Facebook bloqueia Trump por tempo indeterminado, anuncia Zuckerberg

Declarações de Mark Zuckerberg mostram que a conta do presidente ficará bloqueada por tempo indeterminado até a posse de Joe Biden, para uma transição pacífica ao poder

Nesta quinta-feira (7), o Facebook bloqueou e baniu a conta do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, por tempo indeterminado, conforme anúncio do presidente-executivo da rede social, Mark Zuckerberg.

O anúncio veio após o Twitter anunciar o bloqueio temporário do presidente, por volta das 21h. As ações foram tomadas devido a invasão de apoiadores do presidente ao Congresso nessa quarta. Em discurso antes do ato, o presidente discursou aos apoiadores e afirmou que não aceitaria o resultado eleitoral.

 

Bloqueio das contas de Trump

Em suma, o bloqueio realizado pelo Facebook também vale para o Instagram de Trump. “Acreditamos que os riscos de permitir que o Presidente continua usando os nossos serviços durante esse período são simplesmente muito grandes”, escreveu Zuckerberg. “Portanto, estamos estendendo indefinidamente o bloqueio que tínhamos imposto nas contas do Facebook e Instagram e por pelo menos as duas próximas duas semanas, até que a transição pacífica de poder seja completa”, continuou.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Inicialmente, a restrição das contas do Facebook e Instagram valeriam apenas por 24h, com a violação de duas das regras da empresa. Um vídeo postado pelo presidente durante a invasão foi derrubado por “risco de violência”, em que o presidente pedia que manifestantes voltassem para casa. Entretanto, continuava a alegar que a eleição foi ilegítima. Entretanto, declarações de Mark Zuckerberg mostram que a conta do presidente ficará bloqueada por tempo indeterminado pelo Facebook até a posse de Joe Biden, para uma transição pacífica ao poder.

 

Declarações de Mark Zuckerberg

Conforme declarou Mark Zuckerberg em seu perfil:

“Os chocantes eventos das últimas 24 horas demonstram claramente que o presidente Donald Trump tenciona utilizar o seu tempo restante no cargo para minar a transição pacífica e lícita de poder para o seu sucessor eleito, Joe Biden.

A sua decisão de utilizar a sua plataforma para condenar em vez de condenar as ações dos seus apoiantes no edifício do Capitólio tem perturbado, justamente, pessoas nos EUA e em todo o mundo. Removemos estas declarações ontem porque julgamos que o seu efeito — e provavelmente a sua intenção — seria provocar mais violência.

Após a certificação dos resultados das eleições pelo Congresso, a prioridade para todo o país deve agora ser garantir que os restantes 13 dias e os dias após a tomada de posse sejam pacificamente e de acordo com as regras democráticas estabelecidas.

Nos últimos anos, permitimos que o Presidente Trump utilizasse a nossa plataforma consistente com as nossas próprias regras, por vezes removendo conteúdo ou rotulando as suas publicações quando violam as nossas políticas. Fizemo-lo porque acreditamos que o público tem o direito de aceder o mais amplo possível ao discurso político, até mesmo ao discurso controverso. Mas o contexto atual é agora fundamentalmente diferente, envolvendo o uso da nossa plataforma para incitar a insurreição violenta contra um governo democraticamente eleito.

Acreditamos que os riscos de permitir que o Presidente continue a utilizar o nosso serviço durante este período são simplesmente demasiado grandes. Portanto, estamos a prolongar o bloqueio que colocamos nas suas contas do Facebook e do Instagram por tempo indeterminado e durante pelo menos as próximas duas semanas até que a transição pacífica do poder esteja concluída.”

 

Bloqueio do Twitter

Já para o Twitter, o bloqueio impedia o presidente a postar por pelo menos 12 horas. A condição para o desbloqueio é a exclusão de três tuítes que já foram suspensos pela rede social, por violar as políticas da plataforma. Enquanto o dono do perfil não deletar as postagens, a conta deve continuar fechada. Além disso, o Twitter ameaçou suspender permanentemente o perfil em casos de novas violações.

 

Leia também:

Twitter e Facebook bloqueiam Trump

VÍDEO: apoiadores de Trump invadem congresso dos EUA

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes