Pela 1ª vez, PT não consegue eleger prefeito nas capitais brasileiras

Pela 1° vez na história, desde a redemocratização, o Partido dos Trabalhadores não tinha uma derrota significativa. Nas Eleições 2020 a sigla não fez prefeito em nenhuma das 26 capitais federais

O Partido dos Trabalhadores (PT) não saiu vitorioso em nenhuma capital brasileira nas Eleições 2020. Fazendo um balanço do desempenho do partido, essa foi a eleição municipal em que, apesar de ser o que mais levou candidatos ao segundo turno, foi a que menos se sobressaiu.

Das 57 cidades que estavam concorrendo a lista do segundo turno das Eleições 2020, 15 tinham candidatos do PT.

Ao fim da apuração, ele perdeu em 11 municípios e elegendo petistas em apenas quatro cidades brasileiras:

  • Contagem (MG)
  • Diadema (SP)
  • Juiz de fora (MG)
  • Mauá (SP)

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Redemocratização

Pela primeira vez desde a redemocratização, o Partido dos Trabalhadores não fez prefeito em nenhuma das 26 capitais do país. A sigla foi derrotada tanto com Marília Arraes na capital de Pernambuco, Recife como em Vitória (ES) com o candidato João Coser.

A melhor fase do PT foi nas Eleições 2004, onde conseguiu eleger prefeitos em nove capitais. Nas Eleições 2000 e 2008 o partido fez seis capitais em ambas.

Prefeitos eleitos pelo PT ano a ano

  • Eleições 1985 – 1 (Fortaleza)
  • Eleições 1988 –  3 (Porto Alegre, São Paulo e Vitória)
  • Eleições 1992 – 4 (Belo Horizonte, Goiânia, Porto Alegre e Rio Branco)
  • Eleições 1996 – 2 (Belém e Porto Alegre)
  • Eleições 2000 – 6 (Aracaju, Belém, Goiânia, Porto Alegre, Recife e São Paulo)
  • Eleições 2004 – 9 (Aracaju, Belo Horizonte, Fortaleza, Macapá, Palmas, Porto Velho, Recife, Rio Branco e Vitória)
  • Eleições 2008 – 6 (Fortaleza, Palmas, Porto Velho, Recife, Rio Branco e Vitória)
  • Eleições 2012 – 4 (Goiânia, João Pessoa, Rio Branco e São Paulo)
  • Eleições 2016 – 1 (Rio Branco)
  • Eleições 2020 – 0 (nenhuma capital elegeu a sigla)

Entre as cidades em que o partido obteve a vitória mais expressiva está Juiz de Fora, em Minas Gerais onde a candidata Margarida Salomão computou 54,9% dos votos, vencendo o candidato do PSB, Wilson Rezato.

Também em Minas, na cidade de Contagem, o partido elegeu Marília Campos com 51,35% dos votos válidos, derrotando o candidato do PRTB, Felipe Saliba, com 48,65% dos votos.

Já no ABC Paulista, o petista Fillipi Júnior venceu o segundo turno das Eleições 2020 com 51,35% dos votos válidos. Ele detorou o candidato do PSD, Taka Yamauchi, que teve 48,65% do candidato Taka Yamauchi (PSD). Esse será o 4º quarto mandato de José de Filippi Júnior como prefeito de Diadema e o sétimo do PT na cidade do ABC Paulista.

Eleições 2020: PT não faz sigla em nenhuma das 26 capitais federais
Fillipi Jr, do PT ganhou o segundo turno das Eleições 2020 na cidade de Diadema, ABC Paulista.

Também em São Paulo, o partido fez um prefeito em Mauá. O petista Marcelo Oliveira derrotou com 50,74% dos votos válidos, o atual prefeito Átila Jacomussi, do PSB, que ficou em segundo lugar com 49,26% dos votos.

Derrotas do PT

Já sobre a maior aposta do partido no Recife, com a neta do ex-governador Miguel Arraes, Marília Arraes, não terminou com êxito. Ela perdeu para o primo, João Campos (PSB) que foi eleito com mais de 56% dos votos válidos. Marília computou 348.126 votos, equivalente a 43,73% dos votos.

Eleições 2020: PT não consegue eleger prefeitos em nenhuma das 26 capitais federais
Nem com o apoio do ex-presidente Lula, a neta de Miguel Arraes, Marília Arraes conseguiu se eleger no Recife (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Em Caxias do Sul (RS), o ex-ministro Pepe Vargas, que participou do governo da presidente Dilma Rousseff, foi derrotado pelo candidato do PSDB, Adiló, que obteve mais de 59% dos votos.

Autocrítica

À BBC, o secretário-geral do Partido dos Trabalhadores, deputado federal Paulo Teixeira, disse que o partido ‘melhorou um pouco’ o desempenho em relação às Eleições 2016, onde liderou apenas em uma prefeitura, em Rio Branco (AC).

Na avaliação dele, o mau desempenho da sigla foi instigado pela mídia, que escondeu os ‘feitos’ dos governos petistas e a visão agora se concentra em ganhos com partidos aliados para a construção de uma frente ampla de esquerda no Brasil. “Ganhamos (enquanto esquerda) em Belém (PA), com Edmilson Rodrigues do PSOL; participamos de segundos turnos importantes, em Fortaleza (CE), onde venceu Sarto, do PDT e em Aracajú (SE) com Edvaldo do PDT”, disse ele.

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes