Saiba quando volta a suspensão e bloqueio do Bolsa Família e do BPC

A decisão de adiar o prazo de suspensão dos benefícios sociais como Bolsa Família e BPC, que estava previsto para 90 dias, volta a partir do dia 31º de março. Beneficiários deverão atualizar os dados cadastrais no CadÚnico.

A partir do dia 31º março, quem não estiver com os dados cadastrais atualizados no aplicativo do Cadastro Único, corre o risco do bloqueio ou suspensão dos benefícios como Bolsa Família e BPC (Benefício Prestação Continuada). Isso porque o Ministério da Cidadania adiou a portaria nº 591, que suspendeu as revisões por 90 dias.

A decisão de adiar o prazo foi publicada no Diário Oficial no dia 4 de março, e teve como princípio a situação emergencial em que o país se encontra por causa da pandemia do novo coronavírus. A volta do auxílio emergencial, que ainda deve ser aprovado pela Câmara dos Deputados, também influenciou a retomada das atualizações dos Programas Sociais.

O que significa o adiamento da suspensão do Bolsa Família?

Até então, devido a portaria publicada no dia 19 de janeiro de 2021, nenhuma família que estivesse com o cadastro desatualizado precisaria atualizá-los para continuar recebendo o pagamento do benefício. Dessa forma, o governo havia suspendido as revisões e atualizações do Cadastro Único para evitar aglomerações nos centros de atendimentos.

Agora, o bloqueio, cancelamento ou suspensão do Bolsa Família e do BPC podem acontecer caso o beneficiário não atualize os seus dados cadastrais até o dia 31 de março de 2021.

Como atualizar o Cadastro Único na pandemia?

Homem segurando o celular aberto no aplicativo Meu CadÚnico para realizar consulta
Foto: reprodução
Leia também

Calendário do Bolsa Família; veja quando será o pagamento do…

Veja como fazer a consulta do auxílio emergencial pelo…

O responsável inscrito familiar no CadÚnico (Cadastro Único) deve atualizar o cadastro a cada dois anos ou sempre que houver alguma mudança no grupo familiar, como endereço, número de membros, renda, trabalho, entre outros. Normalmente, isso era feito presencialmente, mas com a pandemia, pode ser realizado através do site ou aplicativo do celular.

É por meio do Cadastro Único que o governo identifica quem são e como vivem as famílias de baixa renda no Brasil, de forma a torná-las aptas para participar de programas sociais como Bolsa Família, Tarifa Social de Energia Elétrica e Programa Minha Casa Minha Vida, além de possibilitar isenção de taxas como as cobradas em concursos públicos.

Suspensão do Bolsa Família e do BCP

A suspensão interrompe o pagamento dos benefícios por dois meses, mas não significa que ele é cancelado. No caso do Bolsa Família, ela ocorre normalmente quando a família descumpre alguma condicionalidade do programa, como, por exemplo, a atualização de mais um membro ou renda. Regularizado, o benefício volta a acontecer normalmente.

No caso do BCP, o aposentado que teve seu benefício suspenso ou cessado por falta de inscrição no Cadastro Único, tem o direito de solicitar o desbloqueio ou reativação junto ao INSS. Esse pedido deve ser feito exclusivamente por meio do site ou do aplicativo do Meu INSS.

Para saber se o seu cadastro do Bolsa Família está atualizado, o cidadão pode acessar o site “Consulta Cidadão – Cadastro Único”, que se trata de um serviço para emissão de comprovante de cadastro no sistema e também informa se é necessário realizar um recadastramento. No caso do BCP, é possível verificar através do aplicativo Meu INSS.

Leia também:

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes