Padrão de beleza através dos tempos: veja como mudou

O padrão de beleza define o que uma sociedade entende como belo e muda bastante com o tempo, através das interferências históricas e culturais. Saiba mais.

Padrão de beleza” é um termo que descreve a compreensão do que é belo de acordo com os parâmetros e ideais de uma sociedade. Em outras palavras, o “padrão de beleza” nos informa o que é bonito e, assim, podemos dizer se alguma coisa ou pessoa é bela ou não.

Sendo assim, o padrão de beleza muda muito conforme mudamos de lugar e de época, sendo afetado por aspectos biológicos e culturais do ambiente. A pele será mais bela quanto mais branca em um século e o bronzeado será considerado extremamente atraente em outro.

 

Como era definido o padrão de beleza em outras épocas?

 

Independente de já ser entendido dessa forma ou não, o padrão de beleza sempre existiu. Porém, em épocas mais primitivas da humanidade, ele estava conectado a questões de sobrevivência da espécie. Naqueles tempos todas as nossas decisões e preferências tinham a intenção de garantir nossa continuidade. Assim, a beleza era percebida nas características que demonstravam saúde e fertilidade.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Porém, a medida que as civilizações se estabeleceram e os seres humanos pararam de se preocupar tanto em fugir de animais maiores e caçar animais menores, as coisas mudaram. Foi nesse momento que os padrões de beleza começam a ter a ver com a raça e cultura.

Sendo assim, a medida que as raças aparecem e as culturas evoluem e se diferenciam, também os padrões de beleza se tornam diferentes. Por exemplo, na Grécia Antiga o ideal de beleza para mulheres era ser ruiva e ter um corpo volumoso. Já na China Antiga, o padrão de beleza era uma mulher de ombros delicados, cintura fina e peito liso.

A partir daí, as mudanças nas percepções do que é belo se relacionam muito com o que acontece na história. Veja alguns exemplos:

 

Antiguidade

escultura Vênus de Milo
“Vênus de Milo”, Alexandre de Antioquia (100 a.C)

 

Na Antiguidade, a beleza estava mais ligada aos conceitos de saúde. Na Grécia Antiga, o corpo belo era aquele que mostrasse harmonia e proporção.

Nas mulheres, as curvas eram o ideal: seios volumosos e quadril largo eram sinais da capacidade física feminina de procriar.

 

Idade Média

padrao de beleza idade media
Detalhe da pintura “A virgem e a criança”, de Pieter Coecke van Aelst

Sabemos que a Idade Média foi um período bastante duro de se viver, marcado por muitas doenças, invasões bárbaras e obscurantismo. Porém, curiosamente, essa foi uma época em que os “padrões de beleza” não torturaram tanto assim as cabeças da humanidade.

Esse foi um efeito colateral da religiosidade muito forte da época: o culto ao corpo e a busca da beleza eram vistos como vaidade. Ou seja, se preocupar demais com a própria aparência era pecado.

No entanto, isso não quer dizer que as pessoas não se importavam com o que pensassem delas. Elas se importavam, mas com a sua aparência moral: mostrar-se puro e bom era o que contava.

Por esse motivo, para serem consideradas belas as mulheres deveriam seguir a figura da Virgem Maria. Assim, o ideal de beleza feminino da Idade Média pressupunha delicadeza: mãos, pernas e seios pequenos, com lábios finos e delicados.

Há relatos, inclusive, de que as mulheres costumavam prender os seios desde a infância, para evitar o crescimento.

 

Idade Moderna

padrão de beleza no renascimento
As três graças, Rafael (1504)

 

 

Após a seriedade e desapego à aparência da Idade Média, o Renascimento muda tudo: a beleza volta a ser celebrada. Esse período é caracterizado por tirar Deus do centro da cultura e colocar o homem.

Assim, ninguém mais se importa se a vaidade é pecado e os ideais da Antiguidade Clássica são resgatados. Neles, como já mencionamos, as mulheres devem ser voluptuosas, pois suas curvas são símbolos de sua fertilidade.

 

padrão-de-beleza-2
Imagem: Reprodução / Domínio Público

 

Uma mudança de paradigma muito interessante acontece: devido ao surgimento do espartilho e da disseminação de seu uso, as cinturas finas começam a fazer parte do imaginário de beleza.

Assim, podemos ver como a moda, uma questão totalmente cultural, foi capaz de afetar a percepção do que era um corpo bonito. Da mesma forma, a pele branca era considerada bela por indicar boa posição social, já que a pessoa que precisasse trabalhar ficava mais corada devido à exposição ao sol.

 

Idade Contemporânea

padrão de beleza através dos tempos
Imagem: Kim Kardashian (Reprodução / Instagram)

 

Na idade contemporânea, o padrão de beleza sofreu um processo de globalização e massificação, graças à velocidade com que as informações passaram a circular no mundo.

Esse foi um processo bastante lento e que tem muito a ver com a história também. Afinal, a medida que os países estabeleceram conexões e realizaram trocas, entramos em contato com diferentes concepções do que é ou não bonito.

Infelizmente, esse processo que deveria tornar o conceito de beleza mais diverso teve o efeito contrário. Assim, acompanhamos um fenômeno curioso, em que o ideal de beleza em diferentes países está cada vez mais parecido.

 

padrão de beleza 3
Imagem: Reprodução / Unsplash

 

Os problemas do padrão de beleza nos dias de hoje

 

A pesquisa realizada pela empresa Dove chamada “A Real Verdade Sobre Beleza” mostrou números preocupantes: apenas 4% das mulheres em todo o mundo se consideram bonitas, mas 72% das garotas sentem uma imensa pressão para serem. Além disso, mais da metade dessas mulheres admitiu que são elas mesmas quem mais as critica.

Atualmente, o padrão de beleza se afastou perigosamente da realidade dos corpos das pessoas normais, especialmente quando falamos de mulheres. Projetado em artistas e celebridade, o ideal físico é praticamente inatingível. Na verdade, às vezes ele realmente é inatingível: programas de edição de imagem e vídeo são usados todos os dias para fazerem modelos e atrizes parecerem mais magras do que é fisicamente possível.

O grande problema disso é o impacto na saúde mental da população: os transtornos alimentares se tornam cada vez mais comuns, especialmente entre os mais jovens. Sendo assim, movimentos pela aceitação e positividade corporal, principalmente alinhados ao movimento feminista, têm surgido na intenção de libertar mulheres e homens do padrão de beleza.

Afinal, não faz nenhum sentido que exista um único padrão de beleza no qual tantas pessoas com origens e histórias diferentes precisem se encaixar.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes