Saiba quando volta a suspensão e bloqueio do Bolsa Família e do BPC

A decisão de adiar o prazo de suspensão dos benefícios sociais como Bolsa Família e BPC, que estava previsto para 90 dias, volta a partir do dia 31º de março. Beneficiários deverão atualizar os dados cadastrais no CadÚnico.

A partir do dia 31º março, quem não estiver com os dados cadastrais atualizados no aplicativo do Cadastro Único, corre o risco do bloqueio ou suspensão dos benefícios como Bolsa Família e BPC (Benefício Prestação Continuada). Isso porque o Ministério da Cidadania adiou a portaria nº 591, que suspendeu as revisões por 90 dias.

A decisão de adiar o prazo foi publicada no Diário Oficial no dia 4 de março, e teve como princípio a situação emergencial em que o país se encontra por causa da pandemia do novo coronavírus. A volta do auxílio emergencial, que ainda deve ser aprovado pela Câmara dos Deputados, também influenciou a retomada das atualizações dos Programas Sociais.

O que significa o adiamento da suspensão do Bolsa Família?

Até então, devido a portaria publicada no dia 19 de janeiro de 2021, nenhuma família que estivesse com o cadastro desatualizado precisaria atualizá-los para continuar recebendo o pagamento do benefício. Dessa forma, o governo havia suspendido as revisões e atualizações do Cadastro Único para evitar aglomerações nos centros de atendimentos.

Agora, o bloqueio, cancelamento ou suspensão do Bolsa Família e do BPC podem acontecer caso o beneficiário não atualize os seus dados cadastrais até o dia 31 de março de 2021.

Como atualizar o Cadastro Único na pandemia?

Homem segurando o celular aberto no aplicativo Meu CadÚnico para realizar consulta
Foto: reprodução

O responsável inscrito familiar no CadÚnico (Cadastro Único) deve atualizar o cadastro a cada dois anos ou sempre que houver alguma mudança no grupo familiar, como endereço, número de membros, renda, trabalho, entre outros. Normalmente, isso era feito presencialmente, mas com a pandemia, pode ser realizado através do site ou aplicativo do celular.

É por meio do Cadastro Único que o governo identifica quem são e como vivem as famílias de baixa renda no Brasil, de forma a torná-las aptas para participar de programas sociais como Bolsa Família, Tarifa Social de Energia Elétrica e Programa Minha Casa Minha Vida, além de possibilitar isenção de taxas como as cobradas em concursos públicos.

Suspensão do Bolsa Família e do BCP

A suspensão interrompe o pagamento dos benefícios por dois meses, mas não significa que ele é cancelado. No caso do Bolsa Família, ela ocorre normalmente quando a família descumpre alguma condicionalidade do programa, como, por exemplo, a atualização de mais um membro ou renda. Regularizado, o benefício volta a acontecer normalmente.

No caso do BCP, o aposentado que teve seu benefício suspenso ou cessado por falta de inscrição no Cadastro Único, tem o direito de solicitar o desbloqueio ou reativação junto ao INSS. Esse pedido deve ser feito exclusivamente por meio do site ou do aplicativo do Meu INSS.

Para saber se o seu cadastro do Bolsa Família está atualizado, o cidadão pode acessar o site “Consulta Cidadão – Cadastro Único”, que se trata de um serviço para emissão de comprovante de cadastro no sistema e também informa se é necessário realizar um recadastramento. No caso do BCP, é possível verificar através do aplicativo Meu INSS.

Leia também:

Você pode gostar também
buy cialis online