125 anos do cinema: os 20 melhores filmes de todos os tempos

Em 28 de dezembro de 1895, aconteceu a primeira exibição de um filme com imagens em movimento. Este pequeno evento somente aconteceu graças aos Irmãos Louis e Auguste Lumière, pois eles inventaram a máquina responsável pela exibição do vídeo A Chegada de Um Trem na Estação com uma plateia. No final de 2020, comemorou-se os 125 anos do cinema, por isso compilamos uma lista dos 20 melhores filmes de todos os tempos. 

Em 28 de dezembro de 1895, aconteceu a primeira exibição de um filme com imagens em movimento. Este pequeno evento somente aconteceu graças aos Irmãos Louis e Auguste Lumière, pois eles inventaram a máquina responsável pela exibição do vídeo A Chegada de Um Trem na Estação com uma plateia. No final de 2020, comemorou-se os 125 anos do cinema, por isso compilamos uma lista dos 20 melhores filmes de todos os tempos.

Confira abaixo a lista baseada em escolhas realizadas pelo BFI (British Film Institute):

Cidadão Kane

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Cidadão Kane é unanimidade em listas dos melhores filmes de todos os tempos. Sua história acompanha a vida e a morte de Charles Foster Kane, um magnata da imprensa baseado na figura de William Randolph Hearst. Lançado em 1941, o roteiro deste filme foi inovador para a época, pois estabelece uma curiosa estrutura narrativa com personagens muito ricos. Surpreendentemente, a criação do roteiro de Cidadão Kane virou o tema do filme Mank, um dos favoritos ao Oscar 2021.

2001: Uma Odisséia no Espaço – 125 anos do cinema

O gênero da ficção científica nem sempre foi bem vista no meio da arte, mas o filme 2001: Uma Odisséia no Espaço é um dos responsáveis por sua popularização. Dirigida por Sstanley Kubrick, a obra é baseada no livro homônimo de Arthur C. Clarke. Na obra, um monólito preto, retangular e fosco aparece na vida de uma sociedade pré-histórica e desencadeia a evolução de hominídeos. Surpreendentemente, o objeto é construído por um povo de extraterrestres como uma ferramenta de observação em planetas com potencial de vida inteligente.

Um Homem com uma Câmera

Embora possa parecer um simples documentário, Um Homem com uma Câmera é muito mais que isso, afinal a intenção do diretor Dziga Vertov era a de fazer um filme experimental retratando o cotidiano na União Soviética.  Contudo, o estilo de filmagem (conhecido como cinema direto) criou os alicerces utilizados por muitos documentaristas

8½ – 125 anos do cinema

Federico Fellini é um dos nomes mais certeiros quando pensamos nos melhores filmes de todos os tempos. Seu filme 8½ talvez seja sua obra-prima, pois o cineasta utilizou o seu próprio bloqueio criativo como inspiração e tema para a produção de 1963. Muitas de suas cenas são inspiradas em sonhos do próprio Fellini, por isso diversos críticos apontam uma enorme influência da psicanálise jungiana no filme.

Apocalypse Now

Francis Ford Coppola sempre será lembrado pela saga da Família Corleone, mas talvez sua maior obra seja outra. Apocalypse Now é um dos melhores filmes produzidos sobre os cruéis efeitos da Guerra do Vietnã na sociedade e na cabeça dos soldados. A tensão e a profundidade criadas por Francis Ford Coppola e John Milius no roteiro fortalecem o poder do filme em abordar os principais problemas da guerra.

Os Sete Samurais – 125 anos do cinema

Certamente, Akira Kurosawa é o maior nome do cinema japonês. Seu filme Os Sete Samurais é uma das obras mais autênticas do cinema sobre o período Sengoku no Japão (marcado por constantes guerras civis).  Parte disso acontece pela grande atuação dos atores que interpretam os samurais, mas a insistência de Kurosawa em construir um set fidedigno à época dos guerreiros também reforça. No enredo, um grupo de samurais com diferentes personalidades são contratados para defender uma vila.

O Espelho

O cineasta russo Andrei Tarkovsky sempre foi um entusiasta da ideia de “esculpir no tempo”, pois ele buscava utilizar a passagem do tempo no filme como uma ferramenta para envolver mais o espectador. Além de ser um dos melhores filmes de todos os tempos e de sua carreira, O Espelho é um dos únicos a representar o funcionamento das memórias. O filme de 1975 é extremamente baseado na própria vida de Tarkovsky, e sua narrativa não linear aborda momentos muito importantes da história Soviética.

Blue Velvet – 125 anos do cinema

David Lynch é um dos maiores mestres modernos no cinema. Sua obra é muito inspirada no surrealismo de nomes como Luis Buñuel e Salvador Dalí, mas também incorpora diversos elementos da cultura pop. Blue Velvet talvez seja um de seus filmes mais interessantes, pois traz todos esses elementos em um roteiro que pode ser um pouco mais compreensível que clássicos como Eraserhead ou Cidade dos Sonhos. O filme também conquista seu mérito com a construção profunda e bizarra de todos os personagens da trama. Certamente, é um dos maiores filmes de Lynch.

Taxi Driver

Martin Scorsese é um dos mais aclamados diretores. Sua carreira conta com dezenas de ótimos filmes, mas nenhum tão grandioso quanto Taxi Driver. O filme utiliza o personagem Travis Bickle como um meio de demonstrar diversas inquietações culturais nos Estados Unidos durante a década de 1970. Podemos dizer que o impacto do filme na cultura pop também é enorme, afinal serve de inspiração para muitas produções modernas (como Coringa).

Metropolis – 125 anos do cinema

Embora sua bilheteria tenha sido um fiasco na época do lançamento, Metrópolis é um dos maiores filmes de ficção científica de todos os tempos. Sua história se passa em uma versão futurista de 2026 e acompanha uma história de paixão que surge em uma sociedade dividida entre operários explorados por máquinas e políticos ricos. Sua história certamente permanece muito atual.

Psicose

Alfred Hitchcock é um dos maiores mestres surgidos nos 125 anos do cinema. Obras como Janela Indiscreta, Um Corpo que Cai e Os Pássaros sempre serão bem faladas por entendidos do cinema, mas é em Psicose que sua arte mais brilhou. O filme é um incrível horror que precedeu muitas tendências que viriam a ser produzidas no cinema após a década de 1960. A atuação de Anthony Perkins como Norman Bates certamente é uma das maiores de toda a história do cinema, pois é extremamente convincente e marcante.

História(s) do Cinema – 125 anos do cinema

Para entender os 125 anos do cinema, nada melhor do que um filme que investiga a história da arte. História(s) do Cinema é uma das obras mais importantes da carreira do cineasta francês Jean-Luc Godard, pois é completo e explora mais de 100 referências cinematográficas. O trabalho em oito partes totaliza 266 minutos, mas é extremamente importante para qualquer pessoa que busca entender mais sobre cinema.

Luzes da Cidade

Charles Chaplin é um dos homens mais vitais de toda a história do cinema. Seu filme Luzes da Cidade é uma grande prova disso, pois mistura temas como pobreza, comédia e romance em uma história compenetrante. O filme pode ser mudo, mas seu roteiro e trilha-sonora constroem um filme incrível.

Sherlock Jr – 125 anos do cinema

Blade Runner

Voltando para tempos mais recentes da história do cinema, não poderíamos deixar de citar o incrível Blade Runner. Um dos maiores precursores da estética cyberpunk no cinema, o filme é baseado na obra de Philip K. Dick. Surpreendentemente, o filme tem se tornado cada vez mais relevante com o avanço de tecnologias similares às encontradas no filme.

Casablanca – 125 anos do cinema

Casablanca talvez seja um dos maiores filmes românticos nos 125 anos de cinema. Ao menos, ele é um dos filmes mais referenciados na cultura pop, pois sua dramática cena de despedida em um aeroporto é uma das mais recriadas ou referenciadas da história.

O Sétimo Selo

O Sétimo Selo é um clássico que analisa filosoficamente o significado da vida e da morte. O filme mostra o retorno de um cavaleiro da Cruzada da Fé que encontra sua terra devastada pela peste negra. Como resultado, o protagonista tem seu próprio encontro com a Morte, a quem desafia a uma partida de xadrez para ganhar tempo de vida e negociar sua morte.  Embora retrate a época das Cruzadas, a produção do filme foi muito inspirada pela desolação deixada na Europa pós-Segunda Guerra Mundial. Portanto, é um filme atemporal sobre a condição humana.

Um Cão Andaluz – 125 anos do cinema

Quando falamos de David Lynch e seu surrealismo, citamos o cineasta espanhol Luis Buñuel. Um Cão Andaluz é um filme dirigido por ele, mas roteirizado com o apoio do incrível Salvador Dalí. O filme marca o ápice das vanguardas européias, pois reproduzia uma arte chocante em um meio acessível como o cinema. Até hoje algumas de suas cenas podem incomodar o espectador, mas é justamente nesse fator que mora a qualidade do filme

Neste Mundo e no Outro

Neste Mundo e no Outro é um dos incríveis filmes que consegue unir estes dois temores em uma grande história. No enredo, um piloto sobrevive misteriosamente à queda de seu avião, mas em seguida descobre que isso só ocorreu como erro do condutor que te levaria ao outro mundo. O filme possui belos efeitos especiais muito avançados para a sua época.

Lawrence da Arábia – 125 anos do cinema

Inspirado na vida de T.E. Lawrence, Lawrence da Arábia é um dos maiores filmes épicos de aventura da história do cinema. Seu enredo acompanha o personagem titular, um oficial britânico que decide ajudar o povo árabe a se libertarem dos turcos. Quando foi lançado em 1963, Lawrence da Arábia ganhou 6 prêmios no Oscar daquele ano.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes