Hera: tipos e cuidados básicos para a saúde da planta trepadeira

Não sabe como começar a povoar a casa com plantas? Comece pela hera! A espécie é super resistente, além de ser um trunfo na decoração.

Não confunda a deusa grega, com a planta. Apesar das heras dividirem entre si a fertilidade, a rainha do Olimpo era conhecida por não gostar de dividir, enquanto a plantinha hera é só paz e amor. Ela, apesar de se apoiar em galhos e troncos na natureza, não os parasita. Ou seja, não rouba seus nutrientes.

Quanto a questão da fertilidade, uma muda de hera está sempre com os hormônios trabalhando. Ela é famosa por crescer muito rápido, seja em vasos ou muros. Além disso, é muito versátil e possui diversos formatos de folhas.

Tipos de hera

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A hera, de nome científico Hedera helix, é no geral uma planta trepadeira, que gosta de escalar. Por isso, ela é uma ótima opção para arranjos decorativos, como arcos de casamento.

 

Hera no arranjo
Imagem: Renmark Flower House (Reprodução / Instagram)

 

Outro fator em comum entre os tipos da espécie é a preferência por locais úmidos e também, a resistência a diversos ambientes e climas. Portanto, ela pode ser cultivada durante o ano inteiro, mas se na região onde você mora é muito frio no inverno, vale colocar o vaso de hera pra dentro de casa.

Hera Inglesa

 

Hera tipo inglês
Imagem: My Peaceful Momento (Reprodução / Instagram)

 

A hera inglesa é uma das espécies mais comuns nos lares e nas decorações Urban Jungle. Cultiva-se a planta tanto em vasos, quanto em canteiros. Se você optar por colocá-la num recipiente, prefira por espaços mais apertadinhos do que folgados.

É melhor deixar a hera inglesa num vaso menos espaçoso, porque ela retém muita água, então em jarros largos, corre-se o risco das raízes apodrecerem.

 

Hera inglesa goldchild

 

Hera inglesa
Imagem: Ian Marts (Reprodução / Instagram)

 

Entre as variações da hera inglesa, está a versão goldchild. A espécie se adapta bem a ambientes internos. Além disso, a plantinha chama atenção por possuir folhas miudinhas, com miolo bicolor -amarelo e verde.

 

Hera japonesa

 

Hera japonesa
Imagem: Ian Taylor (Reprodução / Instagram)

 

A hera japonesa é de origem asiática e é muito comum em muros e fachadas de casa e prédios. Utiliza-se a planta para esse fim, pois ela não atrai muitos bichos, além de ter uma folhagem que troca de cor conforme a estação do ano.

A hera de folhagem simples, brilhante e com borda serrilhada fica avermelhada na primavera, e assume um tom esverdeado no verão. Já no outono ela fica acobreada, e no inverno ela tem aparência mais sequinha.

 

Hera-da-algéria

 

Quarto com plantas
Imagem: Urban Jungle Brasil (Reprodução / Instagram)

 

A hera-da-algéria é uma alpinista por natureza. Porém, ao invés de escalar montanhas, ela se prende a galhos e estacas, formando uma linda cachoeira de folhas, que se caracterizam pelo formato similar a um coração.

Para agradar a planta, posicione-a num local com luz indireta. Além disso, a espécie se adapta bem a solos diversos. Quanto as regas, elas são regulares, mas não abundantes.

Como cuidar de hera

 

A hera é uma ótima opção para cobrir locais íngremes, mais sombreados e até muros. Então, não tenha medo de usar a espécie para decorar o interior da casa, e também o jardim.

Em relação a fertilização, faça-a de dois em dois meses durante a primavera e o verão. A rega, por sua vez, é regular, mas cuidado para não encharcar o vaso. Na dúvida, coloque o dedo na terra e confira como está o nível de umidade.

Em conclusão aos cuidados, é importante destacar que a hera cresce muito rápido. Logo, esteja preparado para de tempos em tempos ir aparar as pontinhas da planta. Se cultivada em terreiro, é mais necessária ainda a poda. Isso evita que a espécie capture muitos nutrientes do substrato e deixe as outras flores sem vida.

 

Hera no vaso
Imagem: Living with Kay (Reprodução / Instagram)

 

Propriedades medicinais da hera

Por último, a hera é também conhecida na medicina. Você pode encontrá-la em xarope ou cápsulas em lojas naturais e de manipulação. Seu uso é principalmente para anestesiar, expectorar e acalmar. Portanto, ela é recomendada em situações de resfriado, bronquite e laringite. Porém, não se medique sem consultar um médico antes.

Além disso, a hera serve para reduzir a celulite, combater inflamações e aliviar úlceras. Entretanto, como as folhas da espécie são tóxicas, o uso da planta só pode ser feito via medicamentos industrializados.

Não é indicado fazer preparos naturais com a hera, pois isso pode gerar alergia na pele e até, vômitos e diarreias, se consumida em excesso.

 

Fonte: vaicomtudo, leafyplace, mundonaturaarte, estação garden, tua saúde, segredos do mundo R7. 

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes