Sem Copinha em 2021, relembre os campeões inesperados do torneio

Edição de 2021 da Copinha foi cancelada, mas o torneio faz falta no calendário e já revelou craques em finais que ficaram para a história

Cancelada em 2021 por causa da pandemia, a Copa São Paulo de Futebol Júnior, também conhecida como Copinha, sempre foi garantia de jogos emocionantes durante as férias dos times profissionais.

Assim, embora o Brasileirão da Série A e a Libertadores continuem no começo de 2021, a Copinha ainda faz falta. Não só para os torcedores, mas principalmente para os jovens jogadores que tinham na competição uma oportunidade única para ganhar visibilidade.

Afinal, a Copinha já revelou craques como Raí, Rogério Ceni, Djalminha, Kaká, Luizão e Dener. E os campeões nem sempre obedeceram a hierarquia do futebol nacional. As decisões do torneio, realizadas em jogo único, costumam proporcionar surpresas e muitas emoções.

Copinha cancelada em 2021

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Em 2021, será a segunda vez que o mês de janeiro ficará sem Copinha. Em 1987, a competição não foi realizada por falta de repasse de recursos pela prefeitura. Neste ano, devido à pandemia de covid-19, a Federação Paulista de Futebol argumentou que “mesmo um rigoroso protocolo de saúde não seria o suficiente para garantir segurança a atletas, árbitros e demais profissionais envolvidos nos jogos, além da população das cidades-sede”.

Sem Copinha, o dia 25 de janeiro de 2021 será um pouco diferente, pois as finais do torneio sempre acontecem no dia do aniversário de São Paulo, no estádio do Pacaembu. Até chegar ao grande palco decisão, os finalistas deixam para trás mais de 120 clubes em uma das maiores competições do país.

Finais históricas da Copinha

Descobrir os novos talentos do seu time, assistir a uma decisão por pênaltis no meio da tarde, torcer por um clube que você nunca ouviu falar e que está dando trabalho para os grandes… A Copinha faz falta por muitos motivos. Para matar a saudade, relembre os campeões mais inesperados do torneio, que contrariaram todas as apostas na final.

Santo André x Palmeiras

Santo André campeão da Copinha de 2003
Divulgação

Em 2003, o Palmeiras esteve perto de quebrar o tabu de nunca ter conquistado um título da Copinha. Quando Vágner Love fez 2 a 0 na final contra o Santo André aos 25 minutos do segundo tempo, parecia que nada mais poderia tirar a taça do Verdão. Mas o time do ABC diminuiu três minutos depois, e empatou o jogo aos 44 do segundo tempo. Na decisão por pênaltis, o Santo André converteu todas as cinco cobranças e ficou com a taça. Richarlyson, ex-São Paulo, estava no elenco do time campeão. Já o Palmeiras continua sem título da Copinha, e nunca mais chegou à final desde então.

Roma Barueri x São Paulo

O título da Copinha de 2001 foi o grande feito da história do time que hoje se chama Roma Esporte Apucarana. Aliás, aquela não foi uma final qualquer. Afinal, não é todo dia que uma decisão de campeonato termina empatada em 4 a 4.

Com Kaká no elenco, o São Paulo logo abriu 2 a 0, mas tomou o empate. Fez 3 a 2, mas o Roma reagiu de novo. Quando o tricolor fez 4 a 3 faltando dois minutos para o fim, parecia que o título estava garantido. Só que o Roma empatou no minuto seguinte. Na decisão por pênaltis, o time de Barueri venceu por 6 a 5.

Lousano Paulista x Corinthians

Maior campeão da Copinha com 10 títulos até 2021, o Corinthians era o favorito na final de 1997 contra o Lousano Paulista, hoje Paulista de Jundiaí. O alvinegro tinha o meia Deco, que anos depois faria história no Barcelona. Mas o Lousano Paulista chegou à final embalado após eliminar São Paulo e Santos. O jogo terminou empatado em 1 a 1, e o Lousano venceu nos pênaltis por 4 a 3.

Lousano Paulista campeão da Copinha de 1997
Reprodução

Guarani x São Paulo

Em 1994, o São Paulo era o campeão vigente e chegou à final da Copinha invicto. Assim, o tricolor era o favorito contra o Guarani, que passou sufoco na primeira fase e avançou à final após vencer duas disputas de pênaltis. A partida terminou empatada em 1 a 1, e lá foi o Guarani de novo para outra decisão por pênaltis, desta vez valendo título. Com três defesas do goleiro Pitarelli, o time de Campinas assegurou seu primeiro troféu da competição.

Marília x Fluminense

Em 1979, o Fluminense já era tricampeão da Copinha, e chegou à final como favorito diante do Marília. Mas o time do interior surpreendeu e venceu por 2 a 1 para ficar com o título.

Nacional x Internacional

Como não houve Copinha em 2021, o Internacional será o campeão vigente por mais um ano. Afinal, na última edição, o Colorado derrotou o Grêmio na final e assegurou seu quinto título do torneio. Mas, na primeira vez em que chegou à decisão, a história foi bem diferente.

Em 1972, o Internacional de Escurinho e Paulo Roberto Falcão enfrentou o Nacional na primeira decisão da Copinha realizada no Pacaembu. O time da Barra Funda já havia deixado Corinthians e São Paulo pelo caminho. E não se intimidou diante do time gaúcho: venceu por 2 a 1 e assegurou seu primeiro título na competição.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes