É freelancer? 5 vantagens em prestar serviços como PJ

Modelo de contratação oferece benefícios para prestadores de serviço que desejam trabalhar com projetos maiores, mesmo que com prazo

Aos freelancers e trabalhadores de carteira assinada que estão pensando em começar a prestar serviços na modalidade de Pessoa Jurídica, devem considerar alguns pontos principais sobre a forma de contratação. Para tomar essa decisão, reunimos as principais considerações e vantagens do serviço PJ.

O que é um PJ?

O PJ (ou Pessoa Jurídica) é, na verdade, um modelo de contratação. Ou seja, há a formalização através de um contrato assinado com a empresa, mas sem vínculo empregatício. Dessa maneira, o prestador de serviços faz uma negociação entre as partes e a formalização contratual, onde ficará pré-estabelecido o serviço prestado e outros detalhes.

Entretanto, diferente do CLT, o salário acordado não tem descontos e não pode desfrutar de benefícios ou obrigações trabalhistas – 13º salário, vales, FGTS e outros. Assim, o prestador de serviços deve arcar com alguns custos. Por outro lado, ele deve cumprir apenas aquilo que foi estabelecido em contrato. Além disso, nada impede que a empresa não ofereça certos benefícios como medida de integração do PJ como um funcionário.

 

Principais diferenças entre PJ e CLT?

Fica sob a responsabilidade do PJ fazer a emissão de notas fiscais para os serviços prestados, além dos registros das movimentações em seu CNPJ. A modalidade, então, apresenta menores custos para as empresas, já que não envolve o recolhimento dos direitos do CLT. Os tributos que incidem sobre a contratação são menores, e traz mais flexibilidade.

 

Qual a diferença entre freelancer e PJ?

Em suma, um freelancer é pago por um único trabalho. Enquanto isso, o PJ presta um serviço contínuo e recebe o salário enquanto durar seu contrato. Mas nenhum deles possui um vínculo empregatício ou direito trabalhista.

 

1. Remuneração – Vantagens como PJ

A remuneração pode ser maior comparada ao do profissional CLT. Isso porque o profissional recebe a quantia proporcional a sua produtividade e não tem desconto sobre os valores. Contudo, isso deve ser avaliado pelo prestador de serviços.

 

2. Sem exclusividade

Não é preciso oferecer exclusividade nos seus serviços, podendo trabalhar para mais de uma empresa. Assim, o profissional pode aumentar seu faturamento e networking com suas diferentes fontes de renda.

 

3. Clientes

Os clientes são uma das principais vantagens do PJ. Da mesma maneira que o prestador de serviços não precisa de exclusividade, ele pode ter diversos clientes. Também é comum a contratação de serviços através de indicação de clientes.

 

4. Controle e flexibilidade

O PJ tem maior flexibilidade na decisão dos seus horários, na negociação da prestação de serviços, na escolha dos trabalhos, nas ponderações sobre o contrato e outras coisas mais.  Enquanto isso demanda mais controle e responsabilidade, também deixa o prestador de serviços mais livre.

 

5. Contrato

Diferente daqueles que atuam como freelancer, aqueles que prestam serviço como PJ tem a vantagem de formalizar os acordos. Isso garante uma proteção ao prestador de serviços, que deve cumprir os acordos e pode exigir o cumprimento por parte da empresa contratante. Assim, é uma forma de trabalho mais segura e que resguarda os acordos entre os pares.

 

O que o PJ deve ficar atento?

Assim como nos casos daqueles que escolhem se manter freelancers, o controle financeiro é o principal foco. Estar atento as obrigações, como nos casos dos Microempreendedores Individuais que devem gerar notas fiscais para empresas, guardá-las, fazer a declaração anual e realizar o pagamento mensal da DAS. Além disso, atenção na hora da formulação do contrato.

 

Leia também:

CLT e PJ: saiba quais são as diferenças na hora da contratação

Quanto o MEI recebe de aposentadoria com a contribuição do INSS?

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.