Quando o uso de máscara em São Paulo não será obrigatório?

O uso de máscara em São Paulo ainda está vigente, mas o governo estadual já prevê que o item não deverá ser mais obrigatório em ambientes externos a partir do início do mês de dezembro – quase dois anos após o início da pandemia do coronavírus.

De acordo com a gestão Dória (PSDB), a flexibilização só vai acontecer quando o estado aumentar o índice de sua população totalmente vacinada. Isto é, com duas doses ou vacina única da Janssen. Desta forma, espera-se também que quanto menos casos, internações e mortes pela covid forem registradas, mais rápida será a liberação.

São Paulo vai liberar uso de máscaras?

O estado de São Paulo se prepara para a liberação do uso de máscaras nas próximas semanas. Em declaração no dia 3 de novembro de 2021, o coordenador do Comitê Cientifico de SP, João Gabbardo, a dispensa da proteção pode ser autorizada no início do mês de dezembro, mas apenas em ambiente aberto, sem aglomeração. Até lá, quem descumprir a regra está sujeito a multa.

Anteriormente, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) teria dito que o acessório seria obrigatório até 31 de dezembro de 2021.

Os Estados Unidos e Holanda chegaram a anunciar o fim do item de proteção, mas algumas regiões enfrentaram novos picos de covid e por isso voltaram atrás em relação a exigência. Israel também liberou o uso da máscara, e por lá os casos cresceram de novo.

Alguns municípios brasileiros  já liberam que a população possa ficar sem usar máscara em espaços abertos. Vale lembrar que parcela da população tem usado o acessório, sobretudo, quando estão com sintomas respiratórios. O objetivo é evitar com que não haja mais infectados e que adoeçam.

Uso de máscara na cidade de São Paulo

Na capital de São Paulo, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) já disse que pretende liberar o uso de máscara após o dia 10 de novembro de 2021. Em entrevista à Globonews na quarta-feira, dia 27 de outubro, o chefe do executivo disse que a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) irá apresentar novo estudo sobre a regra. Na cidade, mais de 92% dos adultos já estão imunizados.

Contudo, até o momento, a cidade permanece com a obrigatoriedade. “No dia 10 de novembro, a Secretaria da Saúde apresenta um novo estudo, com o monitoramento de outras pessoas, pra gente poder tomar uma decisão. Por enquanto, na cidade de São Paulo, por conta do estudo científico, permanece a obrigatoriedade do uso da máscara”.

Nunes afirma que haverá monitoramento do uso de máscaras na cidade por meio de drones. “Hoje, se você passar lá na 25 de Março [rua] vai ter um ou outro sem máscara. Eu tenho, de vez em quando, pedido imagem de drones para poder observar como que estão os locais de maior aglomeração”.

Uso de máscara no Brasil

Usar máscara no Brasil é lei, mas cada estado ou município tem poder para definir suas próprias regras. Ou seja, uma cidade poderia dizer que obriga ou não essa medida. Por exemplo, o Rio de Janeiro liberou a máscara em locais abertos. No entanto, a exigência continua para ambientes internos. Além disso, boates, casas de show e pista de dança já funcionam na capital fluminense com 50% da capacidade.

Já no Distrito Federal, o governador, Ibaneis Rocha (MDB), disse que a partir de 3 de novembro, o item não é mais compulsório em lugares abertos. Em Mato Grosso do Sul, o uso nunca foi exigido em ambientes externos. Entretanto, lá, a capital, Campo Grande, que estuda liberar, fez decreto com essa imposição.

Por que precisamos usar máscara?

Especialistas em saúde dizem que é preciso usar máscara para prevenir casos de doenças respiratórias, como a covid-19. Vale lembrar que elas não impedem totalmente a chance de infecção. Por isso, é importante higienizar bem as mãos, evitar aglomerações e ambientes fechados e buscar a vacina.

Em geral, os órgãos de vigilância epidemiológica podem dizer se é, ou não, o momento certo para deixar de utilizar as máscaras. Portanto, consulte o que as secretarias municipal e estadual de onde você mora para ter certeza sobre a exigência.

Em entrevista ao DCI, o médico infectologista Rodrigo Nascimento explicou que o uso de máscaras é essencial para aumentar a proteção, em especial em lugares fechados e com aglomerações. Certos países do mundo, sobretudo da Ásia, boa parte da população já usava o item, para evitar doenças respiratórias.

Em geral, tais itens devem cobrir nariz e boca, para vedar o rosto e impedir gotículas e aerossóis no ar que podem estar infectados. Além disso, também reduzem infecção de bactérias, fungos e outros vírus.

Quais são as máscaras que as pessoas devem utilizar para prevenir covid-19?

Muitos pesquisadores dizem que as máscaras de melhores condições devem ser priorizadas pelas pessoas. Portanto, as N95 ou PFF2 são as mais recomendadas. Elas fixam melhor no rosto e impedem mais a chance de infecção.

A Peça Facial Filtrante (PFF2) é um Equipamento de Proteção Individual (EPI), sendo muito usada por profissionais de saúde, no Brasil. O mesmo equipamento é chamado de N95 nos Estados Unidos e em países europeus, é conhecida por FFP2.

Ela costuma ter um poder de filtragem do ar maior que as máscaras cirúrgicas descartáveis (aquelas mais finas, compradas em grande quantidade).

Além disso, a população em geral também pode utilizar ela. Sobretudo em ambientes de alto risco de infecção, como transporte público, supermercados ou hospitais, por exemplo. Antes, recomendava-se deixá-las apenas a profissionais de saúde, mas a produção aumentou e agora há mais disponibilidade.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes