Salário mínimo regional: veja qual o piso salarial do seu estado

Cinco estados não devem adotar o piso nacional, optando pelo salário mínimo regional. Entre eles, estão São Paulo e Rio de Janeiro

Na última sexta-feira (1), começou a valer a Medida Provisória que define o salário mínimo de 2021 em R$ 1.100. A medida foi anunciada por Jair Bolsonaro (sem partido) e publicada no Diário Oficial da União. Entretanto, cinco estados não devem adotar o valor, optando pelo salário mínimo regional. Entre os estados que estabelecerão  um piso estadual, de maior valor, com seu próprio salário mínimo estão: São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

Salário mínimo nos estados

Os valores regionais servem de referência aos trabalhadores do setor privado que pertencem a categorias não contempladas em acordos coletivos ou convenções, como domésticos. Eles servem como u mecanismo de distribuição de renda e melhoria de vida dos trabalhadores de acordo com a realidade de cada região. A medida, portanto, está prevista no 7º, inciso V da Constituição Federal e na Lei Complementar 103/2000. Segundo o G1, os valores do salário mínimo nos estados são:

  • Acre: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Alagoas: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Amapá: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Amazonas: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Bahia: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Ceará: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Distrito Federal: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Espírito Santo: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Goiás: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Maranhão: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Mato Grosso: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Mato Grosso do Sul: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Minas Gerais: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Pará: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Paraíba: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Paraná: Seguirá o índice de reajuste acrescido de 0,55%. Os valores de 2020 variaram entre R$ 1.383,80 e R$ 1.599,40;
  • Pernambuco: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Piauí: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Rio de Janeiro: Sem definição para 2021, hoje segue as faixas de R$ 1.238,11 até R$ 3.158,96;
  • Rio Grande do Sul: O piso para 2021 foi congelado, e deve ficar entre R$ 1.237,15 e R$ 1.567,81;
  • Santa Catarina: Terá a definição de um novo valor entre janeiro e fevereiro. Em 2020, adotou valores entre R$ 1.215 e R$ 1.391;
  • São Paulo: Ainda sem definição. Atualmente, conforme o piso de 2019, as faixas de rendimento estão entre R$ 1.163,55 e R$ 1.183,33;
  • Rio Grande do Norte: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Rondônia: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
    Roraima: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Sergipe: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal;
  • Tocantins: segue o valor do salário mínimo fixado pelo decreto federal.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Definição do salário mínimo nacional

Em suma, o salário mínimo nacional deste ano considerou apenas a projeção do Ministério da Economia para o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) de 5,26%. Ou seja, o mínimo subiria apenas para repor a inflação, sem aumento real.

A proposta inicial, apresentada em 15 de abril, previa do mínimo de R$ 1.079 em 2021, mas, com a aceleração da inflação — que em novembro foi a maior para o mês em cinco anos —, o governo decidiu subir o valor para R$ 1.088. Com o registro de fortes altas nos últimos meses de 2020, o INPC fechou em 5,26%, no valor de R$ 1.100. Sem o aumento real, o valor do salário mínimo não será adotado nos estados acima.

O salário mínimo nacional sofre um reajuste anual todo 1º de janeiro. Para efetuar o cálculo, dois índices devem ser considerados: Produto Interno Bruto (PIB) do ano retrasado e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a oscilação de preços, ou seja, a inflação em um período específico. O cálculo atual entrou em vigor em 2015, com a sanção da lei 13.152. Assim, soma-se o percentual de crescimento real do PIB com o INPC vigente, e o resultado é aplicado ao valor atual do salário mínimo. Caso o valor do PIB do país seja negativo, considera-se como zero no cálculo para evitar redução.

 

Evolução dos valores

  • 2004 – R$ 260
  • 2005 – R$ 300  – teve um aumento de 8,23%
  • 2006 – R$ 350 – o salário mínimo teve um aumento de 13,04%
  • 2007 – R$ 380 – aumento de 5,10%
  • 2008 – R$ 415 – aumento de 4,03%
  • 2009 – R$ 465 – aumento de 5,79%
  • 2010 – R$ 510  – salário mínimo teve um aumento de 6,02%
  • 2011 –  R$545 – aumento de 0,37%
  • 2012 – R$ 622 – aumento de 7,59%
  • 2013 – R$ 678 – aumento de 2,64%
  • 2014 – R$ 724 – aumento de 1,16%
  • 2015 – R$ 788 – aumento de 2,46%
  • 2016 – R$ 880 –  aumento de 0,36%
  • 2017 – R$ 937 – aumento de -0,10%
  • 2018 – R$ 954 – aumento de – 0,25%
  • 2019 – R$ 998 – aumento de 1,14%
  • 2020 – R$ 1.045 – sem aumento real
  • 2021 – R$ 1.100 (MP) – sem aumento real

 

Leia também:

Veja o que muda com o salário mínimo de 2021; valor é de R$ 1,1 mil

Governo define salário mínimo em 2021 de R$ 1.100

Informar Erro
Fonte G1

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes