VVAR3: Entenda o panorama e as expectativas do mercado para ação

Via Varejo foi uma das ações que mais sofreram no início da pandemia, mas situação mudou.

O investimento em digitalização e mudanças na estrutura fez com a empresa passasse a merecer atenção especial do mercado. Entenda o panorama.

Pensando em investir nas ações da Via Varejo (VVAR3), mas ainda não sabe se vale a pena? Vamos mostrar o que o mercado tem falado sobre os papéis para que você possa decidir com mais segurança.

Primeiramente, a Via Varejo é uma empresa de comércio varejista que responde pelas redes físicas e virtuais das lojas Casas Bahia e Pontofrio, além da fabricante de móveis Bartira. Também é administradora do site extra.com.br.

Além disso, a Via Varejo está presente em cerca de 400 municípios do Brasil e conta com mais de 1.070 lojas. No portfólio, a companhia possui o banco digital banQi e também oferece solução de Full Commerce para uso de sua estrutura por outros varejistas.

 

Montanha russa define VVAR3

 

É importante entender que o comportamento de VVAR3 tem sido de grandes altas e baixas. Em 3 de abril, pior momento no ano, a queda foi de 63,29%. No começo da crise relacionada ao covid-19, aliás, VVAR3 foi uma das ações que mais sofreram prejuízo. Apesar disso, conseguiu dar a volta por cima e tem feito parte da recomendações de analistas.

Os altos e baixos, porém, são constantes no comportamento do papel. Em setembro, a ação fechou em queda de 15,37%. Ainda assim, no início de novembro, já havia recuperado as perdas e chegava a uma valorização anual de 359%. O que esperar diante disso?

Segundo analistas, a Via Varejo continua mostrando sinais de recuperação, principalmente por conta das vendas online terem aumentado tanto. Um relatório do BTG Pactual do último dia 20 também indica que a liquidez está sob controle. O preço-alvo é de R$ 21 e a recomendação é de compra.

Para os analistas do BTG, a companhia apresentou números sólidos no balanço. Houve divulgação de lucro líquido de R$ 590 milhões no terceiro trimestre, ante prejuízo de R$ 346 milhões no mesmo período do ano anterior. Além disso, foi destaque a expansão do e-commerce. 

No início da pandemia, a ação foi muito afetada por conta da grande dependência das vendas em lojas físicas, já que o processo de digitalização ainda estava em atraso se comparado com concorrentes como Magazine Luiza.

Via varejo
Imagem: reprodução / unsplash

Digitalização mudou cenário

 

Com o passar dos meses, a companhia conseguiu focar nos processos de digitalização e fez mudanças estratégicas que permitiram plena recuperação. A expectativa do mercado é que VVAR3 continue apresentação bons resultados, principalmente com a tendência de permanência forte do e-commerce como meio de compra dos consumidores.

Um dos destaques de Via Varejo é a compra da I9XP, uma empresa especializada em desenvolver soluções de e-commerce para varejistas, que tem participação na Distrito, polo de inovação.

Em relatório, a XP aponta que a companhia deve colher bons resultados na Black Friday, já que manteve as compras de fornecedores durante a pandemia e garantiu estoque, além de apostar em uma estratégia mais agressiva de frete durante o período.

Finalmente, também em relatório divulgado no último dia 27, a Terra Investimentos recomenda a compra com preço-alvo entre R$ 21 e R$ 22. Vale acompanhar os movimentos da empresa e as recomendações atualizadas dos analistas que a acompanham antes de optar pelo investimento.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.