Bolsonaro sobre Manaus: ‘Terrível. Agora, nós fizemos nossa parte’

Justiça Federal determina que o governo transfira pacientes com risco de morte em Manaus. Bolsonaro afirma: “Nós fizemos nossa parte”.

Em conversa com apoiadores no Palácio do Planalto nesta sexta-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro disse que a situação da pandemia de coronavírus no Amazonas está “terrível”, porém, isentou culpa do governo federal ao declarar que a União “fez sua parte, com recursos, meios”.

Bolsonaro sobre Manaus

Mais cedo, o Bolsonaro havia usado seu perfil no Twitter para publicar uma imagem com dados reproduzidos do Portal da Transparência sobre recursos destinados a Manaus, em uma tentativa de desassociar o governo federal da repercussão do colapso na capital amazonense.

Bolsonaro citou que as Forças Armadas estão mobilizadas para dar assistência ao sistema público de saúde, que em colapso, enfrenta problemas graves como a falta de vagas em UTI e insuficiência de abastecimento de oxigênio em cilindros. O oxigênio é fundamental para o tratamento de coronavírus.

Ao falar da situação em Manaus e afirmar: “Nós fizemos nossa parte”, Bolsonaro reforçou que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, esteve na capital na segunda-feira (11), providenciou oxigênio e: “começou o tratamento precoce, que alguns criticam ainda”. O ministério da Saúde vem sofrendo críticas de especialistas de Saúde que afirmam que não existe tratamento precoce para o quadro de coronavírus.

Leia também

Covid-19: hospitais particulares de São Paulo tem fila de…

Bolsonaro questiona eficácia das máscaras e faz campanha…

O que é o tratamento precoce para coronavírus?

Bolsonaro voltou a falar do que chama de “tratamento precoce” contra o coronavírus, que é a orientação de uso de medicamentos, cujos eficácia contra a COVID-19 não é cientificamente comprovada: O médico pode receitar o tratamento precoce. Se o médico não quiser, procure outro médico. Não tem problema. Repito o tempo todo aqui: no meu prédio, mais de 200 pessoas pegaram covid, se tratam com cloroquina e ivermectina, ninguém foi para o hospital”.

Pacientes serão transferidos

- PUBLICIDADE -

A Justiça Federal determinou que a União transfira, imediatamente, todos os pacientes da rede pública de Manaus que corram risco de morte por conta da falta d oxigênio em hospitais públicos. O despacho atende a um pedido dos Ministérios Públicos Federal e do Estado e Defensorias Públicas.

Com um aumento recorde de internações por COVID-19, Manaus enfrenta um colapso no sistema de saúde, passou a sofrer com falta de cilindros de oxigênio. Nesta quinta (14), o governo estadual informou que 235 pacientes começaram a ser transferidos para outros estados.

Até esta quinta-feira (14), mais de 223 mil pessoas foram infectadas pela doença no estado do Amazonas, e mais de 5,9 mil morreram com a doença. Conforme informado pela Secretaria Estadual de Saúde, há 1.581 pacientes internados, com 518 deles em leitos de UTI.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes