Publicado em

A gestora Domo Invest vai realizar aportes em pequenas empresas nos próximos três anos. O montante faz parte do Fundo de Investimento em Participações (FIP) Anjo. Esta é a primeira carteira com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com o objetivo de incentivar companhias com faturamento anual inferior a R$ 1 milhão.

De acordo com um dos sócios da Domo Invest, Rodrigo Borges, que é um dos fundadores do Buscapé, a gestora vai realizar coinvestimentos com aceleradoras e investidores anjo. O aporte inicial em cada empresa nascente deve ser entre R$ 200 mil e R$ 1 milhão.

Com duração de dez anos, o fundo prevê que o primeiro triênio será para a realização dos investimentos. Borges diz que são R$ 40 milhões reservados para esses aportes iniciais, que devem contemplar ao menos 100 startups. As que tiverem melhor performance podem receber novos aportes, sendo que outros R$ 40 milhões são reservados para isso.

A partir do segundo investimento, as companhias já podem ter um faturamento anual superior a R$ 1 milhão. Outros 20% são reservados para as companhias com maior sucesso, embora nenhuma possa receber mais do que R$ 5 milhões. Apesar de não ter um valor fixo de participação, Borges conta que a intenção da gestora é ter um valor minoritário, abaixo dos 15%.

Há um filtro muito amplo para os empreendedores que queiram se candidatar para essa iniciativa, com setores como agronegócios, biotecnologia, cidades inteligentes, economia criativa e saúde.

Para se candidatar, os interessados devem cadastrar sua startup no site da gestora http://www.domoinvest.com.br/pt/home/