El Salvador pode reconhecer Bitcoin como moeda oficial

Governo apresentará projeto de lei para legalizar a criptomoeda, que terá de ser aprovado pela Assembleia Legislativa

O presidente de El Salvador, Nayib Bukele, anunciou, no sábado, 5, que apresentará nesta semana um projeto de lei para legalizar o bitcoin e também reconhecer a criptomoeda entre as moedas oficiais do país. O anúncio veio por meio de uma mensagem gravada por Buleke e transmitida como encerramento da palestra do fundador e CEO da Zap, Jack Mallers, empresa de pagamentos e investimentos em bitcoins, durante a conferência Bitcoin 2021 em Miami, nesse último final de semana.

O projeto do presidente ainda precisa de aprovação da Assembleia Legislativa de El Salvador, mas com o partido de Bukele tendo controle do órgão, a expectativa é de que não haja problemas para a aprovação. O que faria do país a primeira nação a adotar oficialmente o bitcoin. 

“A partir de agora, El Salvador está definido para ser o primeiro país Bitcoin. E o primeiro país a dar curso legal ao Bitcoin e tratá-lo como uma moeda mundial e ter Bitcoin em suas reservas”, disse Mallers durante o evento. 

O presidente Bukele, de 39 anos, disse que o plano trará benefícios de curto prazo para milhares de desbancarizados no país, além de gerar empregos. A estimativa é de que cerca de 70% da população da nação centro-americana não possui conta bancária.

“E a médio e longo prazo, esperamos que esta decisão possa nos ajudar a empurrar a humanidade, pelo menos um pouquinho, na direção certa”, afirmou Bukele.

O mais surpreendente foi o fato de que Bukele, após o anúncio, mudou sua foto no Twitter e, no lugar da antiga imagem colocou uma com os famosos ‘olhos de laser vermelhos’ que tem sido usada por diversas celebridades no universo de criptoativos para indicar que eles são adeptos do  bitcoin e acreditam no potencial único da criptomoeda.

Resistência aos bancos centrais

Mallers classificou o anúncio do presidente salvadorenho como uma resistência à expansão monetária sem precedentes, culpando principalmente o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) por “esmagar os mercados emergentes”, como a economia dolarizada de El Salvador. 

Outro trecho atribuído ao projeto de lei, cita que “os bancos centrais estão cada vez mais tomando medidas que podem trazer danos à estabilidade econômica de El Salvador” e que “para mitigar o impacto negativo dos bancos centrais, torna-se necessário autorizar a circulação de uma moeda digital com oferta que não pode ser controlada por nenhum banco central e só é alterada de acordo com critérios objetivos e calculáveis”.

O plano também contrasta com o que vem sendo observado em outros países, onde os bancos centrais (pelo menos 80% deles) estudam a criação de uma moeda digital de banco central (CBDC), para garantir o controle do dinheiro digital, assim como mantém do fiduciário. 

Durante seu discurso, Mallers disse que a missão da Zap é servir àqueles nas economias que ele acredita serem as mais afetadas pela inflação monetária do banco central. O aplicativo de pagamentos  Mallers, desenvolvido na Lightning Network, fez sua estreia em El Salvador neste ano, com o CEO garantindo que cerca de 20 mil novos usuários diários foram registrados durante o pico de atividade do app no país.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes