Como foi a abolição da escravatura no Brasil?

Lei Áurea foi assinada pela Princesa Isabel em 1888

Em Nos Tempos do Imperador, atual novela das seis da Globo, está sendo mostrada a história da abolição da escravatura. Na vida real, o acontecimento histórico ocorreu em 13 de maio de 1888 e foi assinado pela Princesa Isabel. Abaixo, veja como foi a abolição da escravatura.

Como foi a abolição da escravatura?

A abolição da escravatura aconteceu no dia 13 de maio de 1888 no Brasil por meio de Lei Áurea. O Brasil foi o último país a acabar com a escravidão, de acordo com informações do Mundo Educação.

O movimento para abolição contou com o apoio de parcelas significativas da sociedade e foi resultado de um processo longo e árduo de lutas. A libertação dos escravos não aconteceu por benevolência da família real, como está sendo mostrado na novela. Ao contrário disso, foi necessário um grande número de pessoas para forçar o império a libertar os escravos.

O processo de abolição aconteceu por meio da resistência dos próprios escravos, adesão de parte da sociedade e mobilização políticas de pessoas que defendiam a libertação.

Antes da Lei Áurea, outras leis foram aprovadas, conforme as ideias abolicionistas foram ganhando força na década de 1870. Em 1871, foi criada a Lei do Ventre Livre, que determinava que todo filho de escravo nascido a partir daquele ano seria livre.  Em 1885, foi aprovada a Lei dos Sexagenários, que dava alforria para os escravos com idade superior a 60 anos. Porém, eles eram obrigados a prestar “serviços indenizatórios” por três anos.

Com a resistência dos escravos, em 1880 começaram a surgir os quilombos, que abrigavam aqueles que fugiam, principalmente no Rio de Janeiro e em Santos.

A escravidão foi perdendo força com as constantes revoltas e fugas, e em 1884, os estados do Amazonas e Ceará decretaram a abolição em seus territórios.

Neste contexto, foi levado para o Senado o projeto que abolia a escravidão, proposto por João Alfredo, político do Partido Conservador. Após a aprovação pelos senadores, em 13 de maio de 1888, a Princesa Isabel assinou a lei e ela passou a valer em todo o território brasileiro.

O que vai acontecer em Nos Tempos do Imperador?

Na novela, a Condessa de Barral (Mariana Ximenes) criou a Sociedade Abolicionista das Camélias como uma forma de lutar pela libertação dos escravos. O movimento tem o apoio de Dom Pedro II (Selton Mello) e adesão de suas filhas Isabel (Giulia Gayoso) e Leopoldina (Bruna Griphao).

Nos últimos capítulos exibidos, a Sociedade convocou uma marcha pela libertação dos escravos. Porém, Tonico Rocha (Alexandre Nero) é uma verdadeira barreira na luta pela abolição, já que o deputado até chega a propor a volta do tráfico de escravos no país.

Como foi a abolição da escravatura
Personagens de nos tempos do imperador marcham pelo fim da escravidão – foto: reprodução/globoplay
Você pode gostar também