Bolsonaro até hoje não apresentou Plano de Imunização à Covid-19

TCU determinou que o governo federal entregasse o Plano de Imunização contra a Covid-19 o quanto antes, mas o presidente Bolsonaro vem resistindo a demanda

A segunda onda da Covid-19 vem beirando o país e, ainda, passado oito meses de pandemia, não se sabe como será a distribuição de vacinas para os estados e municípios brasileiros nem ao menos, como será feito o procedimento. Todo este planejamento, chamado de Plano Nacional de Imunização deve ser repassado pelas autoridades máximas de um país. No caso do Brasil, pelo presidente da república, Jair Bolsonaro.

O que é o Plano Nacional de Imunização?

Só que até hoje, 24 de novembro, o governo está resistindo a cumprir uma decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) que determinava a entrega de um planejamento detalhado para a vacinação da população contra a doença..

A determinação do órgão de controle foi aprovada pelo plenário no dia 12 de agosto, mas a Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu e até agora não há indicação de que o plano sequer exista e, muito menos, de que será apresentado e busca adiar entrega de proposta detalhada para vacinação da população contra a Covid-19.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Em reunião com governadores, em meados de outubro, o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello garantiu que o governo brasileiro apresentaria até 30 de novembro, um plano detalhado de vacinação contra doença, incluindo uma provável campanha nacional para iniciar a imunização até 20 de janeiro. Até o momento nada foi repassado pelo governo.

O presidente Bolsonaro e ministro da saúde, Pazuello ainda não entregaram Plano de Imunização contra Covid-19
Presidente Bolsonaro e Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello (Foto: Carolina Antunes/PR)

Testes e CoronaVac

Os 6,9 milhões de testes  da Covid-19 comprados pelo Ministério da Saúde, estão, segundo reportagem do jornal ‘O Estado de S. Paulo’, em um armazém do governo em Guarulhos/SP. Todos têm validade expirando entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021.

Em nota, o ministério informou que a exemplo do que ocorreu com outros lotes de testes utilizados em outros países, devem chegar ao Brasil ainda nesta semana estudos de estabilidade estendida para os testes que a pasta tem em estoque. A Saúde informou também que o Plano Nacional de Imunização está em fase final de elaboração e deve ser divulgado nas próximas semanas,

No Facebook, o presidente Bolsonaro rebateu um apoiador dizendo que o governo federal não tem reponsabilidade sobre os testes que irão vencer nos dois meses que vem. ˜Todo material foi enviado para Estados e municípios. Se algum não utilizou deve apresentar seus motivos”, escreveu na publicação.

Já a vacina CoronaVac desembarcou no Brasil na última quinta-feira e desde a iniciativa do governo de São Paulo, em parceria com o Instituto Butantan, de comprarem lotes da vacina chinesa, há atritos com o presidente da República, que usa ideologias de ataque contra o laboratório Chinês.

Desde o começo da pandemia, em março de 2020, o presidente tem se portado com indiferença ao isolamento social e vem relativizando a gravidade da Covid-19 no país. Vale lembrar que, neste período, dois ministros já caíram da pasta da saúde.

Enquanto outros países já discutem as primeiras ações a serem feitas quando a vacina chegar, como, quem será vacinado primeiro, no Brasil nada foi divulgado ainda sobre qual parcela da população será tratada com prioridade – além dos profissionais de saúde e nem mesmo quem estará apto na lista de voluntários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes