Esposa de Michael Schumacher quebra o silêncio sobre saúde do piloto

Documentário sobre a carreira e conquistas do heptacampeão deve estrear na Netflix no dia 15 de setembro

Sete anos depois do grave acidente do piloto da Fórmula 1, Michael Schumacher, a esposa Corinna Betsch quebrou o silêncio a falou sobre o estado de saúde de um dos maiores profissionais da modalidade na história do esporte. A entrevista foi concedida para a Netflix, serviço de streaming que produz neste momento um documentário sobre a história e trajetória do heptacampeão.

Esposa de Schumacher fala sobre o estado de saúde do piloto

Depois de anos sem notícias e declarações sobre o estado de saúde de Michael Schumacher, um dos maiores vencedores da Fórmula 1, a esposa Corinna Betsch, decidiu quebrar o silêncio. De acordo com o portal Race Fans, em entrevista concedida ao Netflix, devido ao documentário que está sendo produzido sobre a vida do piloto, Corinna falou sobre a condição do marido e o desejo de privacidade em sua família.

“É claro que sinto falta de Michael todos os dias. Mas não sou só eu que sinto falta dele: os filhos, a família, o pai dele, todos ao seu redor. Todo mundo sente falta de Michael, mas Michael está aqui. Diferente, mas ele está aqui, e isso nos dá força, eu acho. Estamos juntos. Moramos juntos em casa, fazemos terapia”.

Fazemos tudo o que podemos para tornar Michael melhor e para nos certificarmos de que ele se sinta confortável e simplesmente fazê-lo sentir nossa família, nosso vínculo. E não importa o que aconteça, farei tudo o que puder.

Todos nós iremos. Estamos tentando continuar como família do jeito que Michael gostava e ainda faz. E estamos seguindo com nossas vidas. ‘Privado é privado’, ele sempre dizia. É muito importante para mim que ele possa continuar a desfrutar de sua vida privada tanto quanto possível, Michael sempre nos protegeu, agora estamos protegendo Michael”.

Schumacher e Corinna tem dois filhos: Gina-Maria e Mick. O filho de Schumacher atualmente é piloto da Haas na elite da Fórmula 1. Mick também falou sobre o estado de seu pai e como se sente com tudo o que vem acontecendo nos últimos anos, principalmente a falta que sente de momentos entre pai e filho.

“Desde o acidente, esses momentos que acredito que muitas pessoas passam com os pais não estão mais presentes, ou em menor grau, e a meu ver isso é um pouco injusto. Acho que pai e eu nos entenderíamos de uma forma diferente agora, simplesmente porque falamos uma linguagem semelhante, a linguagem do automobilismo, e sobre o qual teríamos muito mais o que conversar. E é aí que minha cabeça está na maior parte do tempo, pensando que seria muito legal. Eu desistiria de tudo só por isso”.

Schumacher e a esposa em clique. Foto: Instagram Reprodução / @michaelschumacher

O que aconteceu com Schumacher?

Em dezembro de 2013, Schumacher sofreu um grave acidente enquanto esquiava na cidade de Meribel, na França. O ex-piloto caiu e bateu a cabeça em uma pedra, causando lesões cerebrais provocadas pelo choque. O episódio chamou a atenção do mundo, mobilizando apaixonados pela modalidade em orações para o grandioso piloto.

Desde o acidente, Schumacher passou seis meses internado na França e, logo após sair do coma, foi transferido para a Suíça com a família para ficar aos cuidados. Entretanto, desde então, poucas notícias foram dadas oficialmente para manter a privacidade do piloto.

Carreira e números de Michael Schumacher

Nascido em Hürth, pequena cidade da região de Rhein-Erft-Kreis na Alemanha, Schumacher iniciou a sua trajetória cedo. Entre 1991 e 1995, dirigiu pela Jordan e Benetton. No ano seguinte, em 1996, transferiu-se para a Ferrari, onde tornou-se um dos maiores vitoriosos da história da Fórmula 1. Em 1991, depois que Bertrand Gachot foi preso na última hora, o alemão substituiu o piloto na Spa-Francorchamps, na Bélgica, pela Jordan. Esta é a estreia do astro na elite.

Por fim, em 22 de outubro de 2006, Schumacher fez a sua última corrida da carreira e, coincidentemente, aconteceu no Grande Prêmio do Brasil, em Interlagos, São Paulo. Entretanto, em 2010 ele foi anunciado pela Mercedes e retornou para a modalidade, sendo substituído por Lewis Hamilton. Hoje, com 52 anos, poucas notícias após o acidente são dadas sobre a condição e saúde do piloto. Mas o que importa são as grandes conquistas que ficaram marcadas na história do automobilismo.

Ao lado de Lewis Hamilton, o piloto alemão detém 7 títulos mundiais da Fórmula 1, conquistados em 1994, 1995, 2000, 2001, 2002, 2003 e 2004. Além disso, conta com 91 vitórias ao longo da carreira, 155 pódios e 68 pole positions

Leia também – Maiores campeões da Fórmula 1: confira quem lidera o ranking

Você pode gostar também
buy cialis online