Unha Russa: a nova técnica de cutilagem que dispensa alicates

Conheça o método que promete maior segurança e durabilidade para a manicure e se tornou a grande sensação dos salões de beleza em 2020.

A unha russa ou cutilagem russa é uma das técnica de manicure que chegou recentemente ao país trazida por duas amigas russas e que vem conquistando fãs por onde passa.

Após anos tentando se acostumar ao método brasileiro para fazer unhas, Anastasia Kozhukhovskaya e Elina Zhabrailova desistiram de se adaptar. Sendo assim, resolveram abrir seu próprio salão de beleza, no qual a técnica da cuticulagem russa seria aplicada.

Assim nasceu o Nord Nails, sucesso absoluto na capital. E, enquanto o salão das amigas prosperava, a técnica ganhou vida própria e espaço em outros estabelecimentos, sendo muito procurada graças às vantagens que oferece.

Segura, higiênica e de longa duração, a unha russa é realmente uma inovação e tanto. Entenda como funciona o método em detalhes.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Como é feita a unha russa?

 

Primeiramente, as unhas são lixadas com uma lixa comum para remover o brilho e acertar o formato. Após, a profissional começa a usar o torno de manicure, um ferramenta na qual diversos tamanhos de brocas para lixar podem ser encaixadas.

É com essas pequenas brocas para lixar que a manicure irá trabalhar as cutículas da cliente na unha russa. Ao invés de cortá-las com o alicate, ela irá lixar as cutículas. Mas isso é feito em etapas.

Em primeiro lugar, uma broca bem fina é utilizada para afastar as cutículas da unha e realizar uma limpeza de seu interior, já removendo qualquer resíduo de produto que tenha sido usado anteriormente. Algumas profissionais dividem essa passo em dois, usando primeiro uma broca bem fina e complementando a limpeza com uma intermediária.

Após, uma broca de ponta arredondada é usada para remover as cutículas e as peles mortas ao redor das unhas. Eventuais calosidades nos dedos também podem ser tratadas nesse momento, com a mesma broca. Se a cliente tiver calosidades mais acentuadas, com a pele ficando mais grossa nessas regiões, uma broca de ponta cilíndrica é recomendada.

A seguir, as unhas são polidas com uma broca específica para polimento. Isso as embeleza e também prepara para receberem e fixarem melhor o produto que será aplicado a seguir.

Para a esmaltação, usa-se esmalte em gel, que é aplicado com o auxilio de uma cabine secadora de unhas a luz UV. Com essa esmaltação, a durabilidade da cor das unhas acompanha a durabilidade da limpeza das cutículas e a cliente não precisa voltar ao salão na semana seguinte.

 

unha russa 2
Imagem: Reprodução / Pexels

 

Benefícios da unha russa

 

Segurança e Higiene

 

Em primeiro lugar, por não utilizar alicates ou outros objetos cortantes, a esmaltação russa elimina o risco de cortes. Assim, os incômodos machucados nos cantos das unhas viram coisa do passado.

E isso é muito mais sério do que pode parecer, já que esses pequenos ferimentos de alicate aumentam o risco de disseminação de doenças. Sendo assim, ao evitar cortes, o método da cutilagem russa é mais higiênico do que uma manicure convencional.

Graças a essa vantagem, a unha russa tem atraído a atenção de diabéticos e demais públicos que precisam ter cuidados redobrados com ferimentos.

 

Crescimento mais lento das cutículas

 

Sim, é isso mesmo: ao usar o método da unha russa, suas cutículas crescem mais devagar. Isso acontece porque muitas vezes tiramos mais cutícula do que o necessário ao usarmos o alicate.

Dessa forma, o corpo entende que há uma carência de tecido naquela região e se apressa a produzir mais e mais tecido. Assim, a cutícula cresce muito rápido e na semana seguinte é necessário retornar à manicure.

No entanto, ao removermos a cutícula lixando-a, não há exagero: apenas o excesso de pele é removido. Sem remoção exagerada, o corpo não precisa repor tecido e as cutículas crescem em um ritmo mais lento.

Isso faz com que o retorno da cliente que faz unha russa seja quinzenal e não semanal, compensando o valor um pouco mais elevado do tratamento. No entanto, algumas clientes reportam que a manicure russa lhes garante até um mês de unhas em dia sem visitas ao salão!

 

Adeus às dolorosas peles descascando ao redor das unhas

 

Além de tudo isso, mais um pequeno grande incômodo é evitado quando trocamos os alicates pelas brocas: a pele fina da região ao redor das unhas que fica levantando quando cortamos a cutícula.

Quem nunca tentou arrancar uma dessas peles e se machucou? Ao retirar as cutículas com as brocas, elas estão sendo lixadas, o que faz com que o tecido fique com um acabamento uniforme e sem pontas para levantar.

Com tantos benefícios, não é de se espantar que a unha russa esteja se espalhando tão rapidamente pelo Brasil! E se você gosta do assunto e quer mais ideias de como cuidar das suas unhas, inspire-se no nosso artigo sobre as tendências para unhas decoradas em 2020.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes