Ministro do Turismo diz que sites de viagens ‘fiscalizam’ meio-ambiente

Gilson Machato Neto alega que turistas e sites de gerenciamento de hotéis são responsáveis por supervisionar o meio ambiente. O Ministro tomou posse da pasta em dezembro do ano passado.

O atual Ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, afirmou ontem (11), em entrevista ao programa Poder em Foco, do canal de televisão SBT, que quem deve fiscalizar se o meio ambiente está sendo preservado são os sites de gerenciamento de reservas de hotéis. Machado ainda declarou que o Brasil “é o país mais preservado”.

Gilson Machado tomou posse da pasta em dezembro de 2020, no lugar de Marcelo Álvaro Antônio, no Palácio do Planalto. Durante a cerimônia, ele defendeu o turismo como motor para a retomada do crescimento. Machado era presidente da Embratur, ou Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo.

Segundo o Ministro, os comentários dos turistas nestes sites — chamados de motores de reservas e “aliados” por Machado — são formas de assegurar a vida do meio ambiente, pois, de acordo com ele, outros viajantes não irão até o local caso vejam classificações negativas de pontos turísticos nos sites. 

Ministro do Turismo e o TripAdvisor

Confira o trecho: “Eu não tenho dúvida que o país da gente é o mais preservado. Sabe porque? Nós hoje temos um aliado chamado motor de reservas, Booking, Expedia TripAdvisor. Esses motores de reserva é quem vai julgar se o meio ambiente está preservado. É com o próprio turista”, afirma. 

Vale lembrar que o IBAMA, sigla para Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, é a organização vinculada ao Ministério do Meio Ambiente responsável por assegurar o uso sustentável dos recursos naturais brasileiros. O IBAMA é a instituição que age pela fiscalização, proteção e preservação do meio ambiente. Além disso, é responsável pela melhoria e a recuperação da qualidade ambiental, além de assegurar o desenvolvimento econômico, com o uso sustentável dos recursos naturais.

É importante ressaltar também que o Brasil encerrou 2020 com o maior número de focos de queimadas em uma década, de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgados dia 01 de janeiro de 2021. A floresta amazônica brasileira perdeu 8.426 km2 em 2020 devido ao desmatamento. Além disso, também ocorreram 22.000 focos de incêndio (+ 120%) no Pantanal, a maior planície alagada do planeta, que perdeu quase um terço de sua superfície por causa de incêndios no ano passado.

O Ministro do Turismo ainda alega que se o turista “for em São Miguel dos Milagres, por exemplo, comprar um pacote para ir em uma pousada ou em um hotel, e ele chegar em um arrecife de coral, mergulhar e não ver um ouriço, não ver um peixe, ele bota lá [nos sites de reserva] ‘não volta, porque não tem meio ambiente preservado’. “Então, o próprio ‘trade’ [mercado] fica de olho na fiscalização ambiental”.

Veja a fala do Ministro do Turismo no vídeo abaixo:

Bali não permitirá turismo internacional ao menos até 2021

 

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.