ETF: saiba o que é e como você pode investir em um

O fundo replica um índice como o Ibovespa ou o IGCT e é negociado em bolsa de valores

É possível investir em um ETF para diversificar a carteira de investimentos a baixo custo

Você já ouviu falar em ETF? Saiba que a modalidade de investimento pode ser uma alternativa para quem quer diversificar a carteira a baixo custo. Vamos explicar melhor.

Primeiramente, ETF é a sigla para Exchange Traded Fund, um fundo que replica um índice e é negociado em bolsa de valores. É uma opção muito desenvolvida em economias internacionais, mas ainda não é tão conhecida do público investidor brasileiro. Nos Estados Unidos, por exemplo, há mais de 3 mil ETFs, enquanto no Brasil são cerca de 20.

Na indústria mundial de fundos de investimentos, o volume de ETFs cresceu cerca de 18% na última década e ele está presente em mais de 70 bolsas ao redor do globo.

Já no Brasil, segundo dados da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), o investimento em ETFs também vem subindo, mas ainda é pequeno.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Neste ano, até o mês de junho, a alta foi de 63%. Trata-se de um crescimento maior que o registrado, por exemplo, pelos fundos imobiliários. Ainda assim, estes fundos correspondem a menos de 1% da participação do total de cotas em fundos de investimento no país.

Como um ETF funciona?

 

Um ETF acompanha a variação de um índice de referência como, por exemplo, o Ibovespa ou um setor específico. Significa na prática que você, no lugar de comprar as ações do Ibovespa, investe em um fundo que já considera essas ações em sua formação.

Um ETF é uma opção interessante para quem quer diversificar, aceita correr riscos em troca de possíveis maiores ganhos; e prefere colocar dinheiro em um fundo no lugar de comprar ações diretamente.

Além disso, os custos para investir num ETF costumam ser menores que os de fundos de ações tradicionais, já que as taxas de administração também são menores.

Para colocar dinheiro em um ETF basta ter conta em uma corretora de valores e investir através dela. A compra é realizada por cotas e o valor varia dependendo do momento em que você está negociando. Ao comprar, veja a cotação do ETF e multiplique pelo número de cotas que pretende adquirir.

ETF: entenda o que é
Imagem: Reprodução / Unsplash

Novas regras da CVM devem favorecer ETF

 

Recentemente, a  CVM (Comissão de Valores Mobiliários) anunciou novas regras determinando que os investidores de varejo terão acesso aos BDRs. Com isso, espera-se que também aconteça abertura para uma listagem maior de ETFs por aqui, já que os gestores poderão trazê-los a custos menores no lugar de abrir um ETF local. E eles poderão ser acessados pelos investidores do varejo, assim como os BDRs.

No exterior, como esse tipo de investimento já está mais avançado, um ETF não replica apenas ações, mas também crédito privado, títulos públicos, etc. Essa diversificação ajuda na composição das carteiras a um baixo custo e é o que se espera que aconteça adiante no Brasil.

 

Confira alguns dos ETFs listados na B3

 

Finalmente, saiba que a B3 possui cerca de 20 ETFs listados e a lista completa está no site da instituição. Alguns deles são:

BRAX11: ETF que considera as 100 empresas mais negociadas na bolsa de valores, replicando o IBrX-100.

GOVE 11: Replica o Índice de Governança Corporativa Trade (IGCT), com empresas do Novo Mercado.

BBSD11 e DIVO11: Cada ETF considera empresas pagadoras de dividendos. O primeiro replica o índice S&P Dividendos Brasil e o segundo, o IDIV.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes