Covid-19: Canadá aprova vacina da Pfizer

O Canadá comprou mais injeções da vacina per capita do que qualquer outro país e diz que a aprovação é um “marco crítico”.

Canadá aprova vacina da Pfizer contra o coronavírus e a descreve como  “segura, eficaz e de boa qualidade”.

De acordo com a Health Canada, a autorização foi um “marco crítico” na luta contra a covid-19 e enfatizou que o processo de revisão foi “rigoroso”.

O país deve receber 249 mil doses neste mês e quatro milhões de doses até o final de março.

No geral, o governo tem um pedido de 20 milhões de doses desta vacina com a opção de comprar 56 milhões a mais. Isso significa que o Canadá comprou mais vacinas per capita do que qualquer outro país.

As autoridades enfatizaram que “monitorarão de perto a segurança da vacina assim que ela estiver no mercado. Bem como não hesitarão em tomar medidas se identificarem quaisquer preocupações de segurança”.

No momento, o Canadá permite que pessoas com mais de 16 anos recebam a vacina. Mas disse que a permissão poderá ser estendida aos mais jovens assim que os “ensaios clínicos em crianças de todas as idades” estiverem prontos.

 

Canadá aprova vacina da pfizer
Imagem: reprodução / pexels

Canadá aprova vacina da Pfizer

O anúncio é feito uma semana depois que o Reino Unido se tornou o primeiro país do mundo a aprovar a vacina da Pfizer.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro Justin Trudeau disse que as primeiras doses da vacina da Pfizer chegarão ao Canadá no final de dezembro.

A vacina será administrada gratuitamente em todo o país – e assim como o Reino Unido, o Canadá disse que planeja priorizar os mais vulneráveis ​​em sua sociedade, bem como os médicos e cuidadores.

Os pacientes precisam de duas doses – com 21 dias de intervalo – para receber proteção total contra covid-19.

Na quarta-feira (9), os reguladores do Reino Unido alertaram que as pessoas com histórico de reações alérgicas “significativas” não devem receber a vacina.

Isso aconteceu depois que dois funcionários do NHS que receberam a injeção na terça-feira apresentaram sintomas de “reação anafilactoide”.

Fonte Sky News
Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.