Certificado digital MEI: entenda para que serve e como emitir

O certificado digital MEI é um documento que permite realizar operações pela internet de forma segura.

O certificado digital MEI é um documento que permite realizar operações pela internet de forma segura. Além de garantir a validade jurídica da microempresa.

Através dele é possível realizar transações online com pessoas físicas e jurídicas, com proteção dos dados compartilhados por meio de uma criptografia. O que pode ser em forma de cartão magnético, token, pen drive ou arquivo.

Para que serve o certificado digital MEI?

De modo geral, o MEI não tem obrigação de adquirir um certificado digital. No entanto, a depender das regras de seu estado e município, ele pode precisar do documento para emitir Nota Fiscal Eletrônica.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Essa certificação também pode ser útil no caso do empreendedor ter ampla atuação em plataformas de e-commerce. Garantindo assim, vendas online mais seguras e práticas. Bem como, menor preocupação com fraudes e hackeamento.

Ademais, o certificado digital é uma das maneiras de comunicação com a Receita Federal. Para o recebimento de dados de cadastro e declarações, por exemplo.

Como emitir?

Para emitir seu certificado digital, o MEI deve entrar em contato com uma empresa autorizada a fazer o documento. Essa autoridade certificadora (AC) deve ter descrição na Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil). A qual é vinculada ao Instituto Nacional de Tecnologia da Informação. A saber, trata-se do sistema nacional de certificação digital.

A Serasa Experian e a Caixa Econômica Federal estão entre as instituições que oferecem o serviço. Nota-se que é preciso comprar o documento. Os preços variam de acordo com o tipo e a validade.

Depois de escolher a empresa e o tipo de documento, ocorre a validação dos dados da microempresa, que normalmente deve ser feita de forma presencial. Feito isso, o certificado poderá ser instalado em dispositivo do empreendedor. A empresa contratada dá orientações de como fazer isso e como usar o documento.

Então, para exemplificar, veja as opções oferecidas pela Serasa Experian:

  • e-CPF: identidade digital destinada a pessoas físicas;
  • e-CNPJ: a identidade de pessoas jurídicas e atrelado ao CNPJ;
  • NF-e: certificado digital para emitir notas fiscais eletrônicas.

Por fim, em relação às validades, elas variam de 12 a 36 meses. Os certificados em software valem 12 meses. Já os documentos em mídia física podem durar 12, 24 ou 36 meses.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes