Título de capitalização: veja como funciona e se vale a pena investir

O título de capitalização se trata de uma forma de aplicação em regida pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP). É comumente oferecida por bancos, sendo baseada em sorteios de prêmios.

Os títulos de capitalização são conhecidos pela realização de sorteios, mas podem apresentar baixas rentabilidades, bem como pouca liquidez. Entenda a seguir as principais características desse tipo de aplicação.

O que é um título de capitalização?

O título de capitalização se trata de uma forma de aplicação regida pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP). É comumente oferecida por bancos, sendo baseada em sorteios de prêmios.

Como funciona?

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Desse modo, nos títulos de capitalização o cliente aceita que o banco retire mensalmente ou durante um período programado uma quantia de sua conta bancária. Em contrapartida, o titular participa de sorteios, que oferecem por exemplo prêmios em dinheiro. No vencimento do título, a pessoa pode resgatar seu dinheiro com as correções.

Sua segurança está relacionada ao banco em que se fez o investimento. Ele não é garantido pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) como acontece com outros tipos de aplicações. Na prática, caso a instituição bancária tenha algum problema, o investidor corre o risco de perder o dinheiro aplicado.

Qual o rendimento?

O rendimento desse tipo de aplicação costuma ser baixo, e em alguns casos não há rendimento algum. Ou seja, é possível que o investidor retire a mesma quantidade que aplicou, o que pode significar perda de recursos ao avaliar a variação da inflação no período.

De maneira geral, esses títulos são atrelados à Taxa Referencial (TR) que normalmente está próxima de zero. Aliás, atualmente a TR está em 0%.

Além disso, apenas uma parte do valor pago é investido pelo banco, o que se dá o nome de “cota de capitalização”. Ao passo que o restante do dinheiro é separado entre cotas administrativas e de sorteio, que faz o pagamento dos prêmios dos sorteios.

Sendo assim, a conclusão é que os títulos de capitalização rendem pouco. E podem deixar o investidor no prejuízo, a medida que ele faz o resgate e perde o poder de compra de acordo com a taxa da inflação.

Quais os tipos?

Há quatro principais tipos de título de capitalização: tradicional, popular, compra programada e incentivo. Saiba as características de cada um deles.

  • Tradicional: nesse tipo, ao final do prazo de contrato recebe o total que de pagamentos realizados. Caso faça o resgate antes, pode arcar com multas.
  • Popular: nesse tipo o foco maior é em sorteios, que ocorrem ao menos uma vez a cada seis meses.
  • Compra programada: nesse título o investidor escolhe de que forma receberá o valor pago na aplicação, seja em dinheiro, produtos ou serviços. Também ocorrem sorteios regularmente. Ao passo que, quem for sorteado, recebe o prêmio mais o valor pago.
  • Incentivo: por fim, nesse tipo ocorrem sorteios e promoções de agências bancárias e instituições de crédito. Só podem concorrer as pessoas que estão com os pagamentos em dia.

É bom investir em título de capitalização?

Ao observar suas características, pode-se perceber que o título de capitalização não é uma boa escolha de investimento. Ao passo que, por vezes não são considerados de fato como investimentos. Isso porque ele está baseado em sorteios, nos quais o investidor tem poucas chances de ganhar e paga por elas.

Sendo assim, essas aplicações podem parecer atrativas a primeiro momento em razão das premiações. No entanto, a pessoa pode ter rendimentos baixos caso não seja uma das sortudas a ganhar os sorteios. Como dito anteriormente, a rentabilidade desses títulos é baixa e por vezes não há rendimento nenhum.

Outro ponto a ser levado em consideração é a liquidez dessa aplicação. Em um primeiro momento, o investidor não pode retirar o dinheiro de modo algum, os recursos ficam “presos” no banco. Passado esse período de carência, há a possibilidade de cobrança de multas caso o cliente queira resgatar os valores antes do prazo final previsto em contrato.

 

Leia também:

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes