Eleições do Corinthians: quando é, como funciona e quem está na disputa

Além do novo presidente, as eleições do Corinthians também vão definir os membros do conselho para o próximo triênio; saiba todos os detalhes

Os sócios do Corinthians se preparam para eleger o novo presidente e os membros do Conselho Deliberativo nas eleições para o próximo triênio. Assim, os candidatos eleitos terão mandato válido até 2023.

As eleições do Corinthians estão marcadas para o dia 28 de novembro, que cai em um sábado. A votação começa às 9 horas da manhã e vai até as 17 horas, no ginásio do Parque São Jorge. Desta vez, as urnas eletrônicas darão lugar a cédulas de papel, porque o clube não conseguiu o empréstimo dos equipamentos junto ao TRE.

Nas eleições passadas, realizadas em 2018, Andrés Sanchez assumiu a presidência do Corinthians em um processo conturbado. Afinal, houve acusações de compra de votos devido a uma campanha de anistia a sócios inadimplentes. Neste ano, portanto, a Comissão Eleitoral definiu uma série de novas regras para evitar polêmicas. Entre elas, a proibição de concessão de anistia nos 12 meses anteriores ao pleito.

Eleições do Corinthians: como funciona

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Para votar nas eleições do Corinthians, é preciso ser sócio há pelo menos cinco anos e estar com as mensalidades em dia. Os eleitores, então, deverão escolher uma das três chapas que concorrem à presidência do clube. Elas são compostas por três membros: o candidato a Presidente da Diretoria, além do primeiro e o segundo vice-presidentes.

Além disso, os sócios também votarão em chapas para eleger os membros do Conselho Deliberativo. Antes, os candidatos se organizavam em “chapões” de 200 conselheiros. Agora, haverá 19 “chapinhas” de 25 integrantes. Assim, as oito mais votadas tomarão posse, e outras duas formarão o corpo de suplentes.

Candidatos à presidência do Corinthians

As eleições do Corinthians em 2020 terão três candidatos à presidência. Mário Gobbi, Duilio Monteiro Alves e Augusto Melo estão na disputa pelo cargo. Conheça a seguir, portanto, um pouco mais sobre cada um deles.

Duilio Monteiro Alves

Diretor de futebol na última gestão de Andrés Sanchez, Duilio Monteiro Alves, de 45 anos, se apresenta como o candidato da situação no Corinthians. No entanto, ele já avisou que Andrés não deverá fazer parte de sua administração caso seja eleito.

Duilio é filho de Adilson Monteiro Alves, que foi diretor do clube na época da Democracia Corinthiana, nos anos 1980. Entre 2012 e 2015, durante a gestão do hoje adversário Mário Gobbi, ele já tinha trabalhado como diretor-adjunto de futebol.

Mário Gobbi

Eleito presidente do clube em 2012, Mário Gobbi foi o sucessor do primeiro mandato de Andrés Sanchez e estava no comando do clube durante a conquista da Libertadores e do Mundial. Ele pertencia ao grupo político de Andrés, o “Renovação e Transparência”, mas rompeu com os antigos aliados e virou oposição. Aliás,  Gobbi contará com o apoio de Paulo Garcia, um dos donos da Kalunga, que desistiu de tentar disputar as eleições do Corinthians

Delegado de polícia, Mário Gobbi tem 59 anos e ocupa o cargo de conselheiro vitalício do Corinthians. “Essa gestão é o maior desafio da história do Corinthians, é o maior desafio da minha vida”, declarou Gobbi no lançamento da candidatura. “Já temos uma equipe pronta, contratada do mercado, chega de amadores para lidar com questões técnicas. Queremos resgatar a credibilidade do clube”, completou.

Augusto Melo

Ex-empresário de 54 anos, Augusto Melo trabalhou como assessor nas categorias de base do Corinthians entre 2015 e 2016, na gestão do presidente Roberto de Andrade. Em entrevista para o GE.com, o candidato prometeu reativar o Centro de Inteligência do Futebol (CIFUT). Além disso, afirmou que negocia com duas empresas para a organização de eventos na Neo Química Arena em dias sem jogos. “Minhas principais propostas são profissionalizar o clube, implementar um programa de compliance”, acrescentou.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes