Bonner e Renata Vasconcellos são intimados em caso Flávio Bolsonaro

Os âncoras do Jornal Nacional, William Bonner e Renata Vasconcellos, foram intimados pela polícia do Rio de Janeiro sobre caso Flávio Bolsonaro.

Os âncoras do Jornal Nacional, William Bonner e Renata Vasconcellos, foram intimados pela polícia do Rio de Janeiro. Em caso Flávio Bolsonaro, os jornalistas e a Globo, são acusados de suposto crime de desobediência a decisão judicial.

Os advogados de Flávio Bolsonaro proibiram a emissora de mostrar documentos e informações com relação em caso da suposta “rachadinha” na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro). O suposto esquema funciona quando servidores públicos devolvem parte do salário ao parlamentar a partir de um acordo pré-estabelecido, que é ilegal.

Globo se manifesta sobre o caso

Segundo o UOL, a Globo informou que não se pronuncia com o caso em curso. A princípio, a emissora foi proibida de dar informações sobre o caso que envolve o senador Flávio Bolsonaro, o presidente da República, Jair Bolsonaro e que deveria ser matida em segedo de Justiça. Além disso, Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador, quando era deputado, também não pode ser mencionado neste caso.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Entenda a acusação de Flávio Bolsonaro

Flávio Bolsonaro, enviou junto à DRCI (Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática), o inquérito. Segundo o político, houve “desobediência judicial” por parte dos jornalistas e Globo.

Após a acusação, a  juíza Cristina Serra Feijó, da 33ª Vara Cível do Rio de Janeiro, aceitou a ação de Flávio Bolsonaro. Sendo assim, a emissora não poderia expor os documentos a respeito das investigações.

Embora a Globo tenha recorrido, a Justiça negou, mantendo a decisão inicial. Mesmo assim, a emissora não aceitou e fala do caso como uma censura.

Sendo assim, conforme os documentos obtidos pelo UOL, Bonner e Renata devem comparecer à sede da DRCI. A data ficou marcada para quarta-feira (09), sendo que ele precisar estar às 14h30 e a jornalista às 14h. A intimação foi assinada pelo advogado Pablo Da Costa Sartori.

Sobre o caso Flávio Bolsonaro

O filho de Bolsonaro e Queiroz, além de mais 15, que incluem ex-assessores. Nisto, o Ministério Público do Rio de Janeiro,  acusa Flávio Bolsonaro de liderar o esquema de lavagem de dinheiro em negócios imobiliários e “rachadinha“. E mais, ele teria pagado dívidas da família do ex-assessor Queiroz.

Os advogados do senador alegaram que os documentos não tinha provas, além de chamar a acusação de “crônica macabra”. Flávio Bolsonaro negou as acusações.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes