Covid-19: saiba como será a vacinação em grandes capitais do Brasil

Após a autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) por unanimidade para o uso emergencial das vacinas Coronovac e de Oxford contra a Covid-19, finalmente a vacinação contra a doença começou no Brasil. Com isso,  grandes capitais brasileiras preparam suas estruturas operacionais para dar início à campanha de vacinação em suas cidades. Confira como será a imunização nas capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Salvador, Campo Grande e Manaus. 

 

Vacinação no Brasil — São Paulo – São Paulo

A vacinação contra a covid-19 no estado de São Paulo, iniciada no domingo, continua nesta segunda-feira (18) no Hospital das Clínicas da capital paulista, desde cerca das 7h. Serão vacinados profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate à doença.

Ontem, pouco mais de cem pessoas já haviam recebido o imunizante na capital paulista, incluindo a enfermeira Mônica Calazans, primeira pessoa vacinada no país. Para organizar a logística de vacinação, o governo de São Paulo lançou o portal Vacina Já, para fazer um pré-cadastro e orientar sobre dias, horários e locais de vacinação. Nesta primeira semana, a vacinação na capital será feita apenas no Hospital das Clínicas da cidade. O HC disponibilizou um galpão para vacinar todos os 30 mil funcionários.

 

Os locais vão funcionar 12 horas por dia, das 7h às 19h. Cada profissional de saúde receberá duas doses da vacina do Butantan, com intervalo de 21 dias entre cada aplicação, conforme prevê o Plano Estadual de Imunização (PEI).

Atenção: o calendário anunciado anteriormente pelo governo, que previa datas para idosos e outros grupos deixa de valer neste momento por conta da antecipação do cronograma para os profissionais do HC. Ou seja, ainda não é hora de se dirigir a postos de vacinação. Na semana seguinte, como ainda deve ser anunciado pelo governo, o cronograma deve voltar a atender o público-alvo previamente estipulado.  

 

Rio de Janeiro – Rio de Janeiro

Eduardo Paes (DEM) anunciou em rede social, na manhã desta segunda-feira, que a vacinação na cidade do Rio de Janeiro será feita hoje (18), no Cristo Redentor. A primeira dose da vacina será aplicada em ato simbólico marcado para às 17h, diante do mais famoso símbolo da cidade. 

- PUBLICIDADE -

No dia 8 de janeiro, Paes havia anunciado que a vacinação iria começar dia 25. O prefeito fechou um acordo para a aquisição de 3,3 milhões de doses da CoronaVac, desenvolvida em parceria entre o Butantan e o laboratório chinês Sinovac. Um lote de 487.500 doses da CoronaVac chegará ao RJ às 13h. O prefeito disse que a cidade terá 450 postos, “alguns com drive-thru”. Essa primeira fase vai imunizar, nas contas do Ministério da Saúde, 232.521 fluminenses dos seguintes segmentos:

 

  • Trabalhadores da Saúde;
  • Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas (em asilos ou abrigos)
  • Pessoas com deficiência institucionalizadas (internados)
  • Indígenas e quilombolas em terras próprias.

 

 

Vacinação no Brasil — Belo Horizonte – Minas Gerais

O governador Romeu Zema (Novo) disse que a vacinação em Minas Gerais deve começar hoje, às 17h. Segundo Zema, o público-alvo neste primeiro momento são indígenas que vivem em aldeias, idosos e pessoas com deficiência que vivem em instituições como asilos, e 34% dos profissionais da saúde.

 

Em entrevista exclusiva à rádio CBN, o governador ainda disse que as 577 mil doses da vacina CoronaVac serão suficientes para imunizar o público-alvo da fase 1 da campanha de vacinação em Minas Gerais. Segundo ele, esse público-alvo é de 275.088 pessoas no estado. Veja a seguir quais são os grupos prioritários para receber a vacina na 1ª fase:

  • Trabalhadores da área da saúde
  • Pessoas com 75 anos ou mais
  • Pessoas com 60 anos ou mais que estão em asilos
  • População indígena aldeada em terras demarcadas
  • Povos e comunidades tradicionais ribeirinhas

 

- PUBLICIDADE -

 

Curitiba – Paraná

Leia também

Mulheres grávidas vão poder se voluntariar para testes da…

Saiba como funciona a vacina da Pfizer e BioNTech contra…

A vacinação contra a Covid-19 no Paraná deve começar nesta segunda-feira (18), de acordo com o governador do estado, Ratinho Junior. “Declaro aberta a campanha de vacinação contra o coronavírus no Estado do Paraná. A partir de hoje, escreveremos um novo futuro”, escreveu o governador Ratinho Junior em uma rede social. A primeira dose deve ser aplicada em um evento simbólico no Hospital do Trabalhador, em Curitiba, às 17h.

 

No entanto, o início da imunização depende da chegada das doses no estado. As caixas com as vacinas começaram a ser enviadas pelo Ministério da Saúde na manhã desta segunda-feira. De acordo com a programação do governo federal, o Paraná receberá 265 mil doses na primeira remessa de vacinas enviadas aos estados. Na primeira fase da vacinação, o Ministério da Saúde prevê que sejam vacinadas no Paraná:

  • 102.959 trabalhadores de saúde,
  • 12.224 pessoas com mais de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência,
  • 10.816 indígenas,
  • 482 pessoas com deficiência que vivem em instituições de longa permanência.

O Paraná informou que os seguintes grupos serão vacinados até o fim do 1º semestre de 2021: 

Primeira fase:

- PUBLICIDADE -

  • Trabalhadores da saúde;
  • Idosos a partir dos 75 anos de idade;
  • Pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência, como asilos e instituições psiquiátricas;
  • População indígena.

Segunda fase:

  • Pessoas de 60 a 74 anos.

Terceira fase:

- PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes