Copa Toyota não é Mundial? Entenda a polêmica

Flamengo, Grêmio e São Paulo conquistaram títulos mundiais através da Copa Toyota, reconhecido pela FIFA

O Mundial de Clubes é celebrado por torcedores que acompanham os seus times em busca do título de melhor elenco do mundo. Idealizado pela FIFA, o torneio já passou por diferentes etapas na história, causando até mesmo confusão entre o público sobre o que é ou não é considerado parte da competição, como Mundial Interclubes, Intercontinental e Copa Toyota. Afinal, é ou não é Mundial? Entenda a história.

Copa Toyota não é Mundial? Conheça a história do torneio

Sim, a Copa Toyota é reconhecida pela FIFA como título de Mundial de Clubes, tendo os times brasileiros Flamengo, Grêmio e São Paulo como vencedores entre os anos de 1981 até 1993. Porém, para entender melhor o que é a Copa Toyota, é preciso conhecer a história do torneio.

O Mundial de Clubes surgiu primeiramente no cenário do futebol intitulada de Copa Intercontinental, ou Copa Europeia Sul-Americana, onde o campeão sul-americano enfrentava o campeão europeu em jogos de ida e volta, cada um em seu continente e, por fim, se necessário o desempate como terceiro jogo. O torneio durou entre 1961 até 1979.

Em 1980, surgiu a Copa Toyota depois que a montadora de automóveis decidiu comprar os direitos da competição, passando a ser disputada em jogo único no Estádio Olímpico de Tóquio até 2001 e depois o Estádio Internacional de Yokohama até 2004, quando o Toyota chegou ao fim.

A partir daí, em 2000, a FIFA tomou conta do torneio e optou por criar um campeonato maior com mais campeões ao redor do mundo, intitulado de Mundial de Clubes. Em sua primeira edição, o Brasil sediou o evento com as participações de Corinthians, Vasco, Al-Nassr, Raja Casablanca, Necaxa, South Melborne, Manchester United e Real Madrid, sendo estres campeões de seus continentes e convidados, onde o Corinthians consagrou-se campeão.

Somente a partir de 2014 é que a FIFA optou por criar um novo modelo para atender as demandas dos torcedores que acompanham a disputa, utilizando o formato mata-mata e deixando de lado a ideia de grupos. Hoje, a competição do Mundial mantém este formato, onde cada vencedor dos continentes disputam o título.

FIFA reconhece campeões de Intercontinentais

Em outubro de 2017, através de Conselho realizado em Calcutá, na Índia, a FIFA decidiu reconhecer como título do Mundial os vencedores dos Intercontinentais de 1960 a 2004, incluindo os títulos dos brasileiros Santos, Flamengo, Grêmio e São Paulo mesmo os torneios não sendo realizados pela própria entidade na época.

O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, foi o responsável por fazer o pedido ao presidente da FIFA, Gianni Infantino. Em seguida, o comandante da entidade sul-americana publicou a carta que oficializa o reconhecimento das equipes.

Copa toyota não é mundial
Carta feita pelo presidente da fifa. Foto: reprodução / twitter

Em site oficial, FIFA só divulga campeões recentes

Mesmo depois de ter reconhecido oficialmente os campeões Intercontinentais dos anos anteriores, a FIFA continuou a causar polêmica com o assunto do Mundial de Clubes. Na aba do torneio em seu site oficial, a entidade disponibiliza somente os campeões dos anos 2000 até 2020, isto é, quando tomou conta da competição e começou a organizar de maneira oficial.

A ação chegou a deixar torcedores confusos, já que os campeões ganharam o reconhecimento oficial.

Copa toyota não é mundial
Site da fifa disponibiliza campeões. Foto: reprodução / fifa. Com

Quem são os campeões do Mundial?

Para conhecer a história do Mundial, também é preciso saber quem são os vencedores de todos os anos. Os brasileiros que representam na lista são Santos, São Paulo, Flamengo e Grêmio, enquanto os argentinos saem na frente.

Confira todos os campeões dos antigos mundiais de clubes.

 

Copa Intercontinental

1960 – Real Madrid
1961 – Peñarol
1962 – Santos
1963 – Santos
1964 – Inter de Milão
1965 – Inter de Milão
1966 – Peñarol
1967 – Racing
1968 – Estudiantes
1969 – Milan
1970 – Feyenoord
1971 – Nacional do Uruguai
1972 – Ajax
1973 – Independiente
1974 – Atlético de Madrid
1975 – TORNEIO NÃO ACONTECEU
1976 – Bayern de Munique
1977 – Boca Juniors
1978 – TORNEIO NÃO ACONTECEU
1979 – Olímpia

 

Copa Toyota 
1980 – Nacional do Uruguai
1981 – Flamengo
1982 – Peñarol
1983 – Grêmio
1984 – Independiente
1985 – Juventus
1986 – River Plate
1987 – Porto
1988 – Nacional do Uruguai
1989 – Milan
1990 – Milan
1991 – Crvena Zvezda
1992 – São Paulo
1993 – São Paulo
1994 – Vélez Sarsfield
1995 – Ajax
1996 – Juventus
1997 – Borussia Dortmund
1998 – Real Madrid
1999 – Manchester United
2000 – Boca Juniors
2001 – Bayern de Munique
2002 – Real Madrid
2003 – Boca Juniors
2004 – Porto

 

Mundial de Clubes da FIFA

2005 – São Paulo
2006 – Internacional
2007 – Milan
2008 – Manchester United
2009 – Barcelona
2010 – Inter de Milão
2011 – Barcelona
2012 – Corinthians
2013 – Bayern de Munique
2014 – Real Madrid
2015 – Barcelona
2016 – Real Madrid
2017 – Real Madrid
2018 – Real Madrid
2019 – Liverpool
2020 – Bayern de Munique

Como funciona o Mundial de Clubes hoje?

Diferente dos anos anteriores, o Mundial recebe um representante de cada continente, modelo adotado desde 2000 com a ideia da FIFA. Ao todo, são sete os times que jogam, sendo o convidado do país-sede, da Oceania, África, Ásia, Europa, América do Sul e América do Norte e Caribe.

O playoff, disputado com o time do país-sede e o representante da Oceania, define quem avança até as quartas de final. Com hierarquias diferentes, clubes escolhidos entram na disputa somente nas semifinais enquanto outros jogam os primeiros jogos.

Dessa maneira, dois confrontos únicos acontecem onde quem vencer segue até a semifinal e quem perder disputa o 5º lugar. Assim, os vencedores de cada semifinal tornam-se os finalistas para brigar  pelo título de melhor equipe do mundo assim como determina a FIFA. Por fim, os perdedores batalham para herdar o terceiro lugar.

 

Leia também:

Chaveamento do mundial de clubes 2021, data e local do torneio

Você pode gostar também