Petrobrás reduz preço da gasolina: o que muda na bomba?

Redução não deve impactar imediatamente o preço para o consumidor

A Petrobrás anunciou que vai reduzir o preço médio da gasolina nas refinarias a partir do dia 15 de dezembro. A redução de 3,13% é a primeira desde junho e, de lá para cá, o combustível já sofreu quatro reajustes. O novo valor é 10 centavos menor que o praticado até o momento. Pela quarta vez no ano, portanto, a Petrobrás reduz o preço da gasolina nas distribuidoras, mas como será que isso afeta o bolso do consumidor?

Petrobrás reduz o preço da gasolina em R$ 0,10

Considerando que a inflação da gasolina passa de 50% em 2021, a redução de R$ 0,10 no valor do combustível para as distribuidoras não deve impactar diretamente o que é cobrado pelos postos de combustíveis, já que os preços praticados dependem de outros fatores, como por exemplo o valor do etanol, que é misturado à gasolina, os impostos e a margem de lucro, tanto de quem distribui quanto de quem revende.

Na primeira semana de dezembro de 2021, o combustível chegou a registrar uma leve redução de preço, segundo um levantamento feito pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O mesmo aconteceu com o etanol. No entanto, só neste ano, a gasolina teve 11 aumentos contra quatro reduções e isso faz com que o combustível seja um dos principais vilões da inflação acumulada nos últimos 12 meses.

Resumidamente, portanto, a Petrobrás reduz o preço da gasolina agora mas, na prática, isso não deve mudar o valor que é cobrado nas bombas, pelo menos nas próximas semanas. A queda é pequena e provavelmente só vai alterar a margem de lucro das distribuidoras. Quando há reajuste, no entanto, os valores nas bombas também mudam.

Bolsonaro anunciou redução de preços

Petrobrás reduz preço gasolina
Presidente afirmou que estatal reduziria os preços – foto: reprodução/agência brasil

No início de dezembro, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou em entrevista que a Petrobrás começaria a anunciar queda no preço dos combustíveis a partir daquela semana. Porém, em nota, a estatal disse que não havia nenhuma decisão tomada nesse sentido e que não antecipava decisões sobre ajustes de preços.

Desde 2016, a Petrobrás orienta sua política de preços pela flutuação do preço do barril de petróleo no mercado internacional e também pelo câmbio. Por isso, agora, reduz o preço da gasolina. “Esse ajuste reflete, em parte, a evolução dos preços internacionais e da taxa de câmbio, que se estabilizaram em patamar inferior para a gasolina”, disse a estatal em nota divulgada nessa terça.

Combustíveis são os vilões da inflação

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,95% em novembro, uma leve redução em relação ao mês anterior, que registrou alta de 1,25%. No entanto, mesmo com essa pequena queda, a alta acumulada em 12 meses passa dos 10%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O IPCA é considerado a inflação oficial do país. A gasolina é um dos principais vilões da inflação, já que contribuiu com cerca de 2,49 pontos percentuais para o índice. A energia elétrica e o etanol também estão entre os itens acompanhados pelo IBGE que mais subiram de preço em 2021.

Você pode gostar também