Bolsonaro xinga a imprensa após denúncia sobre leite condensado

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu com milhares de apoiadores nesta quarta (27/01) em uma churrascaria em Brasília. No evento, Bolsonaro propagou palavras de baixo escalão para jornalistas que vazaram os custos do governo com leite condensado.

Os gastos de Jair Bolsonaro (sem partido) com leite condensado  ainda estão dando o que falar. Um vídeo atual do presidente foi vazado nesta quarta-feira, 27 de janeiro. Nele, Bolsonaro aparece sem máscara e em um ambiente fechado cercado de vários apoiadores. Na gravação, o presidente xinga a imprensa e nega a história dos R$ 15,6 milhões só em leite condensado.

“Quando eu vejo a imprensa me atacar, dizendo que eu comprei 2,5 milhões de latas de leite condensado… Vai pra puta que o pariu, imprensa de merda”, afirmou o presidente, que foi recebido com aplausos e gritos que diziam “mito”. Em seguida, Bolsonaro ainda disse que as latas de leite condensado deveriam ser “para enfiar no rabo da imprensa”.

De acordo com o jornalista Samuel Pancher, que teve acesso exclusivo ao vídeo, o presidente Bolsonaro fechou uma churrascaria em Brasília para um evento privado com artistas e apoiadores. Segundo informou o UOL, o restaurante fica localizado na Vila Planalto, em Brasília, O evento organizado por Bolsonaro também quebraria diversos protocolos de segurança devido a pandemia da Covid-19.

Bolsonaro gastou R$ 15,6 milhões em leite condensado

Segundo o (M)dados, núcleo de jornalismo de dados do jornal Metrópoles, foram gastos R$ 15.641.777,49 apenas em leite condensado no ano de 2020 pelo governo de Bolsonaro. Contudo, em 2019, os gastos em leite condensado foram ainda maiores, sendo 26 milhões.

Compras do governo Bolsonaro além do leite condensado

Leia também

VÍDEO: Irritado, Bolsonaro interrompe jornalista e encerra…

Nova companhia área começa a operar em março no Brasil

Além do leite condensado, a publicação do Metrópoles também realizou uma estimativa de gastos e apontou que foram mais de R$ 1,8 bilhão no carrinho de compras do governo. Um aumento de 20% em comparação a 2019. Alguns valores que chamaram a atenção foram; os R$ 5 milhões em uva-passa, R$ 2.203.681, 89 em goma de mascar, R$ 14 milhões com molho inglês e shoyo, R$ 17 milhões em creme de leite.

- PUBLICIDADE -

Confira a lista completa dos gastos do governo Bolsonaro com alimentos em 2020.

Leite condensado
Reprodução

Custos já ultrapassaram os de Dilma e Temer

Em 2019, no primeiro ano de mandato do governo de Bolsonaro, os gastos com cartões corporativos da Presidência da República chegaram a R$ 14, 9 milhões em 2019, segundo o portal Transparência Controladoria-Geral da União.

Segundo informou o jornal Folha de S. Paulo em maio de 2020, Bolsonaro havia gastado, até então, mais que os ex-presidentes Dilma Rousseff e Michel Temer na comparação pela média por mês. Com as restrições da pandemia da Covid-19, de abril a julho do mesmo ano, as despesas de Bolsonaro diminuíram.

Em agosto de 2020 Jair Bolsonaro chegou a prometer mostrar à imprensa o extrato de seu cartão corporativo pessoal, mas isso não se concretizou. Na época, o presidente afirmou: “Eu vou abrir o sigilo do meu cartão. Para vocês tomarem conhecimento quanto gastei de janeiro até o final de julho. Ok, imprensa? Vamos fazer uma matéria legal?”.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes