Tumor de pele: conheça mitos e verdades sobre a doença

Uso de protetor solar, autoexame, marcas e sinais… Aprenda o que é verdadeiro ou falso quando o assunto é o tipo de câncer mais frequente no Brasil. 

O último mês do ano marca o início do verão no hemisfério Sul. Além disso, junto com os dias quentes, começa uma campanha de grande relevância. Trata-se do Dezembro Laranja. A iniciativa discute o tumor de pele, o tipo de câncer mais comum entre os brasileiros. 

A ação foi criada com o intuito de estimular a população a adotar práticas saudáveis no dia a dia. Principalmente no que diz respeito à prevenção e uso de protetor solar. Ademais, especialistas alertam para a importância do diagnóstico precoce. “Uma forma de democratizar o diagnóstico é, sem dúvida, falar mais sobre o tema. Ademais, é preciso incentivar o cuidado com a fotoproteção”, afirma a oncologista Andréia Melo.

 

Fatores de risco

pintas podem ser sinal de câncer
Imagem: reprodução / Pinterest

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Pessoas de pele e olhos claros são mais vulneráveis ao tumor de pele. Assim como quem faz bronzeamento artificial. Ou ainda quem trabalha muitas horas sob o sol. Por fim, diabetes, tabagismo, certas medicações e casos de melanoma na família são outros fatores de risco.

E os maiores aliados na luta contra a doença são, de fato, a prevenção e o diagnóstico precoce. “O autoexame de pele deve ser rotina. Procure sintomas como alteração de cor e tamanho de pintas, por exemplo. Ou sangramento e formação de crostas nelas”, diz a médica. Mas lembre-se de checar áreas como pés e couro cabeludo também. “Mesmo pequenos sinais podem ser suspeitos. Se desconfiar, vá ao dermatologista.” Afinal, quanto antes o tumor de pele for identificado, maiores as chances de tratamento e cura.

 

Mitos e verdades do tumor de pele 

tumor de pele
Imagem: reprodução / Pinterest

 

Muitas dúvidas cercam o assunto tumor de pele. Por isso, contamos com a ajuda do oncologista Sergio Jobim Azevedo para esclarecer alguns mitos e verdades relacionados à doença. Confira.

 

Você não precisa usar protetor em dias nublados. 

Mito. Os raios ultravioleta, principalmente o UVA, estão presentes mesmo em dias nublados. Na mesma intensidade. Portanto, o filtro solar é indispensável para proteger contra o tumor de pele. Além disso, evite ao máximo se expor diretamente ao sol. Principalmente das 10h às 16h. Complete o cuidado com viseiras, chapéus ou bonés e óculos de sol. 

 

O risco do tumor de pele é maior no verão.

Verdade. Até porque, o que determina maior risco de câncer de pele é o índice ultravioleta (IUV). Ele mede o nível de radiação solar na superfície da Terra. Então, quanto mais alto, maior o risco de danos à pele. O índice é maior no verão, no entanto pode ser alto em outras épocas do ano também.

 

Quem tem pele, cabelo e olhos claros corre maior risco de ter tumor de pele. 

Verdade. Mas atenção: quem não tem essas características não está imune ao tumor de pele. De fato, as pessoas que produzem mais melanina (pigmento que dá cor à pele) têm um fator de proteção extra. Ou seja, fica menos vulnerável. Entretanto, a regra de proteção vale para todos. 

 

Toda pinta escura é câncer de pele.

Mito. Só o médico pode avaliar cada caso. Dessa forma, ele pode indicar a retirada ou não da pinta. Mas fique atento a pintas que coçam, crescem ou sangram.

 

Câncer não-melanoma pode evoluir para melanoma.

Mito. Essas lesões são diferentes. No entanto, o tumor de pele não-melanoma, menos agressivo e mais comum, indica abuso do sol. Assim, é preciso cuidado redobrado para não ter, também, um melanoma.

 

Melanoma não tem cura.

Mito. O essencial é fazer o diagnóstico precoce. Como resultado, os tratamentos são mais eficientes. Ainda assim, vale dizer que já existe tratamento inclusive para estágios mais avançados do câncer de pele. 

 

Somente regiões expostas podem ter tumor de pele.

Mito. Apesar de terem mais risco, a verdade é que qualquer parte do corpo pode ser afetada. Afinal, raios ultravioleta atravessam janelas e até mesmo o concreto. Aliás, alguns subtipos de tumor de pele podem surgir em áreas mais escondidas. É o caso de genitais, glúteos, couro cabeludo, palmas das mãos, solas dos pés, debaixo das unhas e entre os dedos.

 

Câmaras de bronzeamento são 100% seguras.

Mito. As câmaras de bronzeamento não são seguras e podem, sim, causar câncer.

 

Quem tem muitas pintas ou histórico familiar de tumor de pele corre mais riscos.

Verdade. Tem histórico familiar da doença ou mais de 50 pintas no corpo? Então vá ao médico com mais frequência. Além disso, aumente os cuidados com a proteção.

Fontes
Andréia Melo, oncologista  do Grupo Oncoclínicas. Chefe da Divisão de Pesquisa Clínica do INCA. Sergio Jobim Azevedo, oncologista. Líder do grupo de pele da Oncoclínicas.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes