Projeto de Lei quer ampliar prazo para pagamento do Simples Nacional

Projeto de Lei do Congresso prevê a necessidade de facilitar as cobranças de tributos do Simples Nacional para pequenos empresários devido à pandemia do Covid-19

Está tramitando no Congresso um projeto de lei que visa facilitar o pagamento do Simples Nacional para pequenos empresários devido à pandemia do Covid-19. O objetivo é dar mais tempo aos empreendedores para quitarem as dívidas com a União, Estados e municípios, com a possibilidade de parcelamento e sem acréscimos.

Apesar da retomada da Economia, prevista pelo Ministro, Paulo Guedes, a pasta reconhece a necessidade de afrouxar as cobranças dos tributos para que não os sobrecarregue com fatura dupla (passada e atual) em um momento que ainda pede atenção com as receitas e retomadas de negócios.

No início de abril, o governo havia consentido com a pausa de cobranças dos tributos referentes aos meses de março, abril e maio – mas, consideraram, na época, reavaliar os valores abertos ainda em 2020.  Segundo o Ministério da Economia, as parcelas devidas aos Estados e Municípios deveriam ser reembolsadas em julho, agosto e setembro.  E a parte referida da União, seria quitada nos meses de outubro, novembro e dezembro.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

De janeiro a agosto de 2020,o recolhimento do Imposto de Renda de Pessoas Jurídicas (IRPJ) e da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) por empresas do Simples Nacional ficou em R$ 6,885 bilhões, uma queda de 17,20% em comparação ao mesmo período no ano passado.

De acordo com dados da Receita Federal, o saldo total de tributos que tiveram cobranças adiadas até agosto de 2020 e que ainda não foram quitadas é de R$64,5 bilhões.

Novo prazo de pagamento do Simples Nacional

Com a nova proposta, as dívidas vencidas entre 1º de abril de 2020 e 30 de setembro de 2020 seriam recolhidas até 31 de janeiro de 2021 ou parceladas em prestações iguais a 0,3% da receita bruta verificada no mês anterior, desde que não haja irregularidades, como fraudes, por exemplo.

Já o microempreendedor individual (MEI) poderia dividir os débitos em até 60 parcelas, com valor mínimo mensal de R$10,00. Segundo ainda o projeto de lei, o prazo para o empresário optar pelos parcelamentos é até 31 de dezembro de 2020.

 

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes