Coceira na cabeça: conheça as principais causas e tratamentos  

Em geral, o incômodo não passa de uma simples irritação, mas, se for persistente, pode indicar problemas mais sérios no couro cabeludo. 

Com frequência, a coceira na cabeça é apenas um incômodo passageiro. Aliás, pode se tornar até um costume levar as mãos aos cabelos, como em momentos de dúvida, não é mesmo? Mas, às vezes, ela pode representar mais que isso. “A coceira é normal quando esporádica e em baixa intensidade. Quando há duração maior, ou seja, se é constante e intensa, é indicativo de algum problema no couro cabeludo”, explica a dermatologista Simone Stringhini.   

A irritação pode aparecer como resultado de alergias a produtos cosméticos ou uso de chapinhas e secadores. Além disso, em casos mais graves, é consequência de inflamações como dermatite ou psoríase. Por isso, é importante estar sempre atento à saúde do couro cabeludo. 

Conheça agora as principais causas, dicas e cuidados para evitar e tratar a coceira na cabeça. 

 

Alergia no couro cabeludo 

Se você sente coceira na cabeça e nota, além disso, que o couro cabeludo está seco e escamoso, pode ser que precise lavar e enxaguar melhor os cabelos. Por outro lado, se você tem coceira e erupção na pele, a causa pode ser uma reação alérgica. “Isso é comum, principalmente, em quem pinta o cabelo”, diz Lucas Fustinoni, médico tricologista.  

Outros sinais de alergia são vermelhidão, lesões, descamação e sensibilidade na região. Nesse caso, é necessário interromper o uso do produto que está causando a reação. Também é importante consultar um dermatologista para avaliar a situação. Às vezes, são prescritas medicações ou pomadas, como aquelas à base de babosa, por exemplo.  

“Você pode levar ao médico o produto que causou a coceira na cabeça para avaliar a fórmula e identificar qual composto causou a alergia e, assim, evitar que aconteça novamente”, aconselha Simone. 

 

Dermatite seborreica causa coceira na cabeça 

Trata-se da famosa caspa, uma descamação na pele que também apresenta manchas vermelhas e coceira na cabeça. Ademais, causa ardência e desconforto no couro cabeludo.   

O problema surge por diversos fatores. Por exemplo, falta de limpeza ou lavagem incorreta do cabelo. “Aliás, existe um mito de que não é bom lavar o cabelo diariamente. Mas, pelo contrário, isso pode prevenir a caspa e outras doenças do couro cabeludo, pois o acúmulo de oleosidade favorece a dermatite seborreica”, detalha Simone.  

Além disso, abafar ou deixar o couro cabeludo úmido são fatores de risco. “Há ainda uma íntima relação do psicológico com as crises de dermatite seborreica. Ou seja, períodos de estresse e ansiedade desencadeiam quadros mais intensos de descamação e coceira na cabeça“, acrescenta o dermatologista Daniel Cassiano.  

Como tratamento, recomenda-se shampoo anticaspa e produtos especiais que um profissional pode receitar. Outras dicas seriam lavar com frequência, com as pontas dos dedos, e evitar prender ou dormir com os cabelos enquanto úmidos. “Por fim, não aplique condicionador ou máscara na raiz e enxágue com água morna ou fria”, completa a dermatologista Luciana Garbelini. 

Coceira na cabeça
Imagem: reprodução / pinterest

 

Pediculose 

Apesar de ter um nome difícil, essa causa de coceira na cabeça nada mais é que uma infestação de piolhos. De acordo com Simone, a maior incidência é, de fato, na infância. “Deve-se evitar compartilhar objetos que têm contato com o cabelo, como pente, escova e acessórios. Se estiver em um ambiente com alguém que está com pediculose, não fique próximo, pois o risco de contágio é alto.”  

Por outro lado, o tratamento, em geral, é simples. “Além do pente fino, existe remédio via oral e de uso tópico. O uso de medicamento oral pode não ser necessário em casos mais brandos”, afirma Lucas.  

   

Coceira na cabeça pode ser sinal de micose  

A micose é uma infecção causada por um fungo que também pode afetar o couro cabeludo. Os sintomas são erupção na pele e coceira na cabeça. Pode, eventualmente, causar inchaços com pus e queda de cabelo. Já o tratamento requer  avaliação médica. 

É recomendável não dividir acessórios de cabelos com outras pessoas, visto que é uma doença contagiosa. 

  

Psoríase  

O principal sintoma dessa doença autoimune são placas vermelhas que aparecem em qualquer parte da pele. No couro cabeludo, causa não apenas coceira na cabeça, como também descamação semelhante à caspa. 

Existem muitos tratamentos para aliviar os sintomas a psoríase do couro cabeludo, como shampoo com medicação, mas vale dizer que a doença não tem cura, apesar de não ser contagiosa. 

  

Problema nervoso e câncer de pele  

A frequente coceira na cabeça, sem sinais de erupção cutânea, pode indicar um problema nervoso. “A neuropatia é um problema ao longo de um nervo. As doenças que podem afetar os nervos incluem herpes zóster e diabetes. Perda de cabelo com cicatrizes profundas podem danificar os nervos. Isso leva à coceira no couro cabeludo”, informa Lucas.  

Além disso, o câncer de pele no couro cabeludo também causa coceira. É importante sempre consultar um médico para descobrir a doença de forma precoce, o que aumenta as chances de cura e a orientação correta do tratamento. 

Cuidados com os cabelos
Imagem: reprodução / pinterest

Cuidados para evitar a coceira na cabeça 

 

Para se proteger da coceira na cabeça é importante tomar alguns cuidados. Em primeiro lugar, mantenha os cabelos limpos e sem resíduos de produtos. Você pode, aliás, adotar um cronograma capilar e uma rotina de lavagem ideal para o seu tipo de fio. 

 Dê preferência a shampoos e condicionadores sem substâncias agressivas e com ingredientes naturais. Nesse sentido, as técnicas low poo e no poo podem ajudar.  

 Lembre-se de aplicar condicionador, creme ou máscara apenas no comprimento do cabelo e evite usar chapinha ou secador com muita frequência. Além de danificar os fios, o calor pode gerar coceira na cabeça 

 Por fim, se a irritação for constante ou acompanhada de outros sintomas, procure um médico assim que possível. 

Fontes
Daniel Cassiano, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Lucas Fustinonitricologista e membro da World Trichology Society. Luciana Garbelini, dermatologista especialista em cosmiatria e parceira da Souvie. Simone Stringhini, dermatologista e membro da Academia Americana de Dermatologia. 

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.