Não faz parte do grupo de risco? Veja qual seu lugar na fila de vacinação

“Qual é meu lugar na fila de vacinação?”, com certeza esta é uma pergunta que está sendo feita por milhares de brasileiros e brasileiras nesta segunda-feira (18), dia em que começou oficialmente a campanha de imunização contra a Covid-19 no Brasil.

A verdade é que até o momento não há respostas exatas e precisas sobre o lugar na fila, mas é possível ter uma previsão de acordo com o calendário divulgado pelo governo federal, que afirmou que a Campanha Nacional de Vacinação irá respeitar fases de acordo com os grupos de risco, faixas etárias e profissionais.

Confira abaixo quais deverão ser as ordens seguidas pelos governos estaduais nos próximos meses:

Vacinação contra a Covid-19 começou ontem (17) no Brasil (Foto: Reprodução Instagram @governosp)

Quem está na fila de vacinação – Fase 1

Esta fase foi iniciada nesta segunda-feira (18), mas ainda como experimentação.  As primeiras vacinas aplicadas até o momento foram destinadas para os profissionais da saúde e indígenas. O imunizante do Instituto Butantan em parceria com a Sinovac, a CoronaVac, saiu na frente e marcou o início da vacinação no país.

  • Pessoas com mais de 75 anos ou com mais de 60 anos em casas de repouso;
  • Povos tradicionais, indígenas e ribeirinhos;
  • Trabalhadores da saúde (médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, entre outros);
  • Trabalhadores de apoio (recepcionistas, seguranças, entre outros);

A expectativa é de imunizar cerca de 14,8 milhões de pessoas só nesta primeira fase, de acordo com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

- PUBLICIDADE -

Quem está na fila de vacinação – Fase 2

Este momento está previsto para ter início após o segundo e terceiro mês após início da campanha, ou seja, nos meses de abril e maio. Nesta segunda fase é esperado imunizar cerca de 22,1 milhões de pessoas.

  • Pessoas de 60 a 74 anos que não vivem em casas de longa permanência (asilo, centros psiquiátricos, entre outros).
(Foto: reprodução / Pinterest)

Quem está na fila de vacinação – Fase 3

A terceira fase está prevista para iniciar no mês de junho. Segundo o governo federal cerca de 12,7 milhões de pessoas serão vacinadas.

  • Pessoas com comorbidades (diabetes, hipertensão arterial grave, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal, doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, indivíduos transplantados de órgão sólido, anemia falciforme, câncer ou obesidade grave).

Quem está na fila de vacinação – Grupo Prioritário

A fase chamada de Grupo Prioritário marca o início da vacinação na população de acordo com os serviços prestados. Sua data de início está prevista para acontecer durante 12 meses após o início da Fase 3, ou seja, em junho. O governo pretende vacinar cerca de 10 milhões de brasileiros.

  • Profissionais da área de educação (professores do nível básico ao superior, sendo eles de instituições públicas ou privadas;
  • Profissionais da área da segurança (policial federal, militar ou civil, Forças Armadas e bombeiros);
  • Funcionários do sistema prisional, incluindo presos;
  • Quilombolas;
  • Moradores de rua;
  • Portadores de deficiência.
(Foto: Reprodução /Unsplash)

Quem está na fila de vacinação – Grupo Não Prioritário

- PUBLICIDADE -

Esta fase contemplará a maioria da população brasileira, isso porque a previsão é que 120 milhões de pessoas sejam vacinadas. Entretanto, o momento ainda não possui previsão de datas ou meses, já que é o último da Campanha Nacional de Vacinação. Os brasileiros e brasileiras que pertencem a esta posição deverão esperar até que o Grupo Prioritário se vacine nos próximos 12 meses seguintes da Fase 3.

  • Pessoas entre 18 e 59 anos;
  • Pessoas que não estão em condição de vulnerabilidade social;
  • Pessoas que não atuam em profissões essenciais;
  • Pessoas que não possuem comorbidades.

 

(Fonte: Reprodução)

Quem não está na fila de vacinação

O governo ainda não traçou um plano de imunização para menores de 18 anos, crianças e gestantes. Por falta de informações, as vacinas não são recomendadas para este grupo, então o que resta é esperar!

CoronaVaccovid-19PandemiaVacina
Comentários (0)
Comentar