Fabricante não recomenda o uso de ivermectina contra COVID-19

A farmacêutica Merck soltou um comunicado oficial na quinta-feira (4) afirmando que não há bases cientificas que comprovem a eficácia do medicamento no combate ao coronavírus.

O vermífugo ivermectina ganhou destaque nos últimos meses de pandemia. Pois muita gente começou a tomar o remédio como forma de prevenir e combater o coronavírus. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi um dos grandes defensores do medicamento. Contudo, ontem (4), a fabricante de ivermectina, farmacêutica Merck, afirmou que não há dados ou estudos que comprovem a eficácia do medicamento no combate à COVID-19. Portanto, não recomenda-se seu uso para profilaxia ou tratamento da doença.

Ivermectina COVID-19

A Merck afirmou, em comunicado, que seus cientistas estão a todo tempo estudando sobre a relação entre a ivermectina e a COVID-19. Contudo, até o momento não foram identificadas bases cientificas que provem que o remédio está relacionado ao combate à doença. Confira o trecho do comunicado da farmacêutica.

A Merck (NYSE: MRK), conhecida como MSD fora dos Estados Unidos e Canadá, afirma hoje sua posição em relação ao uso de ivermectina durante a pandemia de Covid-19. Os cientistas da empresa continuam a examinar cuidadosamente as descobertas de todos os estudos disponíveis e emergentes de ivermectina para o tratamento de Covid-19 para evidências de eficácia e segurança. É importante observar que, até o momento, nossa análise identificou:

  • Nenhuma base científica para um efeito terapêutico potencial contra Covid-19 de estudos pré-clínicos;
  • Nenhuma evidência significativa para atividade clínica ou eficácia clínica em pacientes com doença Covid-19, e;
  • A preocupante falta de dados de segurança na maioria dos estudos.

Não acreditamos que os dados disponíveis suportem a segurança e eficácia da ivermectina além das doses e populações indicadas nas informações de prescrição aprovadas pela agência reguladora.

O que é ivermectina?

ivermectina covid-19
Foto: Prefeitura de Itajaí

- PUBLICIDADE -

Usado em tratamentos para oncocercose, elefantíase, pediculose, ascaridíase e escabiose, a ivermectina é um vermífugo que tem como função eliminar parasitas do organismo. O vermífugo foi criado há 40 anos e em 2015 rendeu um premio Nobel da medicina para descobridores William C. Campbell e Satoshi Omura.

Leia também

Nova variante do coronavírus no Brasil: veja os sintomas

Saiba quem tem direito de receber a vacina da Covid-19 em…

O medicamento pode ser encontrado em farmácias comuns e é vendido sem receita, após determinação da Anvisa em setembro de 2020. O remédio genérico pode ser encontrado a partir de cerca de R$13 nas drogarias.

Em que situações ela deve ser usada?

O medicamento é um antiparasitário, podendo ser usado no combate à diversas infestações. Alguns exemplos de seu uso são:

  • Estrongiloidíase intestinal;
  • Filariose, popularmente conhecida como elefantíase;
  • Escabiose, também chamada de sarna;
  • Ascaridíase, que é a infecção pelo parasita Ascaris lumbricoides;
  • Pediculose, que é a infestação por piolhos;
  • Oncocercose, popularmente conhecida como “cegueira dos rios”.

Contudo, o paciente sempre deve buscar e seguir as orientações médicas para cada caso. Pois a automedicação é uma prática perigosa, que deve ser evitada.

Ivermectina contra COVID-19

No ano de 2020, muita gente apostou no medicamento como forma de prevenção e tratamento da COVID-19. Embora especialistas tenham afirmado que não há evidencias de sua eficácia contra o coronavírus, o presidente do Brasil defende fortemente o uso do medicamento. No começo de 2021, o presidente voltou a defender que o remédio seria positivo no combate à COVID-19.

- PUBLICIDADE -

ivermectina covid-19
Foto: Reprodução/Twitter

Não há bases cientificas que comprovem o conteúdo de sua postagem, na qual Bolsonaro também fez apologia ao uso do medicamento antiviral nitazoxanida, conhecido como Annita. Este também não tem comprovação  de sua eficácia no uso contra o coronavírus. Além disso, a Sociedade Brasileira de Infectologia já publicou comunicados reforçando que não é possível afirmar a eficácia da ivermectina contra a COVID-19. Entretanto, recomenda-se que a pessoa infectada siga as orientações médicas.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes