram liberados como forma de crédito para MEIs, Micro e Pequenas Empresas. Contudo, a modalidade de crédito tem como base de contratação a movimentação financeira de compra e venda por máquinas de cartão, as maquininhas.

A instituição responsável por coordenar o Programa é o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Dessa formas, os recursos serão liberados a partir da contratação de operação de crédito interna. Ou seja, por meio de contratos ou emissão de títulos da dívida pública.

Sendo assim, o diretor financeiro contábil, Rogério Laviano declara que o financiamento pelo governo é o grande diferencial em relação aos demais programas de acesso ao crédito.  “A vantagem dessa MP é que o governo vai financiar 100% do crédito“, declara. 

Além disso, Laviano destaca outras vantagens para a contratação da Peac Maquininhas. “O juros é extremamente convidativo e também o prazo. São 6 meses de prazo para que o empresário consiga se adequar e se preparar para a retomada [econômica]”, afirma. A microempresa pode solicitar o empréstimo de até R$ 50 mil de crédito, com  pagamento em 36 meses, sendo os primeiros 6 de carência, como explica o diretor financeiro. 

Pronampe versus Peac Maquininha: Qual é mais vantajoso?

Mesa com calculadora, papéis e canetas
Foto:pixabay

Assim como a Peac Maquininha, o Pronampe faz parte do pacote de medidas econômicas realizadas este ano. A linha de crédito destinada a micro e pequenas empresas, de faturamento até R$ 4,8 milhões por ano, não foi suficiente.

“O Pronampe é uma medida muito boa, só que não chegou em quem mais precisava. Esse foi o grande problema”, declara Rogério Laviano. Sendo assim, a Peac Maquininha pode facilitar o acesso ao empréstimo daqueles que não obtiveram a linha de crédito anterior.

Os requisitos para solicitação são semelhantes ao Pronampe, como ter tido faturamento de até R$ 4,8 milhões em 2019. E, destinado exclusivamente para microempreendedores individuais (MEIs), micro e pequenas empresas. Entretanto, para contratar a Peac, é necessário que:

  • os solicitantes tenham realizado vendas de bens ou prestações de serviços realizadas por meio de cartões de crédito, débito ou pré-pago; e
  • não tenham, na data da formalização do financiamento, operações de crédito ativas garantidas por recebíveis de cartões de crédito, débito ou pré-pago. 

“Se todo mundo tivesse acesso, é tão boa e até mais vantajosa que o Pronampe”, assegura Laviano em relação à nova linha de crédito, que tem como garantia as movimentações por máquinas de cartão. Ademais, a garantia de financiamento é inteiramente pelo governo como destaca o diretor financeiro. “Se o banco disponibilizar R$ 50 mil para uma microempresa e ela, porventura, não honrar com o pagamento, a instituição bancária não vai arcar com o prejuízo, mas é o governo que vai cobrir”, afirma.

Para Laviano, conseguir empréstimo pelo Peac Maquininha “é mais vantajoso que o Pronampe e vai girar mais rápido”, no sentido de retomada e, consequentemente, recuperação econômica. 

 

Situação do Micro e Pequenos Empresários

Fachada de comércio
Foto:pixabay

O fechamento de muitos comércios, como forma de conter a disseminação da Covid-19 agravou a economia e, consequentemente a sobrevivência de empresas, bem como a manutenção dos empregos. Segundo dados do IBGE, divulgados em setembro, há 12,9 milhões de desempregados no Brasil.

Acerca disso, Rogério Laviano destaca que medidas emergenciais são importantes, porém precisa-se garantir que atinjam quem mais necessita. “É importante ressaltar que, a exemplo de outras medidas que estiveram disponíveis para os empresários como o Pronampe, deve-se garantir que o valor chegue na ponta”, isto é, seja um auxílio efetivo para a cobertura de custos e gastos. “Muitas vezes, pequenos e médio empresários não têm acesso [ao crédito], devido a burocracia”, acrescenta. 

Além disso, para Laviano “hoje, respeitando todas as faixas de empresariado no Brasil, o pequeno [empresário] é quem empreende e emprega, sendo uma grande parcela da sociedade. Então, é necessário que ele tenha esse fôlego para que consiga sobreviver.”

Por fim, o diretor financeiro destaca que a inclusão de políticas econômicas, como as medidas emergenciais voltadas às micro e empresas de pequeno porte, pode resultar em algo duradouro e importante para a manutenção da economia brasileira nos próximos anos.

Hoje, não existe um plano muito eficaz em relação a empréstimo para pequeno empresário. Seria necessário que esse tipo de linha de crédito se torne permanente para garantir o giro e o empreendedorismo do Brasil. Sendo assim, uma garantia de sobrevivência das empresas e empregos também”, conclui.  

Fonte BNDES
Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

9 Comentários
  1. Avatar of alfeu
    Alfeu Diz

    Esse governo ta de brincadeira. O tanto de empresa Mei que tem no brasil e cada um com um funcionário registrado. Eu tentei pegar 15.000,00. Não consegui. Eles emprestam só pra quem tem dinheiro. Eles pega e empresta com juros a 5% ou mais. É outra balele. Bla bla bla. Conversa fiada.

  2. Avatar of eduardo
    eduardo Diz

    Os valores poderiam ser disponibilizados para MEI que não operam com maquininha. Tentei também o PRONAMPE porém se estiver negativado também não concedem o empréstimo, logo qualquer MEI que não opere com maquininha e que esteja negativado está fora, está apenas a condição de que Deus dará.

  3. Avatar of eduardo
    eduardo Diz

    Se o MEI não operar com maquininha e estiver negativado nem PEAC da maquininha e nem o PRONAMPE aceitam fazer o empréstimo ou seja está a Deus dara.

  4. Avatar of aline
    Aline Diz

    Como faz pra tentar pedir o empréstimo pela PAC maquininha ?

  5. Avatar of marta
    Marta Diz

    Ou seja, não é destinado a quem realmente precisa, o pequeno comerciante q está com dívidas a pagar ,sem capital de giro,enfim não tem onde recorrer 😏

  6. Avatar of davi
    Davi Diz

    Isso é balela. Só emprestam aos grandes. Tenho MEI a mais de 1 ano e meio. Nunca atrasei um DAS, não estou com meu CNPJ e nem CPF negativo e sempre quando faço uma solicitação nem se quer respondem. Isso que pedi 5mil reais para abastecer de mercadorias. Tudo conversa fiada. Se depender de ajuda do governo para crescer, esqueça!!

  7. Avatar of fábio
    Fábio Diz

    Esse negócio de empresto pra MEI não serve pra quem realmente precisa.
    Estou com meu MEI em dia infelizmente com restrição no CPF precisaria desse dinheiro para investir mais eles não facilitam em absolutamente em nada este empréstimo é pra quem não precisa é pra quem já tem dinheiro .

  8. Avatar of jorge
    Jorge Diz

    Minha empresa está OK. Continuo recolhendo impostos, mas nem implorando ao Itaú consegui empréstimo do Pronampe. Lamentável que ainda não contemple boa parte dos micro e pequenos empresários. O banco escolhe a quem oferecer……

  9. Avatar of delane
    Delane Diz

    Tentei empréstimo do pronampe, não consegui.tive que dispensar dois funcionários.
    Agora não tenho direito a pec das maquininhas porque tenho trava bancária , financiamento pela maquininha a juros absurdo.
    Teria como renegociar esse financiamento?