História do Barcelona: o clube que revolucionou o futebol

No ano em que completa 121 anos, a equipe catalã tem uma história memorável. O FC Barcelona percorreu um longo caminho desde a sua fundação em 1899

No dia 29 de novembro de 2020, o Futebol Clube Barcelona completa 121 anos, repletas de acontecimentos marcantes, craques, futebol ofensivo e inovador. Aqueles que acompanham e admiram o ‘Barça’ se emocionam por tudo que o clube viveu. Então, acompanhe a seguir a história do Barcelona e os momentos mais marcantes de sua trajetória.

Joan Gamper, o fundador do Barcelona

Nascido Hans Kamper em 1877 em Winterthur, Suíça, ele levou uma vida cheia de realizações, incluindo a fundação de dois dos maiores clubes de sua terra natal, a Suíça – FC Basel e FC Zurich, e se tornou o capitão do RotBlau antes de completar 20 anos. Numa época em que todo o esporte era praticado por amadores e ganhava dinheiro com o que era para todos os efeitos, uma atividade de lazer estava fora de questão, Hans Kamper partiu para a África, como tantos europeus de seu tempo, para viver do comércio de açúcar o negócio.

Ele fez um desvio em Barcelona para conhecer seu tio, mas se apaixonou pela cidade e nunca chegou à África. Seu amor pela Catalunha o levou a aprender catalão antes de aprender espanhol e depois mudou seu nome para um som mais catalão, Joan Gamper.

Início do Barça

No dia 29 de novembro de 1899, Gamper e mais 11 jovens fundaram o FC Barcelona. O intuito do clube era ser democrático e socialmente inclusivo, isto é, as pessoas podiam propor ideias e participar do crescimento do time.

Talvez, como homenagem ao vermelho e azul do FC Basel, o clube da cidade natal de Gamper, tenha sido escolhido como as cores oficiais do novo clube catalão

Imagem mostra a equipe do Barcelona em 1939, no campo de jogo

Jogadores do Barcelona enfileirados pré jogo/ Divulgação Barcelona

Dentro de uma década após a fundação, as coisas ficaram difíceis para o clube; com as finanças em uma bagunça, havia uma grande probabilidade de o clube desistir de sua infância. As atuações da equipe em campo também sofreram e passaram quatro anos sem troféu. Era demais para Gamper suportar e ele não podia ver seu sonho se desenrolar diante de si. Tomando o assunto em suas mãos, ele se tornou presidente do clube pela primeira vez em 1908, aos 31 anos de idade, e ocupou a presidência por cinco mandatos durante os próximos 15 anos. Com Gamper no comando, o sucesso logo se seguiu e o clube deu passos rápidos dentro e fora do campo.

Primeiros ídolos da história do Barcelona

O olhar atento de Gamper o viu assinar com o prodígio Paulino Alcántara, de 15 anos, o homem que se tornou o maior goleador de todos os tempos do Barcelona até Messi fazer o seu próprio recorde . Em 1917, ele contratou o inglês Jack Greenwell como técnico e, junto com Alcántara, contrataram jogadores do calibre de Ricardo Zamora, Josep Samitier, Félix Sesúmaga e Franz Platko, que se tornaram lendas do clube. Durante esse período, o Barcelona ganhou onze Campeões da Catalunha , seis troféus da Copa del Rey e quatro Coupe de Pyrenées, desfrutando assim de sua primeira era de ouro. Com sucesso, aumentou o número de associados e as receitas e, como resultado, em 1922, o clube mudou-se para Les Corts , o estádio que o clube chamou de lar pelos próximos 35 anos.

No ano seguinte foi criada a La Liga, na época os clubes não davam prioridade para a competição, pois acreditavam que a Copa da Catalunha era mais importante. Entretanto com 25 pontos, dois a mais que o Real Madrid, o Barcelona conquistou o primeiro campeonato. Com a conquista a equipe catalã fechou a década de 1920 – 1930 com 14 títulos, (uma La Liga, oito campeonatos da Catalunha e cinco copas do Rei).

Imagem mostra o antigo estadio Les Corts

Estádio Les Corts, casa do Barcelona até a criação do Camp Nou

 

Guerra civil espanhola e o adeus a Gamper

Juntamente com a ascensão e o sucesso desse símbolo catalão, o cenário político estava mudando bastante na Espanha.

Durante uma partida em Les Corts em 24 de junho de 1925, os torcedores catalães, em uma demonstração de desafio à ditadura de Primo de Rivera, zombaram do hino nacional espanhol e aplaudiram “God Save the Queen”, interpretado por uma banda britânica da Marinha Real britânica. Não foi nada bom com o ditador eminente que acusou Gamper de promover o nacionalismo catalão e o forçou ao exílio. Para agravar sua miséria, ele ordenou que Les Corts ficasse por seis meses. Como condição para o retorno de Gamper, ele foi forçado a evitar todos os contatos. com o clube.

A imagem mostra a torcida do Barcelona protestando
Torcida do Barcelona em protesto contra a Espanha.

Este foi o começo de uma espiral descendente para Gamper, a depressão em que ele se encontrava devido a ser forçado a se afastar de seu clube foi agravada pelo colapso econômico global de 1929 que destruiu seus negócios. Isso era demais para ele suportar, um ano depois ele se suicidou. É uma coincidência estranha que o homem que amou tanto o belo jogo tenha morrido no dia da primeira final da Copa do Mundo da FIFA.

Lembrado até os dias de hoje como um ideólogo liberal que defendia a independência catalã, o Barça convida um clube conhecido para um amistoso todo mês de agosto antes do início da Liga e o vencedor recebe o troféu Joan Gamper.

Imagem mostra Messi levantando a taça do Trefeú Joan Gamper
Desde 1966 o fundador do Barcelona é homenageado com um jogo pré-temporada.

História do Barcelona e seu declínio

Seis anos após a morte de Joan Gamper, o presidente do clube Suñol foi assassinado por militares da Espanha Fascista. A derrota do clube em uma época de pouco futebol e muita guerra foi decretada após o bombardeio aéreo em sua sede oficial.

Como resultado, o Barça não conquistou nenhum título naquela década. Muitos jogadores deixaram o clube e ninguém queria manchar sua imagem por jogar em um clube que era contra as autoridades. A partir da temporada de 1936/37, o campeonato espanhol foi cancelado devido à guerra. Barcelona estava prestes a desaparecer, pois a economia era fatal e eles viviam sob a pressão das tropas de Franco. Até que uma turnê foi organizada na América, foi isso que salvou o clube. Como conseqüência, os blaugranas chegaram a um ponto de desespero que consideravam se estabelecer nos Estados Unidos como uma nova franquia.

O Barcelona precisou de ajuda de políticos mexicanos para se reerguer, além de contar com ídolos antigos para montar uma nova equipe. Duas décadas depois foi construído o Camp Nou, onde até hoje a história do Barcelona é construída.

Embora o Barcelona tenha conquistado a história ao se tornar o primeiro time a derrotar o Real Madrid na Copa da Europa , os anos 60 como um todo foram em grande parte um momento decepcionante para os torcedores do clube. Com Di Stefano no auge, o Real Madrid era um oponente muito forte e o Barcelona teve que se contentar com dois troféus da Copa del Rey pela década.

 

História do Barcelona  e Johan Cruyff

Imagem mostra Johan Cruyff no Barcelona
Johan Cruyff modernizou o futebol do Barcelona, anos depois voltou como técnico

Johan Cruyff é o personagem mais icônico e importante da história de Barcelona. Primeiro como jogador, depois como treinador. Cruyff contribuiu significativamente para o clube catalão para alcançar a grandeza que atualmente possui. De fato, o ano de 1973 marcou o início do sucesso, com a chegada do então atacante da seleção holandesa.

Considerado um homem que se tornou um ícone dentro e fora do campo e que ajudou a instilar a filosofia ensinada aos jovens em La Masía por vários anos, é difícil falar sobre a história do Barcelona sem nomeá-lo. Para ter ideia, o atleta chegou a ser comparado com Pelé.

Antes, o Barça era uma equipe inconsistente. Era importante na Espanha, mas não tinha um domínio hegemônico na Europa. Cruyff protagonizou gols antológicos, como o de voleio em cima do Atlético de Madrid, em que ele magicamente parou a bola no ar.

Sem dúvidas, Johan Cruyff é o ponto de virada na história de Barcelona.

A maior rivalidade – Barcelona x Real Madrid

Imagem mostra eric Abidal comemorando gol do barcelona com Cristiano Ronaldo de fundo
Tradição do Barcelona levantar a mão fazendo um cinco ao golear o Real Madrid

Quando o atacante alemão Udo Steinberg fez os dois primeiros gols da vitória por 3 x 1 do Barcelona sobre o Real Madrid, em 13 de maio de 1902, no Estádio do Hipódromo, em Madri, ele não sabia o que estava escrevendo no primeiro episódio de uma das maiores rivalidades do futebol mundial.

Barcelona e Real Madrid é considerado um dos maiores clássicos do futebol. Além de ser um clássico muito forte pelo poder do futebol, a briga política entre Catalunha x Madrid (capital da Espanha) deixa mais quente o jogo.

Aliás, a primeira goleada do clássico que se tornaria o maior da Espanha foi o 5 a 0 no Santiago Bernabéu com show de Cruyff. A partir desse momento o Barcelona jamais sairia do hall dos maiores clubes do mundo.

Coletânea de craques na história do Barcelona

Imagem mostra alguns jogadores brasileiros que passaram no Barcelona
Brasileiros fizeram história no clube catalão

Inegavelmente, a partir dos anos 90 o Barcelona passou a conquistar seus principais títulos. Romario, Rivaldo, Ronaldo, Ronaldinho, Belleti, Neymar, Daniel Alves, entre outros craques carregam grandes histórias no clube.

O começo da década marcou o retorno de Cruyff, dessa vez como treinador. O marco dos anos 90 foram as quatro conquistas seguidas da La Liga, de 90 a 94. Desse modo, em 1999 eram comemorados os 100 anos do clube que lutou tanto para ser reconhecido.

Assista verdeiros golaços

A era Lionel Messi na história do Barcelona

Imagem mostra Lionel Messi levantando sua sexta bola de ouro
Lionel Messi levantando sua sexta bola de ouro

No século 20, especialmente no final e graças a Cruyff, o Barcelona já era um grande clube. No entanto, a virada para transformar os Blaugranas de um grande clube em um clube vencedor tem nome e sobrenome: Leo Messi.

Contudo, o jovem garoto brilhava nas categorias de base do Barça, e desde então já chamava a atenção da diretoria. Na temporada 2003-2004, quando ainda tinha apenas 16 anos, Messi estreou pela primeira vez em um amistoso com o Porto, que marcou a abertura do novo estádio Do Dragao.

No torneio seguinte, Messi fez sua primeira aparição em uma partida oficial em 16 de outubro de 2004, na vitória do Barcelona contra o Espanyol no Estádio Olímpico (0-1). No entanto, na temporada 2008/09, e agora sem Ronaldinho ao lado dele, Messi se tornou a principal estrela da equipe do Barça.

Desde a estréia de Messi, o Barcelona ganhou 20 grandes troféus, o dobro de Madri, sendo 10 La Liga, 4 Liga dos Campeões e 6 títulos Copa Del Rey. Enquanto o Real Madrid conseguiu vencer 4 vezes a La Liga; 4x Liga dos Campeões e 2x Copa del Rey.

Em resumo, Messi conseguiu conquistar o Barcelona com um total de 34 troféus desde a sua estreia. São 5 a mais que o Bayern e 14 a mais que o Real Madrid que está acompanhando.

Então, veja o gol mais bonito da carreira do atleta:

Trajetória do clube

Informar Erro

- continue lendo -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes