Chá de hibisco: saiba os benefícios e como preparar

A infusão ajuda a emagrecer, evita o acumulo de gordura, controla o colesterol e até diminui a pressão arterial

Que o hibisco é uma flor linda, disso ninguém duvida. Mas, você sabia que o chá de hibisco, ou Hibiscus Sabdariffa L., é uma importante planta medicinal originária da Índia, Sudão e Malásia? Conhecida na África como planta mágica ancestral, a lenda diz que a espécie tem poderes para despertar o desejo sexual e o amor. Contudo, no Brasil, o hibisco foi introduzido através dos escravos e é conhecido principalmente por seus efeitos diuréticos.

A infusão é preparada com o botão seco da planta, também conhecida como vinagreira. Apesar do seu sabor dividir opiniões, o chá tem sido o preferido daqueles que desejam uma vida saudável. Segundo, estudos recentes  o extrato da planta de hibisco é capaz de prevenir doenças.

Quais os benefícios do chá de hibisco?

Para a nutricionista e fitoterapeuta, Beatriz Mastroeni, a solução de hibisco tem muitas propriedades benéficas à saúde. “Os benefícios que mais se destacam são: o poderoso antioxidante e por isso grande aliado a prevenção de doenças crônicas, melhora do perfil lipídico, efeito anti-hipertensivo, prevenção de doenças cardiovasculares e hepáticas, melhora do perfil glicêmico, assim como o estímulo a função diurética”, explica.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O chá de hibisco traz benefícios (Foto: Unsplash)

Ajuda a emagrecer e evita o acúmulo de gordura

Em relação ao emagrecimento, Beatriz afirma que existem relatos na literatura sobre o assunto, mencionando que a utilização do hibisco pode, certamente,  contribuir para perda de peso e redução dos níveis de obesidade. A principal justificativa é devido a suas propriedades antioxidantes, diuréticas, laxativas e digestiva. Porém, vale ressaltar que o conhecimento sobre essa relação ainda não é muito claro e mais estudos são necessários para constatar essa propriedade.

Chá de hibisco controla o colesterol?

De acordo com um estudo do Journal of Traditional and Complementary Medicine feito com 60 pessoas com diabetes que consumiram o chá de hibisco ou chá preto, consumir regularmente a solução, reduz os níveis de colesterol. Foi comprovado que aqueles que ingeriram a solução de hibisco tiveram um aumento do colesterol “bom” (HDL) e diminuição do colesterol “ruim” e triglicérides.

Diminui a pressão arterial 

A solução pode controlar a pressão arterial (Foto: Unsplash)

Quando os vasos sanguíneos se contraem, acontece a pressão alta, e isso pode gerar problemas cardíacos como acidente vascular cerebral (AVC) e infartos. No entanto, alguns estudos já comprovaram que o chá de hibisco reduz a pressão arterial. Isso ocorre devido às antocianinas encontradas no hibisco, que são responsáveis pelos efeitos anti-hipertensivos.

Elimina toxinas 

Sabe aqueles inchaços que incomodam? Pois bem! Isso se chama retenção de líquidos. E sim, o chá de hibisco também ajuda nisso! Rico em quercetina, substância que possui ação diurética, proporcionando um aumento nas urinas que eliminam as toxinas do corpo.

Quem pode tomar o chá de hibisco?

Qualquer pessoa que queira fazer o consumo do chá precisa ser avaliada, para certificar que não há contraindicação. No geral, adultos que buscam melhora no perfil lipídico, glicêmico e ainda uma ação protetora contra doenças crônicas podem utilizar dessa ferramenta.

Existe alguma contraindicação para o chá de hibisco?

A solução pode controlar a pressão arterial (Foto: Unsplash)

O chá de hibisco não é indicado para gestantes e lactantes. Pessoas que costumam ter hipotensão, popularmente conhecida como pressão baixa,  também devem tomar cuidado. Além de indivíduos que fazem uso de anti-hipertensivos, já que o efeito diurético do chá pode potencializar o efeito diurético do medicamento. Assim como, a solução pode tanto aumentar quanto reduzir o efeito de outros remédios.

O chá de hibisco também não é indicado para pessoas que fazem terapia de reposição hormonal (TRH) ou tomam pílulas anticoncepcionais, porque  reduz os níveis de estrogênio no organismo. Também deve-se evitar o consumo do chá de hibisco durante à noite, para que não ocorra queda na qualidade do sono.

Como tomar o chá de hibisco?

Já foi demonstrado por estudos que o chá quente de hibisco, feito através de infusão, que significa, água a 75ºC  por 15 minutos, tem maiores propriedades antioxidantes. Recomenda-se o consumo de uma média de quatro xícaras de chá ao dia. Consumir no máximo um litro do chá por dia — considerando uma colher de sopa do extrato. Mais do que isso poderá causar quedas bruscas na pressão, tontura, câimbras e até desmaios.

A solução não deve ser adoçada com açúcar ou adoçante artificial. Mantenha, de preferência, em um recipiente de vidro ou cerâmica e se for beber gelado, deixe na geladeira por no máximo seis horas. Entretanto,  seu consumo deve ser acompanhado por um nutricionista ou médico. Beatriz separou duas receitas úteis desse chá.

Aprenda:

Hibisco com funcho

É possível misturar hibisco com funcho (Foto: Unsplash)

Ingredientes 

1 col. de sopa de flor de hibisco

1 col. de sopa  de funcho

250 ml de água.

Modo de preparo

Ferva a água e depois acrescente a flor de hibisco e o funcho. Desligue o fogo e tampe por, aproximadamente, 15 minutos. Em seguida, coe e sirva.

Hibisco com limão

É possível misturar hibisco com limão (Foto: Unsplash)

Ingredientes 

1 col. de sopa de flor de hibisco

250 ml de água

1 limão.

Modo de preparo

Em primeiro lugar, ferva a água. Em seguida, desligue o fogo e acrescente a flor de hibisco. Logo depois, deixe tampado por 15 minutos em infusão e coe. Por fim, depois de resfriado, esprema o limão. Se desejar pode adicionar gelo.

Onde encontrar?

O extrato seco da flor de hibisco pode ser encontrado em lojas de produtos naturais. Opte pela versão natural sempre que possível . Evite o chá pronto ou em pó. Essas opções vêm adoçadas e podem comprometer o seu objetivo de consumo da solução.

Busque comprar hibisco natural (Foto: Unsplash)

Beatriz reforça que “curar” é algo muito profundo. “Podemos dizer que os chás possuem princípios ativos que aliviam diversos tipos de sintomas e ajudam no restabelecimento da saúde. A cura só existe quando a causa da doença é descoberta e sanada”, explica.

Fonte: Beatriz Eksterman Mastroeni é naturóloga, com especialização em fitoterapia, e nutricionista clínica funcional. Atualmente é nutricionista do Programa “Mais Saúde” na Sodexo.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes