Salário mínimo deveria ter sido R$ 4.892,75 em setembro; indica Dieese

O valor estipulado corresponde a 4,68 vezes do salário mínimo atual, de R$ 1.045,00.

O salário mínimo ideal para o findo mês de setembro seria de R$ 4.892,75. Quem apontou isso foi o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Dessa forma, o valor estipulado corresponde a 4,68 vezes do salário mínimo atual, de R$ 1.045,00.

Esse cálculo é feito com base na cesta básica mais cara do mês, verificada na Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos (PNCBA). Além de levar em conta uma família de quatro pessoas, com dois adultos e duas crianças. Em setembro a cesta em questão foi localizada em Florianópolis, com o custo de R$ 582,40.

A saber, o Dieese é uma entidade mantida pelo movimento sindical brasileiro, que atua em pesquisa, assessoria e educação. Veja os valores calculados para o chamado “salário mínimo necessário” ao longo dos meses desse ano:

  • Setembro: R$ 4.892,75
  • Agosto: R$ 4.536,12
  • Julho: R$ 4.420,11
  • Junho: R$ 4.595,60
  • Maio: R$ 4.694,57
  • Abril: R$ 4.673,06
  • Março: R$ 4.483,20
  • Fevereiro: R$ 4.366,51
  • Janeiro: R$ 4.347,61

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Valores da Cesta básica

Nesse sentido, a PNCBA é realizada em 17 capitais e se trata de um levantamento acerca dos preços de um conjunto de alimentos considerados essenciais. Foi implantada inicialmente em São Paulo, em 1959. Usa como referência o Decreto Lei nº 399, que definiu a composição da cesta básica com 13 produtos em quantidade suficiente para sustentar durante um mês um trabalhador adulto.

Em razão da pandemia do novo coronavírus, a pesquisa suspendeu a coleta presencial de preços. Então, vem realizando uma tomada especial de preços à distância. Em setembro, houve trabalho presencial em São Paulo e Belém, com número reduzido de pesquisadores. Além disso, as feiras livres que costumam compor o levantamento não estão sendo analisadas.

Em São Paulo, a cesta teve o valor de R$ 563,35, uma alta de 4,33% em relação a agosto. Ademais, desde o início do ano o aumento foi de 11,22%. Houve alta de preços em todas as 17 cidades observadas. Florianópolis, que teve a cesta mais cara, apresentou também a maior variação, com alta de 9,8%. Em seguida aparece Salvador, cujo valor da cesta aumentou 9,7%, chegando a R$ 459,33.

Por fim, o estudo indicou ainda, que ao comparar o valor da cesta básica com o salário mínimo líquido, verifica-se que na média o trabalhador comprometeu mais da metade – 51,22% – desses R$ 1.045,00 para comprar alimentos básicos. No mês anterior o percentual ficou em 48,85%.

 

  • Então, saiba também qual deve ser o valor do salário mínimo em 2021.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes