Saiba como evitar golpes no saque do FGTS e auxílio emergencial

Golpes podem ser executados através de links suspeitos enviados por e-mail, whatsapp e outras redes sociais

Usuários do aplicativo Caixa Tem, onde há a movimentação do auxílio emergencial e o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de até R$ 1.045, estão enfrentando golpes, roubos e fraudes no benefício.

 

Como os golpes no auxílio emergencial e FGTS funcionam?

Os golpes no auxílio emergencial e FGTS estão funcionando de diversas maneiras e grupos criminosos tem se aproveitado das facilidades nos sistemas da Caixa para roubar dinheiro de usuários. Em alguns casos, o golpe se dá com golpistas usando o CPF e nome de trabalhadores para realizar o cadastro no aplicativo Caixa Tem, informando um e-mail falso. O aplicativo não solicita confirmação da identidade do usuário. Ao resgatar a quantia do FGTS emergencial, por exemplo, há relatos de problemas no acesso.

Depois que o benefício é depositado, e enquanto o saque não é liberado, os golpistas baixam o aplicativo, preenchem os dados do trabalhador com o e-mail falso e retiram o valor pagando boletos gerados em qualquer carteira digital. Assim, os beneficiários só percebem o golpe quando tentam se cadastrar no Caixa Tem.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Outra maneira que o golpe está acontecendo: beneficiários recebem um link pelo WhatsApp ou outras redes sociais e respondem perguntas que dão veracidade ao golpe. Então, o usuário vai para uma página falsa onde digita os dados pessoais. Uma possibilidade também é o envio de links que solicitem a permissão para o envio de notificações.

 

Como se prevenir de golpes no auxílio emergencial e FGTS?

Para se prevenir dos ataques, é importante estar atento a atividades suspeitas e situações que fogem do padrão. Em suma, evitar links desconhecidos e oferecer seus dados pessoais. Confira:

 

1. Não clicar em links desconhecidos

Se você recebeu um link desconhecido por SMS, WhatsApp ou outras redes sociais, não clique. Esse é um golpe muito usado por hackers, que ao redirecionar a pessoa para um site idênrico pode coletar os dados colocados. Assim, a melhor forma é o acesso manual, onde o próprio usuário digita a url.

 

2. Dados de acesso

Tenha atenção na maneira que você guarda e onde você usa os dados de acesso. Nunca forneça sua senha e demais informações em outros sites ou aplicativos. Além disso, é importante entender que não é completamente seguro guardar informações como senhas dentro do próprio e-mail e demais ferramentas, que também podem, em algum momento, sofrer ataques de hackers.

 

3. Antivírus atualizados

Ao utilizar navegadores e softwares, lembre-se de ter o antivírus atualizado. Assim, você poderá ter um alerta sobre o acesso a sites ou instalações de programas suspeitos.

 

4. Padrões da Caixa

Por fim, é importante entender que a Caixa nunca pede senha e assinatura eletrônica em uma mesma página. A digitação da assinatura deve ser somente por meio da imagem do teclado virtual. Outro detalhe é que a Caixa não envia SMS com link, apenas e-mails caso o cliente autorize.

 

Fui vítima de golpes no auxílio emergencial e FGTS. Como contestar?

A Caixa Econômica Federal informou, em nota, que não pode se posicionar sobre os casos de golpe em razão de sigilo bancário. Todavia, segundo o banco, estão atuando em conjunto com a Polícia Federal na investigação das quadrilhas.

Aqueles que tiveram o benefício roubado, no entanto, podem realizar a contestação dos saques não realizados e fazer o pedido. Para isso, basta se dirigir a uma agência da Caixa com o CPF e documento de identificação para o requerimento.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes