Regina Duarte compartilha Fake News em defesa de Bolsonaro

A ex-diretora da Cultura, Regina Duarte, usou duas redes sociais para divulgar uma notícia falta a favor do presidente Bolsonaro, no dia de ontem (31). Na postagem Regina fala que a empresa Nestlé fez uma imensa doação de leite condensado para as Forças Armadas e aproveitou para dar parabéns aos envolvidos. A publicação foi feita logo após ter sido divulgado que o governo do presidente gastou mais de R$ 15 milhões com leite condensado em 2020.

Regina Duarte Fake News

Regina compartilhou uma foto com muitos erros de português e a seguinte mensagem: “A empresa Nestle, anunciou hoje através de seu departamento de relações institucionais e relações públicas, que devido a grande repercussão de sua marca registrada leite condensado ‘MOÇA’, que fará a doaçao de 8 mil caixas do produto às Forças armadas que será distribuída partes iguais entre às (sic) 3 forças de segurança Nacional brasileira. Pela excelente campanha de propaganda divulgado em âmbito nacional sem custos a empresa”, diz o texto, que termina com um “Ass: Nestlé do Brasil”.

Alguns também questionaram a publicação, outros já afirmaram ser fake news. A atriz então respondeu que a Nestlé não teria se pronunciado desmentindo o texto.

Além disso, a mensagem teria circulado muito na internet, principalmente em grupos bolsonaristas no WhatsApp.

Print da postagem de Regina Duarte

Checagem

Ferramentas de checagem de noticias, como o “e-farsas” e “boatos”, afirmam que a informação divulgada pro Regina Duarte se trata de fake news. A justificativa foi de que não há nenhuma fonte oficial para essa notícia e nenhum pronunciamento da marca dizendo isso. Quando uma empresa faz doações assim, é esperado que ela divulgue.

- PUBLICIDADE -

Além disso, a postagem conta erros ortográficos, que normalmente não aparecem em notas oficiais.

Segundo o site “boatos”, uma empresa do porte da Nestlé dificilmente se envolveria em questões politicas dessa magnitude. A empresa ainda não se pronunciou a respeito da postagem.

Jair Bolsonaro
Comentários (0)
Comentar